sábado, 18 de janeiro de 2020

GOVERNO DE MOÇAMBIQUE TOMA HOJE POSSE ÀS 15H00M, SÁBADO 18 DE JANEIRO 2020, NO PALÁCIO DA PONTA VERMELHA EM MAPUTO, PARABENS AOS EMPOSSADOS!

"AO VIVO

Presidente moçambicano nomeia novo Governo

O Presidente Filipe Nyusi voltou a indicar Carlos Agostinho do Rosário para o cargo de primeiro-ministro. Governo tem 16 ministros, 10 homens e seis mulheres, e sofreu várias remodelações.

O Presidente da República, Filipe Nyusi, nomeou esta sexta-feira (17.01) Carlos Agostinho do Rosário para o cargo de primeiro-ministro e 16 ministros, 10 homens e seis mulheres.
No novo Governo moçambicano há mudanças na Defesa, com Jaime Bessa Neto a assumir o cargo até agora ocupado por Atanásio Mtumuke, e na Justiça, que passa das mãos de Joaquim Veríssimo para Helena Mateus Khida. Também os Negócios Estrangeiros mudam de cara, com Verónica Macamo a assumir o cargo até agora ocupado por José Pacheco.
Foram extintos os ministérios da Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural e da Agricultura e Segurança Alimentar para dar lugar aos ministérios da Terra e Ambiente e da Agricultura e Desenvolvimento Rural. Eis o novo elenco governamental:
- Adriano Afonso Maleiane: ministro da Economia e Finanças
- Carmelita Rita Namashulua: ministra da Educação e Desenvolvimento Humano
- Helena Mateus Kida: ministra da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos
- Ernesto Max Elias Tonela: ministro dos Recursos Minerais e Energia
- Carlos Alberto Fortes Mesquita: ministro da Indústria e Comércio
- Celso Ismael Correia: ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural
- João Osvaldo Machatine: ministro das Obras Públicas e Recursos Hídricos
- Verónica Nataniel Macamo Dlhovo: ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação
- Margarida Adamugy Talapa: ministra do Trabalho, Emprego e Segurança Social
- Jaime Bessa Neto: ministro da Defesa Nacional
- Amade Miquidade: ministro do Interior
- Armindo Daniel Tiago: ministro da Saúde
- Augusta de Fátima Charifo Maita: ministra do Mar, Águas Interiores e Pescas
- Gabriel Ismael Salimo: ministro da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional
- Ivete Maibase: ministra da Terra e Ambiente
- Janfar Abdulai: ministro dos Transportes e Comunicações"
FONTE: DW

sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

ANTÓNIO CHARRE ELEITA PELO PARTIDO FRELIMO PARA PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA PROVINCIAL DE SOFALA, PARABÉNS!

"Antónia Charre confirmada Presidente da APS Beira (O Autarca) – Tal como já haviamos avançado logo de manhã, a antiga deputada da Assembleia da República, a pedagoga Antónia Charre acaba de ser confirmada no cargo de presidente da Assembleia Provincial de Sofala (APS) no período 2020 – 2024. Proposta pelo partido FRELIMO, Antónia Charre foi eleita com 57 votos, numa escolha que envolveu 76 dos 81 membros que compõem a Assembleia Provincial de Sofala. Para 1º vice-presidente foi eleito Aurélio da Costa, também da FRELIMO e Noé Marimbique, da RENAMO ficou eleito 2º vice-Presidente. Os membros da Assembleia Provincial de Sofala foram investidos esta manhã, numa cerimónia pública que decorreu no largo dos CFM-Centro, na cidade da Beira, orientada pela juíza presidente do Tribunal Judicial Provincial de Sofala, Ana Paula Muanheue.■ (Francisco Esteves)"
FONTE JORNAL O AUTARCA DE MOÇAMBIQUE

BEIRA MOÇAMBIQUE HÁ 46 ANOS OS TUMULTOS DOS COLONOS JUNTO À MESSE DE OFICIAIS NO MACÚTI CONTRIBUI DECISIVAMENTE PARA O 25 DE ABRIL DE 1974 EM PORTUGAL E O CAMINHO DA LIBERDADE PORTUGUESA.

"Visita de Marcelo Rebelo resgata a importância da Beira na viragem da página da História de Portugal - A visita coincide menos de 24 horas de se assinalar os acontecimentos da cidade da Beira que vieram a ser determinantes na viragem da página da História de Portugal, do seu regime político e, consequentemente, abriram caminho à descolonização Beira (O Autarca) – Marcelo Rebelo, Presidente de Portugal, realiza esta tarde uma visita histórica à cidade da Beira. É uma visita de apenas oito horas que inicia ao meio dia com a sua chegada ao Aeroporto Internacional da Beira (AIB) e termina as 08h00 da noite, com a partida do AIB de regresso a capital moçambicana, Maputo. Apesar de ser pouco tempo, é uma visita carregada de enorme simbolismo. Marcelo Rebelo é o vigésimo Presidente de Portugal e não há memória sobre outro estadista português alguma vez ter visitado a cidade da Beira, apesar da importância histórica que a urbe tem em relação a Portugal. Curiosamente, a visita tem lugar menos de 24 horas de se assinalar os acontecimentos da cidade da Beira (17 de Janeiro de 1974) que vieram a ser determinantes na viragem da página da História de Portugal, do seu regime político e, consequentemente, abriram caminho à descolonização. Sobre a viragem da página da História de Portugal, comumente refere-se mais ao 25 de Abril, que recorda a Revolução de 25 de Abril de 1974, também conhecida como a Revolução dos Cravos, nas ruas de Lisboa, capital de Portugal, que abriu caminho para a descolonização das antigas colónias portuguesas que acabaram acedendo suas independências no ano seguinte Frase: Um povo que não conhece a sua história está condenado a repeti-la – Edmund Burke (Pensador) SF Holdings, UM GRUPO COM ENERGIA MOÇAMBICANA CÂMBIOS/ EXCHANGE – 16/01/2020 Moeda País Compra Venda EUR UE 68.86 70.2 USD EUA 61.75 62.95 ZAR RSA 4.29 4.37 FONTE: BANCO DE MOÇAMBIQUE O Autarca – Jornal Independente, Quinta-feira – 16/01/20, Edição nº 3835 – Página 02/05 Continuado da Pág. 01 (1975), incluindo Moçambique. Mas, sobre este acontecimento existem várias narrativas de factos antecedentes, sendo que os da Beira – um porto índico estratégico e importante terminal de caminho-de-ferro, são referidos com alguma insistência como tendo sido fortemente determinantes para a concretização do golpe em Portugal. A revolta da Beira em relação ao regime colonial português remonta desde da década 60, com o vigor de D. Sebastião Soares de Resende, Bispo da Beira, que teve uma acção determinante na denúncia das más condições de vida e da exploração laboral que atingia a população indígena. Antes da sua morte, em Janeiro de 1967, na sequência de um cancro, pela sua postura crítica ao colonialismo português foi acusado pelo regime de ser comunista. No momento da sua agonia, apesar de acompanhado por médicos em Lisboa, quis voltar a Moçambique para ser sepultado na Beira, junto da população que o amava e sempre a defendeu – segundo lembrou o jornalista António Marujo num artigo sobre a vida do fundador do Jornal Diário de Moçambique, posteriormente estatalizado e hoje adquirido por um grupo misto de empresários liderado pela família Sidat. No início da década 70 a Beira volta a estar em ebolição. Luiz Carvalho no seu texto “Mário Tomé e Aniceto Afonso, no pátio do Museu Militar”, escreve que na memória de todos estão bem vivos os incidentes de 1972, em torno do caso dos padres do Macúti. Ou seja: a denúncia, a partir do púlpito daquela paróquia, dos crimes cometidos por militares contra populações negras, o que valeu a prisão e expulsão de dois sacerdotes católicos. Segundo o autor, em Janeiro de 1974, porém, a situação torna-se explosiva. O detonador é uma emboscada efectuada, no dia 14, pela Frelimo nos arredores de Vila Manica, uma zona nunca fustigada. Entre as vítimas figura a mulher de um fazendeiro branco. A população das cidades, que sempre se sentira imune à guerra, fica em estado de choque. Sente-se desprotegida e abandonada pela tropa, que é vivamente criticada. Um detalhado relatório do movimento dos capitães da Beira dá conta dos acontecimentos subsequenttes. Assim, a 16 de Janeiro, verifica-se uma manifestação em Vila Pery (actual cidade de Chimoio que dista a menos de 200 quilómetros da cidade da Beira). Em reunião com membros do Governo e chefias militares, elementos civis afirmam «que prescindiam da presença do Exército» e reivindicam «o fornecimento de armamento e meios de comunicação» para a sua autodefesa. Os protestos alastram à Beira. No dia seguinte, 17 de Janeiro de 1974, e por iniciativa da Associação Comercial da Beira, os comerciantes fazem uma greve geral. Ao mesmo tempo, uma multidão de brancos concentra-se em frente do edifício do Governo, reclamando apoio «na repressão ao terrorismo» e a satisfação das «reivindicações apresentadas pela população» de Vila Pery. A messe dos oficiais é o alvo privilegiado da ira popular. Perante a passividade das forças policiais, os militares são vaiados e insultados e a messe apedrejada. A Polícia Militar intervém à bastonada. Ouvem-se tiros de ambos os lados. Oito civis recebem tratamento hospitalar, enquanto um capitão parte uma clavícula. No dia seguinte, 18, aterram na Beira o comandante-chefe de Moçambique, general Basto Machado, bem como o chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, general Costa Gomes, ido propositadamente de Lisboa. Machado é insultado por uma multidão enfurecida. Há reencontros com a PSP, enquanto novos edifícios militares são apedrejados. Os incidentes repetem-se no dia seguinte, com a PSP a efectuar várias prisões; uma multidão concentra-se em frente do comando e obriga à libertação dos detidos. Portanto, esses são alguns eventos importantes que antecederam a Revolução de 25 de Abril, e que colocam a Beira no centro de toda atenção para que acontecesse o golpe em Portugal e as antigas colónias acedessem a independência que não tardou a acontecer. Motivo mais que suficiente sublinhar que a visita de Marcelo Rebelo resgata a importância da Beira na viragem da página da História de Portugal; e sugerimos leitura ao artigo a seguir (reedição) de autoria do Dr. Augusto Macedo Pinto, Advogado■ (Chabane Falume)"
FONTE: JORNAL O AUTARCA DE MOÇAMBIQUE

segunda-feira, 13 de janeiro de 2020

ESPERANÇA BIAS É A NOVA PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE, PARABÉNS!

"Esperança Bias confirmada nova Presidente da AR Maputo (O Autarca) – Tal como já se esperava, Esperança Laurinda Francisco Nhiuane Bias, ou simplesmente Esperança Bias, foi confirmada esta manhã a nova Presidente da Assembleia da República (PAR), sucedendo no cargo Verónica Macamo que presidiu o órgão nas últimas duas legislaturas, nomeadamente a sétima e oitava. Esperança Bias, 62 anos, foi eleita após a investidura esta manhã dos deputados eleitos nas últimas eleições gerais realizadas a 15 de Outubro de 2019. Bias torna-se a segunda mulher a ocupar o cargo depois de Verónica Macamo. Na primeira sessão ordinária da nona legislatura moçambicana, presidida pelo Chefe de Estado, Filipe Nyusi, com a participação de 246 do total de 250 deputados eleitos, para a eleição da Esperança Bias foram contabilizados 187 votos validamente expressos, zero voto nulo, 59 em branco, 8 contra e 179 a favor. A nova PAR é graduada em gestão de empresas pela Faculdade de Economia da Universidade Eduardo Mondlane. Na última legislatura além de deputada da Assembleia da República Esperança Bias, a nova PAR, esta manhã, no palácio do parlamento moçambicano,em Maputo presidiu a Comissão do Plano e Orçamento (CPO), a partir de Abril de 2019, depois de ter sido vice-presidente da mesma comissão. No governo, entre 1999 e 2005 actuou como vice-ministra de Recursos Minerais e de 2005 a 2015 ocupou a pasta de ministra de Recursos Minerais. Da sua actuação no partido FRELIMO, destaca-se a sua eleição em 2016 para o secretariado do comité central, ocupando a posição de secretária de administração e finanças. A 20 de Junho de 2015 foi condecorada, em Roma, Itália, pela Fondazione Mariza Bellisario, com o prémio “Golden Apple” (Maçã de Ouro), em reconhecimento das suas qualidades profissionais, enquanto dirigente do Ministério dos Recursos Minerais. la que ocupou a pasta de ministra de Recursos Minerais nos dois governos do antigo Presidente da República, Armando Guebuza, é considerada aliada da ala guebuziana. Consta, entretanto, que era aposta do actual Presidente da República e do partido FRELIMO para a presidência do parlamento moçambicano nesta legislatura o antigo ministro do Interior, Jaime Basílio, que não conseguiu aprovação entre os membros da comissão política do partido cuja maioria decidiu a favor da Esperança Bias. E sendo Basílio Monteiro considerado um forte aliado de Filipe Nyusi, depois de falhar a sua indicação para Presidente da Assembleia da República, o segundo cargo mais importante em Moçambique, depois da Presidência da Repúlica, é muito provável que venha a renunciar a sua eleição a deputado para retomar a pasta de Ministro do Interior no próximo governo. Basílio Monteiro está fora do actual governo, cujo mandato termina na próxima quarta-feira, desde a noite da última quinta-feira, exonerado pelo Presidente da República, juntamente com outros colegas, para dar lugar a sua posse na função de deputado da Assembleia da República■ (R)"
FONTE: JORNAL O AUTARCA DE MOÇAMBIQUE

sábado, 11 de janeiro de 2020

MARCELO REBELO DA SOUSA, PRESIDENTE DA REPÚBLICA DE PORTUGAL, PARTICIPA NA CERIMÓNIA DE INVESTIDURA DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE, FILIPE JACINTO NYUSI A 15 DE JANEIRO E A 16 DE JANEIRO DESLOCA-SE À CIDADE DA BEIRA, PROVINCIA DE SOFALA, TEM ENCONTRO COM A COMUNIDADE PORTUGUESA E VISITA O HOSPITAL CENTRAL DA BEIRA QUE ESTÁ A SER TAMBÉM RECUPERADO PELA COOPERAÇÃO PORTUGUESA ATRAVÉS DA HEALTH4MOZ, ONGD PORTUGUESA DO PORTO QUE HÁ SEIS ANOS APOIA A FORMAÇÃO MÉDICA DE MAPUTO, BEIRA E NAMPULA.


FOTOS GENTILMENTE CEDIDAS POR UM AMIGO E TIRADAS HOJE NA CIDADE DA BEIRA,SÁBADO 11 DE JANEIRO DE 2020.
Presidente da República participa na cerimónia de investidura do Presidente da República de Moçambique
O Presidente da República desloca-se na próxima semana a Moçambique, com o intuito de participar nas cerimónias de investidura do Presidente da República de Moçambique, Filipe Nyusi.
Nesta ocasião, o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa aproveitará para se encontrar com a Comunidade Portuguesa residente em Maputo e também na Beira, onde irá, tal como havia prometido, inteirar-se do processo de recuperação naquela região muito fustigada pelos ciclones que assolaram Moçambique em 2019.
FONTE: PORTAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA PORTUGUESA.

sexta-feira, 10 de janeiro de 2020

BCI - BANCO COMERCIAL E DE INVESTIMENTOS, S.A. PREMEIA AS MELHORES PME´S DE MOÇAMBIQUE

"BCI congratula as melhores PME’s do país Maputo (O Autarca) – O BCI, Banco Comercial e de Investimentos, acaba de concluir a entrega de diplomas de mérito às cem pequenas e médias empresas (PME) de Moçambique, distinguidas com o estatuto de “100 Melhores PME”, no período 2018-2019. O acto de entrega das distinções envolveu equipas regionais do BCI, ao longo do país, encabeçadas pelos respectivos directores. Recorde-se que a 7ª edição, 2019, do Programa “100 Melhores PME” teve como grande vencedora a empresa Mozambique Manage Office (MMO), que arrecadou o BCI Melhor PME do Ano. O prémio PME Mulher Empreendedora foi conquistado pela empresa IMAL. Na categoria de PME Inclusão foi premiada a Terra Nova, e na de Inovação, a Tecnoplus. Desde a primeira edição do projecto, em 2012, o BCI tem assumido o compromisso de parceiro financeiro, garantindo o seu alto patrocínio, sendo considerável o índice de crescimento anual, que contabilizou, na primeira edição, 120 empresas inscritas e nesta 7ª edição 503 empresas.■ (Redacção)"
FONTE: JORNAL O AUTARCA DE MOÇAMBIQUE

ASSEMPLEIAS PROVINCIAIS DE MOÇAMBIQUE INVESTIDURA DOS MEMBROS ELEITOS REALIZA-SE A !/ DE JANEIRO DE 2020

"CM confirma data 17 de Janeiro para a investidura
dos membros eleitos para as assembleias provinciais
- Na cidade da Beira, a cerimónia será realizada no Largo dos CFM, num evento público a ser dirigida pela Juíza Presidente do Tribunal Judicial Provincial de Sofala tâneo nas 10 capitais provinciais do país.A investidura dos 794 membros saídos do último pleito eleitoral em representação das 10 assembleias provinciais decorrerá quatro dias após a investidura dos deputados da Assembleia da República (13Jan20) e dois dias depois da tomada de posse do Presidente da República (15Jan20). A lei 06/2019 de 31 de Maio estabelece que as asembleias provinciais são investidas até 15 dias após a investidura do Presidente da República.Na cidade da Beira, entretanto, O Autarca apurou junto do Secretário Permanente do Governo Provincial de Sofala, Rui Manuel Nanlipa, que a cerimónia de investidura dos 81 membros eleitos para a Assembleia Provincial de Sofala, respectivamente 60 que irão compor a bancada do partido FRELIMO, 13 do partido RENAMO e 8 do partido MDM, irá decorrer no Largo dos CFM-Centro, num evento público a ser orientado pela Juíza Pre-
sidente do Tribunal Judicial Provincial de Sofala, Ana Paula Muanheue.■ (R)
Maputo (O Autarca) – Tal como O Autarca já havia avançado em primeira mão na edição de ontem, citando “bastidores”, o Conselho de Ministros (CM) que se reuniu no mesmo dia, em Maputo, na sua primeira sessão ordinária do ano 2020, que coincidiu ser a última do presente ciclo governativo praticamente no fim, chancelou a data 17 de Janeiro corrente para a investidura dos membros eleitos para as assembleias provinciais. Trata-se de cerimónias que irão decorrer em simultâneo nas 10 capitais provinciais do país."
FONTE JORNAL O AUTARCA DE MOÇAMBIQUE.