sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

PORTUGAL EXPORTAÇÕES E MERCADOS APONTADOS PELA AICEP - AGENCIA PARA O INVESTIMENTO E COMÉRCIO EXTERNO DE PORTUGAL: FRANÇA E MOÇAMBIQUE

"AIMinho: “Aumentar as exportações é caminho de sentido único”
A palavra de ordem é aumentar as exportações portuguesas.
Uma missão que a AICEP- Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal está a levar a cabo pelo país com um Roadshow Portugal Global que, ontem, esteve na Associação Industrial do Minho, para falar aos empresários da região sobre as oportunidades de negócio que continuam a surgir em França (sector da moda) e sobre o espaço que se abre a novas empresas em Moçambique (sectores da construção e materiais de construção).

“O roadshow é um exercício de proximidade com as empresas a dois níveis: por um lado, a proximidade porque no longo roadshow em que cada uma das regiões nós ficamos dois, três dias antes, a visitar as empresas e ouvir as suas preocupações, e depois um exercício de proximidade neste evento em concreto, em que nós juntamos os principais empresários da região para abordar dois mercados destino em concreto e dois sectores que sejam relevantes. O papel da AICEP aqui é facilitar a vida dos empresários e tornar o processo de internacionalização o mais simplificado possível para eles”, afirmou ao ‘Correio do Minho’ Pedro Ortigão Correia, administrador da AICEP.

Perante uma plateia lotada de empresários, o presidente da Associação Industrial do Minho, António Marques, destacou o “facto de uma agência pública como a AICEP estar a sinalizar e apoiar os empresários no processo de internacionalização porque não temos alternativa senão olhar para outras geografias, olhar para outros mercados e, sobretudo, hoje o que assistimos aqui é a discussão de dois mercados: Moçambique e França. Vejo de uma agência pública total disponibilidade para colaborar connosco nas dificuldades, nos pontos fortes e fracos, nos riscos e, sobretudo, pôr toda a sua equipa ao serviço de todos para que as empresas possam aumentar as exportações”.

Na sua mensagem dirigida aos empresários, o presidente da AIMinho é peremptório a afirmar que “nós precisamos muito de aumentar as exportações, que é caminho de sentido único. Numa altura em que não há investimento público, em que não há possibilidade de crescer muito no consumo privado e no consumo público, a única alternativa é pôr as empresas, é facilitar a vida às empresas no sentido que as exportações subam”.
No seminário, os representantes da AICEP em Paris e Maputo traçaram o perfil destes mercados e as várias oportunidades de negócio.

"
FONTE: CORREIO DO MINHO, NEWSBRIEF E AICEP

MOÇAMBIQUE SESSÃO DO CONSELHO DE MINISTROS DE 21 DE OUTUBRO DE 2014

"O Conselho de Ministros realizou, no dia 21 de Outubro de 2014, a sua 25.ª
Sessão Ordinária.

Nesta Sessão, o Governo apreciou e aprovou:

Decreto que aprova o Regulamento da Lei que estabelece o Estatuto dos
Juízes Eleitos e revoga o Decreto n.º 3/96, de 10 de Janeiro.
Este Decreto, nos termos da alínea b) do artigo 23 da Lei n.º 15/2013, de
12 de Agosto, fixa o valor e a forma de pagamento dos honorários e da
participação emolumentar dos Juízes Eleitos.

O Decreto que aprova o Regulamento de Controlo de Tráfego de
Telecomunicações.O Regulamento estabelece as normas técnicas de instalação e funcionamento do sistema de controlo de tráfego transportado nas redes
de telecomunicações, com objectivo de monitorar o tráfego de
telecomunicações, visando garantir maior segurança nos serviços e
operadores de telecomunicações, através do controlo e harmonização de
tarifas de terminação internacional, proteger o utilizador dos serviços de
telecomunicações e assegurar a qualidade dos mesmos.

A Resolução que autoriza a Empresa África Great Wall Mining
Development Company, a aquisição do Direito de Uso e Aproveitamento
de Terra, relativo a uma área de 16.463.43 hectares, localizada nos
Postos Administrativos de Maquival, Micaune e Mopeia-Sede, nos
Distritos de Nicoadala, Inhassunge e Chinde respectivamente, na
Província da Zambézia, destinada à extracção mineira de titánio, ilmenite
e zircão.

A Resolução que autoriza a Empresa Highland African Mining Company,
Lda, a aquisição do Direito de Uso e Aproveitamento de Terra, relativo a
uma área de 12.671 hectares , localizada no Distrito de Mulevala,
Província da Zambézia, destinada à extracção mineira de tântalo.

O Conselho de Ministros apreciou, ainda, as informações sobre:

O Processo Eleitoral;

O diálogo entre o Governo e a Renamo;

A realização do Programa Nacional de Planificação e Finanças
Descentralizadas;

A Contratação de Serviços de Fornecimento de Capacidade Internacional
de Comunicação de Dados para a Rede Electrónica do Governo
(GOVNET), incluíndo serviços de acesso a internet;

O controlo da Ébola."
FONTE: PORTAL DO GOVERNO DE MOÇAMBIQUE.


segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

PORTUGAL GOVERNO DE PORTUGAL NEWSLETTER DE 19 DE OUTUBRO DE 2014

 
twitterinstagram
Newsletter
19 outubro
 
Saiba maisSaiba mais 
 
Em Destaque 
 
«ESTE ORÇAMENTO NÃO É FEITO A PENSAR NAS ELEIÇÕES»
2014-10-15 às 19:58
 
O Primeiro-Ministro afirmou que «este é um orçamento de realismo e que não é feito a pensar nas eleições». Pedro Passos Coelho disse ainda que «há políticos que acham que as eleições se ganham baixando impostos e aumentando salários», mas  «devo dizer que tenho muitas dúvidas de que as pessoas, os eleitores, raciocinem exatamente nesses termos». Estas declarações foram proferidas na sessão de encerramento do congresso da empresa municipal DNA Cascais.
 
Saiba maisSaiba mais 
 
 
ORÇAMENTO DO ESTADO PARA 2015 HONRA «TODOS OS COMPROMISSOS COM A EUROPA E COM OS PORTUGUESES»
2014-10-15 às 19:59
 
Com o Orçamento do Estado para 2015, «o Governo procura o ajustamento da economia, ao mesmo tempo que lança as bases para a retoma do crescimento», afirmou a Ministra do Estado e das Finanças, Maria Luís Albuquerque. «Com este diploma, honramos todos os compromissos, com a Europa e com os portugueses», salientou a Ministra. Estas declarações foram feitas na conferência de imprensa de apresentação do OE2015, no Ministério das Finanças.
 
Saiba maisSaiba mais 
 
 
É PRECISO O REJUVENESCIMENTO DAS EMPRESAS PARA AUMENTAR O INVESTIMENTO NO INTERIOR DO PAÍS
2014-10-10 às 21:39
 
«É um orgulho para Portugal que o prémio europeu de inovação empresarial seja dado a uma empresa portuguesa e é um orgulho para os portugueses que este prémio seja recebido aqui, no interior», afirmou o Vice-Primeiro-Ministro, Paulo Portas, em Vila Velha de Ródão, durante a visita à empresa de papel “tissue” AMS-BR Star Paper. Esta empresa foi galardoada na categoria de apoio ao desenvolvimento de mercados ecológicos e à eficiência dos recursos.
 
Saiba maisSaiba mais 
 
 
APRESENTAÇÃO DAS REFORMAS DO IRS E DA FISCALIDADE VERDE
2014-10-16 às 18:45
 
O Ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, Jorge Moreira da Silva, e o Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Paulo Núncio, apresentaram esta quarta-feira as reformas da fiscalidade verde e do IRS. Moreira da Silva destacou o carácter estrutural e duradouro da reforma da fiscalidade verde, enquanto Paulo Núncio afirmou que a reforma do IRS protege as famílias e simplifica o imposto.
 
Saiba maisSaiba mais 
 
 
«PORTUGAL SAIRÁ DO PROCEDIMENTO POR DÉFICE EXCESSIVO EM 2015»
2014-10-14 às 18:34
 
«Ao longo destes três anos, apesar da recessão, conseguimos baixar para 4% o défice e, no próximo ano, iremos reduzi-lo para 2,7%», afirmou o Primeiro-Ministro, sublinhando que esta será a primeira vez em 15 anos que Portugal terá um défice abaixo dos 3% e que irá cumprir o limite estabelecido pelo tratado que criou o Euro. Pedro Passos Coelho fez esta declaração durante uma visita ao concelho de Oleiros, onde foi recebido numa sessão solene nos Paços do Concelho, visitou duas empresas e presidiu à homenagem ao antigo presidente da Câmara, José Santos Marques.
 
Saiba maisSaiba mais 
 
 
DESTAQUES 
 
 
 
 
A reunião de Ministros dos Transportes do Mediterrâneo Ocidental (GTMO 5+5), que será presidida pelo Ministro da Economia, António Pires de Lima, tem lugar em Lisboa no dia 22 de outubro. Esta reunião assinala a passagem da presidência do GTMO 5+5 da Argélia para Portugal, para o período 2014-2016.
Saiba maisSaiba mais 
 
 
 
 
A A Garantia Jovem é o compromisso assumido pelo Governo para, num prazo de 4 meses, criar oportunidades para os jovens que terminem o ensino, ou para aqueles que percam o emprego. Os seus objetivos são: ajudar os jovens que queiram aumentar as suas qualificações, ajudar os jovens que queiram entrar no mercado de trabalho e diminuir o desemprego jovem. Este plano destina-se a todos os jovens até aos 29 anos que não estejam a estudar, a trabalhar, em formação ou em estágio. www.garantiajovem.pt
Saiba maisSaiba mais
 
 
 
 
O Governo alargou para 500 mil o número de famílias a pagar a tarifa social de eletricidade (até agora, apenas 60 mil estavam abrangidas). Ao mesmo tempo, reduziu a fatura social em 34% (até agora era 20%). Aos beneficiários do complemento solidário para idosos, rendimento social de inserção, subsídio social de desemprego e pensão social de invalidez, que eram elegíveis para esta tarifa, juntam-se agora todos os escalões do abono de família, a pensão social de velhice e consumidores com rendimento inferior a 4800 euros anuais, acrescidos de 50% por cada membro do agregado familiar.
Saiba maisSaiba mais 
 
 
 
 
O atual Governo, através do diálogo e de uma estratégia concertada de consensos, foi um dos que fez mais acordos com parceiros sociais e associações profissionais. Destacam-se: o acordo para o aumento do salário mínimo; o Compromisso para o Crescimento, a Competitividade e o Emprego; os acordos com a Associação Nacional de Municípios sobre gestão financeira e atribuições de competências; os contratos plurianuais com associações de instituições sociais; os acordos com os sindicatos de médicos e de professores.
Saiba maisSaiba mais 
 
Vídeos
 
Espaço do Cidadão
 
Orçamento de Estado  2015
 
A Ministra de Estado e das Finanças apresentou esta quarta-feira o Orçamento de Estado para 2015, que permitirá a Portugal ter o défice mais baixo da nossa democracia, 2,7% do PIB. Este défice permitirá ainda cumprir os critérios do Pacto de Estabilidade e Crescimento, fazendo com que Portugal feche o Procedimento de Défices Excessivos aberto contra Portugal pela Comissão Europeia em 2009. A Ministra realçou que «foi a determinação dos portugueses que abriu caminho para este objetivo, e foi o empenho do Governo que tornou o processo orçamental mais transparente, colocando também a tónica no combate à fraude e à evasão fiscal».
 
Espaço do Cidadão
 
Espaço do Cidadão
 
Através de uma única senha, num só local e com a ajuda de um funcionário, os cidadãos podem tratar da maioria dos seus assuntos com a Administração Pública nos Espaços do Cidadão que estão a ser instalados por todo o País, em colaboração com municípios, freguesias, correios e outras entidades. Até ao final de 2015 haverá em Portugal mais de mil Espaços do Cidadão, com os quais se complementará a rede de Lojas do Cidadão, que será progressivamente alargada a todos os municípios.
 
 
2014 Governo de Portugal"
FONTE: PORTAL DO GOVERNO DE PORTUGAL

AGRICULTURA, PRODUÇÃO ANIMAL, CAÇA,E SILVICULTURA EM CRESCIMENTO EM MOÇAMBIQUE 6,3%, AUMENTANDO A PRODUÇÃO DA MANDIOCA, FEIJÃO, TABACO, CITRINOS E FEIJÃO

Os dados das contas nacionais referentes ao II trimestre de 2014 indicam que os ramos da agricultura, produção animal, caça e silvicultura registaram um crescimento de 6.3% influenciados pelo aumento da produção da mandioca, feijão, tabaco e culturas de rendimento, especificamente citrinos e algodão.
Segundo informação divulgada recentemente pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), o ramo da pesca, por seu turno, cresceu em 5.5%, por causa do aumento na captura de camarão da pesca comercial e de outros produtos (caranguejo, peixe da água doce e marinho).
Entretanto, as indústrias extractiva e manufactureira registaram um crescimento de 12,6% e 12,5%, respectivamente.
Enquanto isso, o ramo da electricidade, gás e água cresceu 5.8%, tendo sido determinante para esta tendência a produção energia pela Hidroeléctrica de Cahora Bassa (HCB).
Na área de construção e montagem registou-se um crescimento de 10.0%, como resultado do volume de investimentos na construção e reabilitação de infra-estruturas públicas e privadas, nomadamente a asfaltagem das estradas (Nampula-Cumba, Marrupa-Ruaça, Mueda-Oasse, Mocimboa da Praia-Palma-Namoto), a construção da estrada circular em Maputo; do novo edifício do Banco de Moçambique, Fábrica Coca-Cola Sabco em Maputo e conclusão das obras de construção dos edifícios da Presidência da República, Aeroporto Internacional de Nacala e hospital provincial de Maputo.
Entretanto, o desempenho dos serviços de comércio e reparação teve um crescimento na ordem de 6.1% no II trimestre, resultado do comportamento positivo registado no sector real.
O ramo dos e transportes e comunicações cresceu em 3.9% como resultado do aumento nos serviços de transporte ferroviário de carga e do manuseamento portuário, para além do aumento do volume do tráfego de carga da marinha mercante derivada da revitalização da cabotagem.
Relativamente ao transporte ferroviário, embora com um decréscimo no tráfego de passageiros motivado pela interrupção temporária nas linhas-férreas de Limpopo e de Ressano Garcia, e da Linha de Sena devido às chuvas torrenciais, estes serviços foram compensados pelo transporte ferroviário de carga.
No transporte rodoviário registou-se crescimento significativo resultante do surgimento de novos operadores, devido, sobretudo, ao incremento da produção nos diferentes sectores como agrícola, comércio, construção e reabilitação de infra-estruturas rodoviárias.
O sector de transporte marítimo registou igualmente um aumento do número de passageiros devido ao impacto positivo das embarcações em serviço nas travessias Maputo-Catembe, Maputo-Inhaca, Inhambane-Maxixe, Beira-Búzi, Quelimane-Recamba, Quelimane-Chinde e no Lago Niassa.
Nas comunicações destacaram-se o crescimento na telefonia móvel devido a diferentes estratégias de marketing que estimulam a procura e aumento dos serviços das comunicações aliado à oferta de novos e modernos pacotes de serviços.
Segundo o INE, o ramo de restauração teve um crescimento de 7.9%, mercê do aumento da procura destes serviços e, consequentemente, o aumento do número de dormidas nos estabelecimentos hoteleiros e do volume de negócios."
FONTE: JORNAL NOTICIAS DE MOÇAMBIQUE.

sábado, 18 de Outubro de 2014

BRASIL ENVIA AJUDA HUMANITÁRIA PARA GUINÉ , SERRA LEOA E LIBÉRIA

"Sexta-feira, 17 de outubro de 2014 às 12:47

Brasil doa alimentos e material hospitalar para países africanos afetados pelo ebola

O governo brasileiro enviará ajuda humanitária de R$ 13,5 milhões em alimentos para os três países afetados pela epidemia de ebola: Guiné, Serra Leoa e Libéria. A medida foi anunciada esta semana pelo ministro da Saúde, Arthur Chioro, por meio do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (ONU). Serão enviados 6,4 mil toneladas de arroz beneficiado, no valor de R$ 6,3 milhões, e 4,6 mil toneladas de feijão, no valor de 7,1 milhões.
AjudaHumanitaria_paisesafricanos_ebola
Cada kit enviado contém 48 itens, sendo 30 tipos de medicamentos, incluindo antibióticos e anti-inflamatórios, e 18 insumos para primeiros-socorros, como luvas e máscaras. Fotos: Rondon Vellozo/MS
Além disso, o Ministério da Saúde enviará mais 10 kits de medicamentos e insumos, suficientes para atender cerca de cinco mil pessoas por três meses.
Anteriormente a essa ajuda, o governo brasileiro enviara cinco kits para Serra Leoa, cinco para Libéria e quatro para Guiné, além da doação de R$ 1 milhão à Organização Mundial da Saúde (OMS) para fortalecer ações e interromper a transmissão do ebola na África Ocidental. “Precisamos ajudar estes países a se estruturarem para que possam superar, não só à epidemia, mas também ao colapso econômico que vivem”, afirmou o ministro.
Fonte: Ministério da Saúde."
FONTE: PORTAL DO GOVERNO DO BRASIL BLOG DO PLANALTO.

NACALA - PORTO, MOÇAMBIQUE INSTALA FONTANÁRIOS MÓVEIS PARA ABASTECIMENTO DE ÁGUA, SERVINDO DESDE JÁ 40.000 RESIDENTES

FONTANÁRIOS móveis para o abastecimento de água estão a ser instalados em diversos bairros da cidade portuária de Nacala, em Nampula. Numa primeira fase, o projecto vai beneficiar pouco mais de 40 mil residentes daquela autarquia.
Trata-se de uma iniciativa integrada no rol de promessas eleitorais feitas pelo Presidente daquele município, Rui Chong Saw, aquando das eleições autárquicas de Novembro de 2013. Refira-se que durante a “caça” ao voto para a sua eleição a presidente do município de Nacala, Rui Saw prometeu que caso fosse eleito, uma das prioridades seria a solução da problemática da escassez de água, mesmo reconhecendo que já havia esforços de ampliação da barragem com vista a aumentar a capacidade de captação e distribuição.
No total são 16 fontes móveis de abastecimento com capacidade de 7500 litros cada, de água, beneficiando as unidades territoriais de Ribáuè, Mocone, Onthupaia, Nabulusa, Muanona e Triângulo.
A construção destas fontes, segundo dados apurados pela nossa Reportagem, custou cerca de 700 mil meticais aos cofres do município e alguns parceiros do sector privado. Aliás, este valor poderá aumentar em função das necessidades que surgirem durante a fase de implementação deste programa social.
Falando aos munícipes do bairro de Mucuaipa, no acto da entrega do primeiro lote daquelas fontes de abastecimento de água, Rui Saw reiterou a sua aposta de colocar estes meios nos 41 bairros que compõem a cidade, que ainda se confrontam com o problema de acesso a este líquido vital.
Antes da montagem deste sistema os moradores de todos os bairros abrangidos pelo projecto consumiam água imprópria, chegando alguns a usar água do mar para lavar roupa.
“Em toda a cidade esta operação vai permitir a montagem de 60 fontes móveis de água para o abastecimento do líquido aos nossos munícipes, enquanto o projecto da barragem ainda não for concluído, que vai beneficiar um universo de 150 mil residentes da nossa cidade”, prometeu Rui Saw.
A gestão deste projecto é da responsabilidade dos responsáveis dos respectivos bairros e unidades territoriais, onde está implantado e a sua aquisição é gratuita, cabendo ao município fornecer os tanques móveis de água montados, semanalmente, em todas as segundas, quartas e sextas-feiras, de acordo com Rui Chong Saw.
Mesmo considerando que a situação de fornecimento de água aos munícipes desta autarquia tenha registado alguma melhoria, com colocação destes novos tanques, o edil de Nacala-Porto entende que esforços devem ser empreendidos durante o seu mandato no sentido de fornecer mais água à população mais carenciada, como a de Mahelene e Lile, que nunca tiveram abastecimento de água potável desta natureza.
“Está nos planos para este mandato acabar com o problema da escassez de água que  se faz sentir no seio dos nossos munícipes. Para o efeito, contamos com o apoio técnico do FIPAG”, anotou o presidente do município de Nacala-Porto, que durante a semana toda procedeu à entrega do sistema de abastecimento em diversos bairros da cidade."
FONTE: JORNAL NOTICIAS DE MOÇAMBIQUE.

PREÇOS AGRICOLAS DE MOÇAMBIQUE MANTIVERAM-SE ESTAVEIS DE 6 A 13 DE OUTUBRO 2014, POSSIVELMENTE PELA DISPONIBILIDADE E FLUXO REGULAR NAS ZONAS DE PRODUÇÃO, DIZEM OS COMERCIANTES

Os preços dos produtos agrícolas mantiveram-se estáveis na maioria dos mercados retalhistas monitorados pelo Sistema de Informação de Mercados Agrícolas (SIMA) no período compreendido entre os dias 6 e 13 de Outubro do ano corrente.
Os comerciantes entrevistados associam a estabilidade de preços com a disponibilidade e fluxo regular dos produtos nas zonas de produção.
Para o caso do milho, quase todos os mercados retalhistas observaram estabilidade de preços, entretanto, o mercado da cidade de Montepuez foi o único que registou uma subida de 11 por cento, pelo que o consumidor passou a pagar 9,52 meticais o quilocontra os anteriores 8,57 meticais o quilo.
De um modo geral, o preço mais alto de 13,20 meticais o quilo está a ser praticado no mercado de Xikhelene (cidade de Maputo) e o preço mais baixo de 5,71 meticais o quilo está em vigor no mercado da vila de Ulónguè, no distrito de Angónia.
Relativamente ao arroz corrente também observou-se uma estabilidade de preço na maioria dos mercados, contudo, três subidas foram reportadas nos mercados das cidades de Chimoio (15 por cento), Montepuez (20 por cento) e Cuamba (17 por cento), como resultado destas subidas o preço ao consumidor passou a ser 28,67 meticais o quilo em Chimoio, 30,00 meticais o quilo em Montepuez e 30,00 meticais o quilo em Cuamba.
Para a farinha de trigo, tal como o arroz e milho, o preço também está estável na maioria dos mercados. A estabilidade deste produto foi acompanhada por uma subida de 33 por cento observada no mercado da cidade de Pemba, onde o consumidor passou a pagar 40,00 meticais o quilo e uma queda de 10 por cento reportada no mercado da cidade de Cuamba passando o consumidor a pagar 22,50 meticais o quilo.
No período em análise, os preços de feijão nhemba, feijao manteiga e amendoim também mostraram cenário semelhante ao dos cereais.
A estabilidade do preço de feijão nhemba foi acompanhada por uma queda de seis por cento reportada na cidade de Inhambane onde o preço ao consumidor atingiu 21,31 meticais o quilo.
Para o feijão manteiga foi reportada uma subida de 25 por cento no mercado da cidade de Montepuez, onde os consumidores passaram a pagar 50,00 meticais o quilo.
Em relação ao amendoim pequeno, a estabilidade foi acompanhada por duas quedas de 29 por cento e 14 por cento observadas nos mercados de Chókwè e Nampula, respectivamente. Como resultado das quedas, o preço ao consumidor passou para 50,00 meticais o quilo em Chókwè e 30,00 meticais o quilo em Nampula.
Cenário contrário foi registado no mercado da cidade de Inhambane na ordem de 33 por cento custando ao consumidor 40,00 meticais o quilo.
Para o amendoim grande duas subidas de 9 por cento e 11 por cento foram verificadas nos mercados das cidades de Lichinga e Cuamba respectivamente, passando esta oleaginosa a custar 38,00 meticais o quilo em Lichinga e 66,67 meticais o quilo.
MILHO DE NHAMATANDA CONTINUA A ENTRAR EM MAPUTO
Em termos de fluxo de produtos destaca-se que nazona Sul do país, o mercado Xiquelene recebeu nesta semana, milho proveniente dos distritos de Gorongosa e Nhamatanda, onde os comerciantes compraram a 22,00 meticais e 25,00 meticais a lata de 5 litros, respectivamente. No mercado da cidade de Chókwè foi encontrado à venda milho produzido no distrito de Guijá onde custou 130,00 meticais a lata de 20 litros.
Os mercados de Manhiça, Palmeiras e Bobole, na província de Maputo, foram abastecidos com milho de Nhamatanda, onde os comerciantes pagaram 30,00 meticais a lata de 5 litros.
Na zona centro, no mercado da cidade da Beira deu entrada milho adquirido no distrito de Guro, na província de Manica, onde o preço praticado foi de 100,00 meticais a lata de 20 litros. Para além do milho de Guro este mercado também recebeu milho do distrito de Nhamatanda adquirido a 30,00 meticais a lata de 20 litros.
Enquanto no mercado da vila de Gorongosa tem à venda milho proveniente dos Postos Administrativos de Nhamazi e Vunduzi onde, o preço de aquisição foi de 30,00 meticais a lata de sete litros. O mercado da cidade de Manica foi abastecido com milho produzido no Posto Administrativo de Mavita comprado a 120,00 meticais a lata de 20 litros e no mercado da cidade de Chimoio tem disponível para à venda milho adquirido no distrito de Gondola onde custou 120,00 meticais a lata de 20 litros.
Ainda na zona centro, a cidade de Tete está a consumir milho produzido no distrito de Macanga onde foi comprado a 115,00 meticais a lata de 20 litros. A cidade de Quelimane está a consumir milho produzido no distrito de Morrumbala, onde os comerciantes pagaram 140,00 meticais a lata de 20 litros.
Na cidade de Mocuba está a ser comercializado milho comprado no distrito de Lugela a 6,00 meticais o quilo. O mercado da vila de Alto Molócuè recebeu o milho de Nauela e Chapala, onde custou 7,50 meticais o quilo. No mercado da vila Úlongue no distrito de Angónia, deu entrada milho de Domué, Chimuara e Tsangano, onde o preço de aquisição foi de 80,00 meticais a lata de 20 litros.
Na zona norte, o mercado da cidade de Montepuez recebeu milho das localidades circunvizinhas, onde custou nas zonas de produção 500,00 meticais o saco de 50 quilos. No mercado da cidade de Lichinga foi encontrado à venda milho dos distritos de Magoe e Sanga, onde os comerciantes pagaram 120,00 meticais a lata de 20 litros.O mercado da cidade de Cuamba foi abastecido com milho produzido na respectiva província, nas zonas de produção custou 130,00 meticais a lata de 20 litros
 
Mercado
Milho Branco
Arroz Corrente
Feijão Manteiga
06/Out/14
13/Out/14
06/Out/14
13/Out/14
06/Out/14
13/Out/14
MAPUTO
-
13,20
-
30,00
-
44,91
CHOKUE
7,45
7,45
30,00
30,00
50.00
50,00
INHAMBANE
-
-
29,33
30,00
50,00
60,00
MAXIXE
9,80
9,80
26,00
26,00
50,00
50,00
MASSINGA
6,57
6,75
28,00
28,00
50,00
50,00
CHIMOIO
8,00
8,00
25,00
28,67
34,00
34,00
PEMBA
10,39
10,39
25,00
25,00
35,00
35,00
MONTEPUEZ
8,57
9,52
25,00
30,00
40,00
50,00
LICHINGA
6,86
6,86
35,00
35,00
35,00
35,00
CUAMBA
7,81
8,00
30,00
35,00
50,00
50,00
Fonte: SIMA
Maputo 16 Outubro 2014."
FONTE: JORNAL NOTICIAS DE MOÇAMBIQUE.