domingo, 23 de Novembro de 2014

CABO VERDE, ANGOLA, ARGÉLIA, BRASIL, CANADÁ, COLOMBIA, FRANÇA, ESPANHA, GUINÉ BISSAU, IRÃO, MOÇAMBIQUE, SÃO TOMÉ E PRINCIPE, SUAZILÃNDIA E SUIÇA, PARTICIPAM NA NERSAN BUSINESS EM SANTARÉM, PORTUGAL, A 24 E 25 DE NOVEMBRO, PARABENS PELA INICIATIVA!

"ECONOMIA

A SEMANA :

Cabo Verde está no Nersant Business em Santarém 23 Novembro 2014

Cabo Verde é um dos países que vai estar presente na 3ª edição da Nersant Business 2014, uma iniciativa da Associação Empresarial da Região de Santarém (Portugal) e que se tem afirmado como um ponto de encontro entre empresários portugueses e estrangeiros. O evento terá lugar esta segunda e terça-feira, 24 e 25, e preconiza vários encontros bilaterais.

Cabo Verde está no Nersant Business em Santarém
A par de Cabo Verde, Angola, Argélia, Brasil, Canadá, Colômbia, França, Espanha, Guiné-Bissau, Irão, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Suazilândia e Suíça participam na Nersant Business, que perspectiva um número recorde de participantes, num total de 14 países representados e mais de 100 empresários e entidades institucionais presentes.
Em simultâneo, vão acontecer reuniões de negócio entre as empresas estrangeiras e as da região do Ribatejo, durante o Nersant Business. As empresas interessadas em internacionalizar-se poderão inscrever-se nas reuniões de negócios com as empresas estrangeiras, bastando para tal aceder ao portal do evento em http://business.nersant.pt/.
O Nersant Business propõe reforçar as relações comerciais entre os participantes, estabelecer parcerias de negócios para o futuro e promover a internacionalização das empresas e produtos/serviços da região. Objectiva ainda criar negócios entre a região e os países participantes, de maneira a incentivar o aumento das exportações regionais e dar a conhecer a investidores estrangeiros o potencial que toda a região encerra."
FONTE: JORNAL A SEMANA DE CABO VERDE.

sexta-feira, 21 de Novembro de 2014

ORDEM DOS ADVOGADOS DE MOÇAMBIQUE , II CONGRESSO DOS ADVOGADOS DE MOÇAMBIQUE, PRESIDENTE DA REPUBLICA ARMANDO EMILIO GUEBUZA DESTACA COMPETÊNCIA DO ADVOGADO MOÇAMBICANO



"Guebuza destaca “competência” do advogado moçambicano

 


Guebuza destaca “competência” do advogado moçambicano Participantes do 2º Congresso para a Justiça: “Integridade, Justiça e Sociedade”/Foto AIM

O Presidente Armando Guebuza enalteceu o crescimento qualitativo e quantitativo assim como a competência que o advogado moçambicano tem visto a registar, reflectidos na sua contribuição em diversas partes do país na prestação de serviços ao cidadão.

“Continuemos todos a confluir na prestação de serviços de crescente qualidade ao mesmo e único destinatário, o cidadão. Por isso, o reforço de sinergias em torno de uma plataforma de colaboração e parceria salutar entre os diferentes intervenientes afigura-se como pressuposto fundamental para alargar base de acesso a justiça no país”, disse Guebuza.

O estadista moçambicano falava esta quarta-feira na sessão de abertura do 2º Congresso para a Justiça sob o lema “Integridade, Justiça e Sociedade” que congrega quadros da Ordem dos Advogados de Moçambique (OAM), magistrados, técnicos jurídicos, pessoal que trabalha nas prisões para discutirem os vários assuntos que enfermam o sector.

Segundo o presidente, o evento é de importância capital nas actividades da OAM, na medida em que constitui, por um lado, palco de grande relevo para cimentar as parcerias estratégicas na responsabilidade de todos no domínio do acesso a justiça.

Mas, por outro lado, segundo Guebuza, o congresso confere aos intervenientes no sistema de administração da justiça espaço privilegiado de reflexão sobre os diferentes desafios e oportunidades neste nevrálgico sector da nossa sociedade.

“O manancial de temas a debater oferece-se como oportunidade para galvanizar o empenho de todos na cristalização das condições para uma cada vez melhor aplicação da justiça no país”, anotou o presidente, acrescentando que a nação garante o acesso dos cidadãos aos tribunais e ao direito a defesa.

A nação, segundo o Chefe do Estado, assegura, igualmente, a assistência jurídica e o patrocínio judiciário de forma particular àqueles que por razoes económicas e sociais não dispõem de recursos para demandar os seus direitos quando postos em causa.

Deste pressuposto, decorre o entendimento consolidado que permite qualificar o advogado como prestador de serviço de interesse colectivo e público, participando activamente com discernimento, sagacidade e confiança na aproximação cada vez mais da justiça ao cidadão.

Essas metas, segundo o presidente, ganham maior relevância se for tomado em consideração que no âmbito da implementação das políticas, estratégias e programas de desenvolvimento nacional em curso, o envolvimento, contribuição e participação do advogado assume um papel de importância primordial.

No encontro, os participantes vão, entre vários assuntos, discutir a problemática da morosidade processual, a produção legislativa, a postura e a integridade do advogado visando encontrar as melhores soluções para a sua melhoria.

O segundo congresso em curso coincide com a passagem dos 20 anos da criação da Ordem dos Advogados de Moçambique.
(RM/AIM)"
FONTE RÁDIO DE MOÇAMBIQUE.

quinta-feira, 20 de Novembro de 2014

MOÇAMBIQUE CONSELHO DE MINISTROS SESSÃO DE 18 DE NOVEMBRO DE 2014

"O Conselho de Ministros realizou, no dia 18 de Novembro de 2014, a sua 29.ª Sessão
Ordinária, alargada aos Governadores Provinciais e Primeiros Secretários Provinciais.
Nesta Sessão, o Governo apreciou:
O Relatório da participação de Sua Excelência o Presidente da República,
Armando Emílio Guebuza, nas Exéquias do Presidente da República da Zâmbia,
Michael Sata, de 10 a 11 de Novembro de 2014.
A preparação da Visita de Sua Excelência o Presidente da República, Armando
Emílio Guebuza à República da Itália, de 2 a 5 de Dezembro de 2014.

O Governo apreciou e aprovou:
O Decreto que cria o Fundo de Paz e Reconciliação Nacional e aprova o respectivo
Regulamento.

O Fundo de Paz e Reconciliação Nacional é uma instituição pública com
personalidade jurídica, regida por normas do direito privado, dotado de autonomia
administrativa, financeira e patrimonial, destinado a financiar projectos económicos
e sociais dos Combatentes da Luta de Libertação Nacional e Desmobilizados de
Guerra do Governo e da Renamo, a título reembolsável, desenvolvendo as suas
actividades em todo o território nacional.

O Conselho de Ministros apreciou, ainda, as informações sobre:
O Balanço das Visitas em Presidência Aberta e Inclusiva às Províncias – edição
2014;
As actividades realizadas no “âmbito dos 7 milhões”;

Preparação da eleição intercalar do Presidente do Conselho Municipal de Cuamba;


O Diálogo entre o Governo e a Renamo;

O Relatório do Estudo de Base de Segurança Alimentar e Nutricional em
Moçambique.
A análise ao Relatório “Doing Business”;"
FONTE: PORTAL DO GOVERNO DE MOÇAMBIQUE.

quarta-feira, 19 de Novembro de 2014

ANABELA CHAMBUCA PRESIDENTE DA BOLSA DE VALORES DE MOÇAMBIQUE,APRESENTA O LIVRO NO INSTITUTO CAMÕES EM MAPUTO " A GOVERNAÇÂO DE SOCIEDADES ANÓNIMAS NOS SISTEMAS JURIDICOS LUSÓFONOS",


"O lançamento do livro "A Governação de sociedades anónimas nos sistemas jurídicos lusófonos",  que vai decorrer amanhã no Centro Cultural Português, no r/c do edifício da Embaixada de Portugal em Maputo. O livro será apresentado pela Presidente da Bolsa de Valores, Dra. Anabela Chambuca.
 
Com os meus melhores cumprimentos
fc

Fernando Carvalho

Conselheiro Económico e Comercial
Embaixada de Portugal em Maputo

aicep Portugal Global
Av. Julius Nyerere, 720 - 12º
Tel. +258 21 490 523+258 21 490 402
Cel: +258 823 290 870+258 823 290 870
Fax: +258 21 490203
skype: aicep.maputo"header_logo 

CPLP A CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL DA COMUNIDADE DE PAISES DE LINGUA PORTUGUESA, (CPLP) QUER TRANSFORMAR-SE NUM BANCO DE DESENVOLVIMENTO DA COMUNIDADE PARA UNIR BANCOS E ALAVANCAR INICIATIVAS DOS EMPRESÁRIOS, E PARA QUANDO UM PASSAPORTE CPLP COM LIVRE CIRCULAÇÃO ENTRE OS PAISES DA COMUNIDADE????DIREI EU.

A CONFEDERAÇÃO Empresarial da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) quer transformar-se num banco de desenvolvimento da comunidade para unir os bancos e alavancar iniciativas dos empresários lusófonos, afirmou o presidente da actual instituição.
“Isto significa que, com os recursos minerais que temos nos nossos países, possamos gerar muitos negócios, muitas empresas, muitos postos de trabalho e também fazer circular as pessoas dentro do nosso mercado”, traçou Salimo Abdula, presidente da Confederação Empresarial da CPLP, após ser eleito, por unanimidade, na assembleia geral da confederação lusófona, que aconteceu na cidade da Praia.
“Por exemplo, em Cabo Verde temos quadros preparados, mas não têm emprego, em Moçambique temos este desafio e podemos ir socorrê-los em Cabo Verde, tal como em Angola, Portugal e Brasil, para que possamos fazer circular entre nós pessoas, capitais e bens”, prosseguiu, considerando que o custo da língua é elevado para as empresas, sendo este o capital que se deve explorar entre os países lusófonos.
Para o responsável, a cada dia estão a ser dados “bastantes passos” para a melhoria do ambiente de negócios nos países lusófonos, mas o mais importante é que a CPLP vai ter uma comunidade importantíssima que vai oferecer grandes oportunidades ao planeta.
“Temos recursos naturais, temos terra a convicção que, dentro de duas décadas, os países membros da CPLP representarão cerca de 25% a 27% do mercado do “oil and gás” do mundo. Só as terras e recursos humanos que nós temos justificam este desafio”, continuou, dizendo que é preciso trabalhar “juntos e pragmaticamente”, para transformar o “sonho em realidade”.
Salimo Abdula, que é também membro da Confederação das Associações Económicas (CTA) de Moçambique, disse que a missão da confederação é ser um “pilar forte” na CPLP, que dinamize o ambiente de negócios e crie melhores oportunidades na comunidade.
Mobilizar mais recursos financeiros e humanos, instituir a livre circulação de pessoas, bens e capitais na comunidade e angariar mais membros são, entre outros, os objetivos do mandato de quatro anos de Salimo Abdula, que só vai tomar posse no próximo ano, em Díli, Timor Leste.
Todos os países da CPLP - Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste - terão direito a um vice-presidente na Confederação Empresarial, criada há 10 anos.
A lista inclui ainda os empresários José Rocha de Matos (português), presidente da Assembleia-geral, e José Severino (angolano), para o Conselho Fiscal."
FONTE JORNAL NOTICIAS DE MOÇAMBIQUE.

segunda-feira, 17 de Novembro de 2014

ILHA DE MOÇAMBIQUE FUNDAÇÃO CAMÕES APOIA FORMAÇÃO DE JOVENS EM MATÉRIA DE CONSTRUÇÃO CIVIL E CARPINTARIA PARA GARANTIR MÃO DE OBRA CAPAZ DE EXCUTAR TRABALHOS DE MANUTENÇÃO DE INFRA ESTRUTURAS HISTÓRICO - CULTURAIS LOCAIS.

"ILHA DE MOÇAMBIQUE: Jovens capacitados em conservação do património
Jovens do município da Cidade da Ilha de Moçambique, província de Nampula, serão treinados em matéria de construção civil e carpintaria para garantir a disponibilidade de mão-de-obra capaz de executar trabalhos de manutenção de infra-estruturas histórico-culturais locais.
A iniciativa está inserida no protocolo de apoio à edilidade da Ilha de Moçambique rubricado recentemente com a Fundação Camões, um organismo de cooperação portuguesa, que vai vigorar nos próximos três anos.
Segundo o edil da Ilha de Moçambique, Saíde Abdurremane Gimba, os jovens a serem formados fazem parte do grupo de graduados da escola profissional que funciona naquela cidade, elevada àquela categoria há 196 anos, e que foi a primeira capital do país. Esta acção fará com que os mesmos jovens possam garantir emprego no futuro.
Aquela cidade foi elevada à categoria de Património Mundial da Humanidade, título outorgado pela Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), em Setembro de 1991.
E o edil precisou ainda que no âmbito dos esforços do Governo e da comunidade internacional estão em curso acções visando a restauração dos edifícios histórico-culturais da urbe, tendo sido definida como prioridade a criação de capacidades humanas para garantir a execução das obras.
“Vamos reduzir gradualmente a dependência de mão-de-obra estrangeira para executar os trabalhos de manutenção dos edifícios implantados há séculos nesta pequena ilha mas com valor histórico incomensurável. Basta dizer que os jovens vão aprender a trabalhar com pedra e cal na manutenção dos referidos edifícios e é uma tarefa não muito facilitada por exigir conhecimento específico na matéria que será aliada à carpintaria, pois os edifícios levam muita madeira no lugar do ferro”, frisou Saíde Abdurremane Gimba.
Os jovens que concluírem a formação, que terá a duração de um ano, vão reforçar o quadro de pessoal do Gabinete de Conservação da Ilha de Moçambique, uma instituição pública tutelada pelo Ministério da Cultura que trabalha em estreita ligação com a edilidade daquela cidade, segundo o respectivo edil.
A Fundação Camões trabalha com a edilidade da Ilha de Moçambique há três anos no âmbito do protocolo de prestação de assistência institucional e de apoio à área da infância que promoveu a implantação de escolinhas naquela cidade."
FONTE: JORNAL NOTICIAS DE MOÇAMBIQUE.

domingo, 16 de Novembro de 2014

BRASIL E CHINA VISITA DA PRESIDENTA DILMA ROUSSEFF REFORÇA RELAÇÕES COMERCIAIS ENTRE AMBOS OS PAISES: BRASIL E CHINA.

"Domingo, 16 de novembro de 2014 às 12:34

China retira oficialmente embargo à carne bovina brasileira após encontro entre Dilma e Xi Jiping


A presidenta Dilma Rousseff e o presidente chinês, Xi Jinping, assinaram protocolo para liberação de venda de carne bovina para o mercado chinês, embargada desde 2012 devido suspeita, não confirmada, de registro de mal da vaca louca, ocorrido no Paraná.
O encontro ocorreu durante intervalo da reunião de Cúpula do G20, em Brisbane, na Austrália, às 08h30 deste domingo (16), 20h30 de sábado (15), no horário de Brasília.
Presidenta Dilma Rousseff durante encontro com o presidente da República Popular da China, Xi Jinping. (Brisbane - Austrália, 16/11/2014) Foto: Roberto Stuckert Filho/PR.
Presidenta Dilma Rousseff durante encontro com o presidente da República Popular da China, Xi Jinping. (Brisbane – Austrália, 16/11/2014) Foto: Roberto Stuckert Filho/PR.
Com o acordo bilateral, a expectativa do governo brasileiro é vender de US$ 800 milhões a US$ 1,2 bilhão de carne para China só em 2015. Também foram tratados avanços das relações entre os dois países no setor aéreo, como a venda de aeronaves da Embraer para a China.
O último encontro da presidenta Dilma com Xi Jinping ocorreu em julho, no Brasil, durante a realização da VI Cúpula do Brics em Fortaleza (CE). A China é considerada o principal parceiro comercial do Brasil. Só em 2013, o comércio entre os dois países superou os US$ 83 bilhões."
FONTE BLOG DO PLANALTO