quinta-feira, 17 de outubro de 2019

ELEIÇÕES EM MOÇAMBIQUE - REACÇÃO DO PRESIDENTE PORTUGUÊS MARCELO REBELO DE SOUSA

"O PRESIDENTE PORTUGUÊS, MARCELO REBELO DE SOUSA, FAZ VOTOS DE QUE AS ELEIÇÕES GERAIS EM MOÇAMBIQUE SEJAM "PACIFICAS" PARTICIPADAS E UM PASSO IMPORTANTE NO SENTIDO DO FUTURO POLITICO, ECONÓMICO E SOCIAL" DO PAIS.
EM DECLARAÇÕES AOS JORNALISTAS EM MIDÕES, NO CONCELHO DE TÁBUA, MARCELO REBELO DE SOUSA DISSE ESPERAR QUE ESTAS ELEIÇÕES "POSSAM SER A CONTINUAÇÃO DE UM PROCESSO, ABRINDO PARA UM FUTURO", PORQUE "UM FUTURO MELHOR PARA MOÇAMBIQUE É UM FUTURO MELHOR PARA PORTUGAL".
TÁBUA É UMA VILA PORTUGUESA DO DISTRITO DE COIMBRA, NA BEIRA ALTA, REGIÃO CENTRO DE PORTUGAL".
FONTE DIÁRIO DE MOÇAMBIQUE EDITADO NA CIDADE DA BEIRA, PROVINCIA DE SOFALA.
NB.
A CIDADE DA BEIRA E A PROVINCIA DE SOFALA NO PASSADO DIA 14 DE MARÇO DE 2019, FORAM ASSOLADAS POR UM TERRIVEL CICLONE IDAI, O HCB HOSPITAL CENTRAL DA BEIRA FICOU PRATICAMENTE DESTRUIDO, O PRIMEIRO REPRESENTANTE GOVERNAMENTAL EUROPEU A CHEGAR À CIDADE FOI O MEMBRO DO GOVERNO PORTUGUÊS E SECRETARIO DE ESTADO DAS COMUNIDADES PORTUGUESAS JOSÉ LUIS CARNEIRO, A ONG DE SAUDE DA CIDADE DO PORTO, PORTUGAL,  HEALTH4MOZ, FOI A PRIMEIRA ORGANIZAÇÃO A RESPONDER ÀS SOLICITAÇÕES DE RECONSTRUÇÃO DO HCB FEITO PELAS AUTORIDADES MOÇAMBICANAS, GRAÇAS AOS APOIOS  DAS INSTITUIÇÕES GOVERNAMENTAIS PORTUGUESAS, MUNICIPIOS PORTUGUESES,  SOCIEDADE CIVIL PORTUGUESA , ASSOCIAÇÃO DE BANCOS DE MOÇAMBIQUE, ENTRE OUTRAS, EM GRANDE ONDA DE SOLIDARIEDADE QUE SE GEROU COM ESTA GRAVE SITUAÇÃO HUMANITÁRIA.
BEM HAJAM A TODOS!
A PROVINCIA DE SOFALA TEM NO SEU ACERVO HISTORICO A PRIMEIRA MARCA DE OBRA DE CONSTRUÇÃO CIVIL PORTUGUESA NO OCEANO INDICO. A FORTALEZA DE SÃO CAETANO DE SOFALA DE 1505.

domingo, 13 de outubro de 2019

ELEIÇÕES EM MOÇAMBIQUE

"STAE assegura estarem criadas condições para a realização de eleições na terça-feira (15 de Outubro) Maputo (O Autarca) – É já na próxima terça-feira (15Out19) que o país realiza as sextas eleições gerais multipartidárias (presidenciais, legislativas e das assembleias provinciais). Ontem, quinta-feira, o Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE), através do seu porta-voz, Claúdio Langa, apresentou o balanço dos preparativos do pleito, tendo assegurado que estão criadas as condições para a realização de eleições da próxima semana. Estão inscritos para as eleições de 15 de Outubro corrente, 12 milhões, 045 mil e 921 eleitores. Irão funcionar 20 mil e 570 mesas de assembeleias de voto, das quais 20 mil e 162 no território nacional e 408 nos nove países que compõem os dois círculos eleitorais previstos para a diáspora, nomeadamente o círculo eleitoral de África e do resto do mundo. A formação dos candidatos à membros das mesas de assembleias de voto decorre normalmente desde a dias e termina esta sexta-feira (11Out19), para permitir que seja feita imediatamente a selecção e a respectiva afectação em todas mesas de assembleias de voto. Segundo o porta-voz do STAE, estão a ser formados cerca de 160 mil candidatos, para serem seleccionados 143 mil e 990 brigadistas. Refira-se que cada mesa de assembeleia de voto será composta por sete membros, quatro dos quais provenientes de concurso público e os restantes três indicados pelos partidos políticos com assentos na Assembleia da República, representando um membro para cada um dos três partidos integrantes, nomeadamente FRELIMO, RENAMO e MDM. Os presidentes das mesas terão direito a subsídio no valor de 3.700,00 Mts, vice-presidentes 3. 500,00Mts, secretário 3.200,00Mts, igual valor que será pago aos restantes membros da mesa (discurtinadores). O elemento de segurança irá receber 1. 700,00Mts. O porta-voz do STAE referiu que a distribuição do material de votação já decorre a três semanas, com a distribuição das urnas, cabines de voto e das malas metálicas consideradas elemento chave no processo de afectação do material para garantir que o mesmo chegue em condições. Relativamente aos cadernos de recenseamento eleitoral, fez saber que já foram impressos em número de dois para cada mesa de assembleia de voto (uma versão original que estará na posse dos membros que estarão no interior da mesa da assembleia de voto e uma réplica que irá circular no exterior, de modo a facilitar que de forma antecipada os eleitores possam obter a informação necessária para assegurar a celeridade do processo). Os boletins de voto, actas e editais começaram a ser distribuídos a quatro dias atrás, prevendo-se a conclusão da distribuição até hoje na zona sul do país. As províncias centrais de Sofala, Manica e Tete começaram a receber esses materiais ainda ontem e o processo sera concluído em tempo útil. As províncias que sofreram os efeitos dos ciclones tropicais Idai (centro) e Kenneth (norte) e que enfrentam, por conseguinte, dificuldades de acesso serão reforçadas com meios aéreos. As províncias de Sofala, Manica, Tete e Zambézia (centro) terão cada uma delas três helicópteros. Cabo Delgado, Niassa e Nampula terão um helicóptero cada, prevendo-se reforço com mais um à província de Nampula, por sinal a mais populosa e o maior círculo eleitoral do país. (Redacção) Credenciados 19.900 observadores nacionais, 320 internacionais; 2.010 jornalistas nacionais e 85 internacionais Maputo (O Autarca) – Até ontem, quinta-feira (10Out19) – a cinco dias das eleições, o STAE já havia credenciado 19.900 observadores nacionais, 320 observadores internacionais; 2.010 jornalistas nacionais e 85 jornalistas internacionais. O porta-voz do STAE, Claúdio Langa, referiu que o órgão continua a registar uma demanda elevada de pedidos de credenciação, sobretudo por parte da observação nacional. “Estamos a articular com os colegas ao nível das direcções provinciais e ao nível das comissões provinciais de eleições para assegurarem a flexibilização do processo de emissão das credenciais” – afirmou Langa.■ ® !
FONTE: JORNAL O AUTARCA DE MOÇAMBIQUE

quinta-feira, 10 de outubro de 2019

FILIPE CHIDUMO ALTO COMISSARIO/EMBAIXADOR DE MOÇAMBIQUE NO REINO UNIDO PARTICIPA NO ACORDO DE CONTINUIDADE COM MERCIAL COM PAISES DA SADC

"RU assina Acordo de Continuidade Comercial com países da SADC Maputo (O Autarca) – A Secretária Britânica de Comércio Internacional, Liz Truss, assinou o Acordo de Parceria Económica SACUM-UK ontem, durante a reunião de Ministros do Comércio da Commonwealth em Londres. O acordo comercial permitirá que empresas e consumidores britânicos se beneficiem do comércio continuado com a União Aduaneira da África Austral (nomeadamente África do Sul, Botswana, Lesoto, Namíbia, Eswatini e Moçambique, depois que o Reino Unido deixe a União Europeia. As partes também assinaram um Memorando de Entendimento, que fornecerá um mecanismo de ponte para permitir o acesso contínuo ao mercado no caso de o Reino Unido deixar a União Europeia sem acordo a 31 de Outubro de 2019, aguardando a ratificação do acordo. Moçambique esteve representado por Filipe Chidumo, Alto Comissário no Reino Unido."
FONTE: JORNAL O AUTARCA DE MOÇAMBIQUE

sexta-feira, 4 de outubro de 2019

MOÇAMBIQUE E PORTUGAL ACORDAM PROMOÇÃO DE INVESTIMENTO PRIVADO, APIEX E SOFID ASINAM PROTOCOLO EM MAPUTO

Segundo reportagem transmitida ontem pela TVM e hoje noticia publicada no Diário de Moçambique, com a presença de Suas Excelências o Ministro da Indústria e Comércio de Moçambique Professor Doutor Ragendra de Sousa e a Embaixadora de Portugal em Moçambique Dra Amélia Paiva, "Moçambique e Portugal manifestaram ontem o seu compromisso de fomentar bo investimento privado daquele pais europeu no pais.
NOTICIA DIFUNDIDA EM MOÇAMBIQUE PELA TVM E DIÁRIO DE MOÇAMBIQUE.

SALIMO ABDULA ABRE CONFERENCIA EM NICE, FRANÇA SOBRE SECTOR PRIVADO NO CENTRO DO CRESCIMENTO AFRICANO.

"NA PRINCIPAL REUNIÃO DO SETOR PRIVADO ÁFRICA – EUROPA QUE DECORRE EM NICE Salimo Abdula Preside Abertura do Painel “Sector Privado, no Centro do Crescimento Africano” Nice (O Autarca) – O influente empresário moçambicano e Presidente da Confederação Empresarial da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CE-CPLP), Salimo Abdula presidiu na manhã desta quinta-feira (03Out19), em Nice, França, a Abertura do Painel “Sector Privado, no Centro do Crescimento Africano” – Private Sector, at the heart of the african growth”, no quadro da realização, hoje e amanhã, do Choiseul Africa Business Forum, uma importante Reunião do Sector Privado África – Europa. O Choiseul Africa Business Forum, evento realizado todos os anos no coração da Riviera Francesa, reúne alguns dos mais influentes tomadores de decisão africanos e europeus para tirar proveito de sinergias insuficientemente exploradas e explorar novas oportunidades de parceria para o crescimento compartilhado. O empresário moçambicano Salimo Abdula foi destacado para presidir a Abertura do Painel “Sector Privado, no Centro do Crescimento Africano” – “Private Sector, at the heart of the african growth”, que incluiu outras seis importantes figuras do mundo empresarial europeu e africano, nomeadamente Sami AGLI, Presidente do Fórum de Chefes de Empresas (FCE) e CEO da argelina Agli Group; Protais AYANGMA AMANG, Presidente das Empresas de Camarões e PCA South Media Corporation; Apollinaire COMPAOR, Presidente do Conselho Nacional de Empregadores do Burkina Faso; Pierre GATTAZ, Presidente do Business Europe (da França); Philippe HEIM, Vice-Presidente Executivo da francesa Société Générale; e Noumory SIDIBE, Presidente do Comitê Nacional de Parcerias Público-Privadas da Costa do Marfim. O painel foi moderado por Virginie ATLAN, Chefe da Maison de la Metropole Nice Côte d' Azur (França). Compartilhar experiências e buscar outras parcerias fora da CPLP Na sua oração, Salimo Abdula enalteceu o convite e o destaque dado à Confederação Empresarial da CPLP para estar perante um público rico e poder compartilhar a sua visão do mundo de negócios dos países Africanos de língua portuguesa. Depois fez a apresentação da CE CPLP, tendo referido a existência da organização que desde 2004 (ano da sua fundação) reúne as entidades empresariais, comerciais, industriais, asPormenor da rica audiência constituída por influentes tomadores de decisão africanos e europeus, acompanhando a dissertação do empresário Salimo Abdula, esta manhã, em Nice sociações, cooperações e federações de todos os países membros da CPLP, visando o desenvolvimento e a cooperação. “Trabalhamos para criar e fortalecer rotas de investimentos nos países membros da CPLP, promovendo a cooperação e a parceria entre instituições lusófonas e outros interessados em negócios na CPLP”. O orador recordou que as economias dos países da CPLP sofreram sucessivas crises globais, citando o exemplo de Portugal que viveu momentos muito complicados, assim como Moçambique e Angola, mas também a Guiné-Bissau e o Brasil no nível político e social. E sublinhou que “para superar os maus momentos e tornar nossas economias mais robustas, defendemos acções em bloco na CPLP. Significa que, não Angola, Portugal, Moçambique ou Brasil sozinhos, mas aproveitar o potencial da CPLP, compartilhar experiências e buscar também outras parcerias fora da CPLP. Essa é mais uma razão pela qual estamos aqui hoje”. Explicou que existem boas possibilidades para a união e criação de empresas que se concentram em sectores produtivos que permitirão obter lucros, empregar pessoas e obter ganhos mútuos. “Hoje, podemos garantir uma união cada vez mais foerte, uma classe empresarial da CPLP mais coesa, aberta a cooperar e a apoiar todos que nos trazem soluções que contribuem para o nosso desenvolvimento social e crescimento econômico. Salimo Abdula apelou ao importante público de negócio reunido em Nice para que olhe para a CPLP e, em particularmente aos países africanos da CPLP, seus empreendedores e outros interessados como fontes válidas e alternativas de cooperação. “A CE-CPLP está aberta a trabalhar com Todos, em uma política de cooperação, com ganhos mútuos e excluindo completamente a cultura da expansão da “mão estendida” – concluiu. A edição 2019 do Choiseul Africa Business Forum termina amanhã e O Autarca promete trazer mais desenvolvimentos em suas próximas edições.■ (Redacção)"
FONTE: JORNAL O AUTARCA DE MOÇAMBIQUE.

sábado, 28 de setembro de 2019

CPLP REUNE EM LISBOA 2º FORUM INTERNACIONAL DE MOBILIDADE E INOVAÇÃO E A DIRECTORIA DA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL DA CPLP.

“Queremos livre circulação de pessoas, bens e capitais para alavancar os nossos negócios” - Maria da Assunção Abdula, Presidente da FME CE CPLP, no 2º Fórum Internacional de Mobilidade e Inovação, realizado segunda-feira, em Lisboa Lisboa (O Autarca) – A Presidente da Federação das Mulheres Empresárias e Empreendedoras da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (FME CE-CPLP), a proeminente empresária moçambicana Maria da Assunção Abdula, defendeu em Lisboa a importância de enriquecimento do debate sobre a necessidade de melhorar os mecanismos de mobilidade e incrementar a inovação nos processos públicos e privados dentro dos países da CPLP, possibilitando deste modo à melhoria do ambiente de negócios nos países da comunidade. Falando na abertura do 2º Fórum Internacional de Mobilidade e Inovação, realizado na última segundafeira (23Set19), em Lisboa, Maria Abdula destacou que é vital para um empresário ou empresária da CPLP poder investir, que as fronteiras de entrada nos países da comunidade não sejam barreiras para a fácil e rápida deslocação deste empresário. É importante que os recursos humanos com conhecimento e capacidade para inovar, não sejam ‘’travados’’ pelas barreiras burocráticas que muitas vezes tem constituído impedimento para o desenvolvimento dos nossos países” – salientou. “Nós estamos muito felizes porque houve uma grande aderência. Era necessário fazer este fórum porque a mobilidade é um dos grandes temas, um dos grandes desafios que nós temos na Federação. Queremos que seja algo que acontece nos nove países da CPLP. Nós queremos a livre circulação de pessoas, bens e capitais, para nós podermos alavancar os nossos negócios”. O 2º Fórum Internacional de Mobilidade e Inovação, organizado pela FME CE-CPLP, contou com a presença de 300 participantes, reunindo ainda 23 palestrantes, dentre os quais 19 mulheres líderes, que partilharam as suas experiências, conhecimento e ideias inovadoras com todos os presentes. A influente empresária Angolana, Isabel dos Santos, referindo-se a importância do encontro, sublinhou que “quando se faz algo relevante e único isso sempre se transforma em valor”, tendo apelado as mulheres empresárias e empreendedoras do espaço da CPLP a seguirem em frente e a olharem o mundo com determinação. Por seu turno, Nelma Fernandes, Vice-Presidente da FME CECPLP, descreveu o evento como sendo de extrema importância para o mundo empresarial feminino “porque o nosso foco é no emponderamento das mulheres”. Salimo Abdula, empresário moçambicano e Presidente da Confederação Empresarial da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CECPLP), que interveio na abertura do fórum, afirmou que “é aqui onde percebemos o potencial que temos também no empresariado feminino. Se nós Salimo Abdula, Presidente CE CPLP valorizar o importante contributo das mulheres da CPLP, através do seu trabalho e esforços ■ (Redacção/ FME CE-CPLP) conseguirmos emponderar de facto o poder económico do espaço da CPLP às mulheres, podem imaginar o que será a transformação desse sector, tornando-o mais activo, aquilo que é o valor agregado a CPLP”. Augura-se que iniciativas similares, sejam replicadas pela classe empresarial nos outros países da CPLP, contribuindo assim e actuando como agentes da transformação, desenvolvimento social e crescimento económico da Comunidade lusofona. Criada a 29 de Julho de 2016, em Lisboa, a FME CE-CPLP é uma organização que nasce da necessidade de"
FONTE: JORNAL O AUTARCA DE MOÇAMBIQUE
"Directoria da CE-CPLP se reúne em Portugal A directoria da Confederação Empresarial da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CE-CPLP) reú- ne-se anteontem, quarta-feira (25Set 19), em Albufeira, no Algarve, Portugal, em reunião ordinária dirigida pelo respectivo pre-sidente, o empresário moçambicano Salimo Abdula. O encontro debruçou a agenda de trabalho e o plano de actividades da entidade, estatuto, propostas de novos associados, entre outros assuntos. Ontem, entretanto, a CE-CPLP recebeu em Portugal a delegação de empresários do Estado do Paraná, promovida pelo seu associado FACIAP e seu presidente Marcos Tadeu. Ainda ontem, a CE-CPLP recebeu o Presidente da Câmara de Óbidos, Humberto Marques, que eseteve junto com empresários de Óbidos.■ (Redacção)"
FONTE: JORNAL O AUTARCA DE MOÇAMBIQUE

quinta-feira, 26 de setembro de 2019

JOAQUIM ALBERTO CHISSANO, ANTIGO PRESIDENTE DA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE, FAZ 80 ANOS A 22 DE OUTUBRO DE 2019, Para celebrar a data, foram programadas várias actividades com destaque para um simpósio diplomático que vai decorrer sob o lema “A politica externa e a diplomacia de Moçambique: Das origens ao presente”.

80º aniversário de Joaquim Chissano contará com simpósio diplomático
O antigo Presidente da República, Joaquim Chissano faz, a 22 de Outubro, 80 anos de idade.

Para celebrar a data, foram programadas várias actividades com destaque para um simpósio diplomático que vai decorrer sob o lema “A politica externa e a diplomacia de Moçambique: Das origens ao presente”.
Espera-se neste evento, a presença de estadistas e antigos estadistas africanos e de várias partes do mundo. ( RM)"
FONTE: RADIO MOÇAMBIQUE