sábado, 20 de agosto de 2016

BEIRA, CIDADE CAPITAL DA PROVINCIA DE SOFALA COMEMORA HOJE 109 ANOS, PARABENS, REALIZAM-SE DIVERSOS EVENTOS CULTURAIS

A capital provincial de Sofala, Beira, acolhe hoje um concerto musical alusivo à celebração, hoje, dos 109 anos da sua elevação à categoria de cidade. Vários artistas locais vão fazer a festa, com o jovem músico Twenty Fingers como figura de cartaz.
Ainda na cidade da Beira, encerra hoje a exposição de artes plásticas de Lino Rabanete, intitulada “Diálogo”. A mostra decorre na galeria da Casa do Artista.
Enquanto isso a capital do país acolhe, este fim-de-semana, uma série de actividades culturais que incluem exposições de artes plásticas, lançamento de livros e teatro.
Nas artes plásticas continua patente na galeria da Fundação Fernando Leite Couto a exposição “Simbiose”, da autoria de quatro artistas plásticos e um escultor que traz 25 obras de arte, sendo cinco para cada um.
A mostra junta artistas como Dimand, Dito, Mankeu, Sebastião Matsinhe e o escultor Simões e estará patente até o dia 4 de Setembro.
Enquanto isso, o Centro Cultural Português apresenta a exposição de pintura “Apocalipse”, da iniciativa do fotógrafo Mário Macilau que se aventura, pela primeira vez, neste tipo de manifestação artística.
Na área literária, o Bairro da Mafalala acolhe amanhã, às 16:00 horas, o lançamento do livro “Mafalala: Memórias e Espaços de um Lugar”. Trata-se da primeira obra moçambicana que se foca no património existente neste bairro periférico. “Mafalala” procura explicar a dinâmica urbana, social e cultural que o caracteriza.
A obra foi escrita por uma equipa de investigadores moçambicanos e portugueses que sentiu a necessidade de registar um assunto de suma importância na história deste bairro.
Nas artes cénicas, o grupo teatral Mutumbela Gogo mantém a sua peça “A Máquina Extraviada”, com sessões agendadas para hoje e amanhã, a partir das 18.00 horas no Teatro Avenida.
Em paralelo, a sala do Cine Teatro Gilberto Mendes acolhe a apresentação da peça “Apertem os Cintos”, da autoria do colectivo Gungu. Esta obra conta as peripécias dos munícipes de Maputo, sintetizadas em três famílias vizinhas, o que convida os espectadores a uma reflexão sobre uma sociedade dispersa.
Já na Ilha de Moçambique, na província de Nampula, onde decorre a primeira edição do Festival d’Arte, o grupo “Mbeu” tem uma proposta para o público de “palmo e meio”, que é a peça teatral “Ndinema Vai à Escola”, a ser exibida amanhã, às 11.00 horas, adaptada do livro da escritora Fátima Langa."
FONTE: NOTICIAS, JORNAL DE MOÇAMBIQUE

Sem comentários:

Publicar um comentário