quinta-feira, 17 de agosto de 2017

GOLFE NA BEIRA, SOFALA MOÇAMBIQUE, CLUBE DE GOLFE DA BEIRA PROMOVE TORNEIO A 20 DE AGOSTO, DIA DA CIDADE DA BEIRA, CLUBE COM 110 ANOS, POIS FOI CRIADO EM 1907, ANO DA CIDADE DA BEIRA

Clube de Golfe da Beira promove torneio alusivo ao 20 de Agosto Beira (O Autarca) – O Clube de Golfe da Beira (CGB) promove neste fim-de-semana um torneio especial alusivo ao 20 de Agosto, Dia da Cidade da Beira. O evento espera contar com a participação de dezenas de atletas praticantes da modalidade de golfe na cidade da Beira, entre cidadãos nacionais e estrangeieros de ambos os sexos. Já é uma prática tradicional o Clube de Golfe da Beira promover torneios especiais para celebrar o dia de aniversário da cidade da Beira. O evento constituirá mais um atractivo às festividades do 20 de Agosto, dia da Beira, em que este ano a urbe celebra o 110 anos da sua eleva- ção à actual categoria de cidade. O Clube de Golfe da Beira, um dos melhores estruturados ao nível do país, representa neste momento a maior agremiação promotora da modalidade de golfe a escala nacional. Refira-se que o Clube de Golfe da Beira, fundado em 1907, tem a mesma idade da cidade da Beira: 110 anos. É uma das agremiações desportivas mais antigas não só da cidade da Beira, como também do país no seu todo.■ (Chabane Falume)"
FONTE: O AUTARCA, JORNAL DE MOÇAMBIQUE.

terça-feira, 15 de agosto de 2017

CARLOS MESQUITA, MINISTRO DOS TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES DE MOÇAMBIQUE, CONFERE POSSE AOS ADMINISTRADORES DA EMODRAGA, RESPECTIVAMENTE ROGERIO SIMANGO E ARÃO MASSINGUERELA, CERIMÓNIA REALIZADA NA CIDADE DA BEIRA

Ministro Carlos Mesquita confere posse aos Administradores da Emodraga-EP - Trata-se de Rogério Simango, Administrador do Pelouro de Manutenção (Reconduzido) e Arão Massinguerela, Administrador da Área de Produção, nomeado em substituição de Simões Francisco Beira (O Autarca) – O Ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita, conferiu posse na manhã da última sexta-feira (11), na cidade da Beira, a dois Administradores da Empresa Pública Moçambicana de Dragragens (EMODRAGA-EP), recentemente nomeados para aquelas fun- ções de gestão. Trata-se de Rogério Simango, Administrador do Pelouro de Manuten- ção, que foi recentemente reconduzido para o cargo, premeando o seu bom desempenho no mandato anterior, e Arão O Ministro Carlos Mesquita (no meio) ladeado pelos Administradores empossados. Rogério Simango (a esquerda) e Arão Massinguerela (a direita) numa posteridade de família
As mulheres da Emodraga-EP tiveram protagonismo na cerimónia de tomada de posse dos Administradores da empresa, tendo os homenageado juntamente com o respectivo PCA, Domingos da Conceição Bié (no meio), promovendo o ritual do uso da capulana como simbolo de poder no universo do género empresa ora nomeado para Administrador do Pelouro de Produção em substituição de Simões Francisco, que não foi para além de um mandato na posição. Com a nomeação e tomada de posse dos dois Administradores, fica completo o quadro do Conselho de Administração (CA) da EMODRAGAEP, recordando-se que o respectivo PCA, Domingos da Conceição Bié, foi recentemente nomeado pelo Conselho de Ministros e conferido posse pelo Primeiro-Ministro Carlos Agostinho do Rosário, em Maputo. Refira-se que Domingos da Conceição Bié, um quadro de confiança do Governo que veio de fora da empresa substituiu Tayob Adamo, que não podia mais renovar depois de cumprir o limite de três mandatos a frente dos destinos da EMODRAGA-EP. No seu discurso após conferir posse aos dois Administradores, o Ministro dos Transportes e Comunica- ções, Carlos Mesquita, explicou aos presentes que o processo de nomeação do novo Conselho de Administração é consequência do término do mandato do CA anterior. Referindo-se aos empossados, Carlos Mesquita explicou que os cargos para os quais foram nomeados e empossados é uma responsabilidade de Direcção, de Liderança e acima de tudo de saber trabalhar em equipe. “É uma responsabilidade de saber trabalhar com todos os trabalhadores da empresa e todos outros actores que de uma forma ou de outra tem uma rela- ção directa para o bom desempenho da Empresa de Dragagens de Moçambique. Ao Administrador que cessou, o Ministro transmitiu agradecimentos por todo trabalho que desenvolveu, os ensinamentos que foi deixando e desejou para que, com toda humildade, continue a dar o seu melhor para os desafios que existem para o presenmte e o futuro da EMODRAGA-EP e de todo o sector de Transportes e Comunicações. “Este é um programa de sucessão que não deve acarrectar problemas de indolo de desentendimento, pois o dia de amanhã não sabemos e quando chegar o nosso dia de sair também temos que sair com a tranquilidade necessária porque não somos eternos e este é o ciclo da vida” – apelou o Ministro Carlos Mesquita.■ (Chabane Falume) "
FONTE: O AUTARCA, JORNAL DE MOÇAMBIQUE.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

ALEMANHA E MOÇAMBIQUE: ALEMANHA APOIA EDM NA MODERNIZAÇÃO DA REDE ELECTRICA EM MOÇAMBIQUE

"Alemanha apoia programa de modernização da rede elétrica em Moçambique Maputo (O Autarca) – Mo- çambique e Alemanha assinaram um acordo, em Maputo, ao abrigo do qual aquele país europeu vai desembolsar cerca de 15 milhões de euros para a operacionalização do Projecto de Modernização da Rede Elétrica Fase II. O projecto, que deverá arrancar nos próximos seis meses, liga o parque industrial de Beleluane, as á- reas residenciais próximas, na Matola, província meridional de Maputo. Rubricaram o acordo, a viceministra os Negócios Estrangeiros e Cooperação, Nyeleti Mondlane, em representação do governo moçambicano, e o Embaixador Extraordinário e Plenipotenciário da Alemanha, acreditado em Moçambique, Detlev Wolter. Falando minutos após a assinatura do acordo, Nyeleti Mondlane explicou que a energia constitui um dos pilares estratégicos eleitos pelo Executivo, pelo papel que desempenha na transformação económica, bem como na inclusão social dos moçambicanos. Além de concorrer para a expansão do acesso à energia e alavancar as actividades económicas, o acordo, segundo a ministra, deverá reduzir as “assimetrias no desenvolvimento entre as zonas rurais e urbanas”. Frisou que o valor deverá tornar a rede eléctrica “cada vez mais robusta” e, com isso, ter capacidade para atender às necessidades crescentes, considerando os desafios da diversificação económica do país. Por seu turno, Wolter explicou que o projecto prevê a construção de uma nova subestação de 66/33 Kilovolts, e de novas redes de baixa tensão (33 Kilovolts), no parque industrial. O projecto, de acordo com o diplomata alemão, vai permitir a conexão do parque com a rede eléctrica da Electricidade de Moçambique (EDM). “O projecto assumirá uma importância estratégica no desenvolvimento económico de Moçambique no futuro”, disse o diplomata alemão Detlev Wolter, para depois acrescentar que vai impulsionar o ambiente de negócios, bem como a criação de emprego na província de Maputo.■ (Redacção):"
FONTE: O AUTARCA JORNAL DE MOÇAMBIQUE.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

JOÃO FIGUEIREDO ELEITO PCA DO MOZABANCO

Moza Banco assume novo posicionamento no mercado João Figueiredo, o novo PCA do Moza Banco indicado pelos accionistas bique Capitais (10%) e Novo Banco (10%), deram um claro sinal de confiança na equipa de gestão liderada por Figueiredo, assim como renovaram o seu compromisso de dotarem o Moza com a capacidade necessária para instituição ocupar um papel de maior relevo no panorama do Sistema Financeiro Nacional. Refira-se que com a injecção de capital por parte do novo accionista - a Kuhanha, o Moza tornou-se a instituição financeira melhor capitalizada do mercado, com capital social de dez mil duzentos e noventa e nove milhões e duzentos mil Meticais, cerca de seis vezes acima do novo mínimo imposto pelo Banco Central aos bancos comerciais, fixado em mil e duzentos milhões de Meticais.■ (Redacção) Maputo (O Autarca) – Os accionistas do Moza Banco reunidos em Assembleia Geral Extraordinária, realizada na passada sexta-feira, dia 28 de julho corrente, aprovaram os novos órgãos sociais, que tem como Presidente do Conselho de Administração Executivo, João Figueiredo, assim como um novo plano estratégico de actuação no Mercado. A agenda de trabalhos da Assembleia Geral incluiu também o informe sobre o processo de aumento de capital social aprovado da última reunião da Assembleia Geral; a ratificação da contratação da empresa de auditoria externa para o exercício de 2016; deliberação sobre a contratação da empresa de auditoria externa para o exercício de 2017; apreciação e deliberação relativa ao Relatório e Contas do último exercício; entre outros pontos. O evento marca assim o fim da intervenção do Banco de Moçambique naquela instituição financeira, operada em finais de setembro do ano transacto, encerrando assim um período de cerca de oito meses de alguma incerteza quanto ao futuro da instituição. Em mensagem dirigida aos colaboradores o PCA Executivo do Moza anunciou o início de um novo ciclo, no qual o banco se encontra melhor preparado para enfrentar os desafios do futuro. “Hoje, com o término da interven- ção do Banco de Moçambique, podemos com firmeza anunciar o fim de um ciclo do nosso banco, dando por encerrado o capítulo do saneamento e reequilíbrio da estrutura financeira e patrimonial. Assim, é com toda a clareza que podemos dizer que terminamos esta fase com pleno sucesso. O Banco Moza é hoje uma Instituição capitalizada, estruturalmente sólida, cumpridora dos rácios prudenciais regulamentares, e segura para os seus depositantes”. De acordo com o PCA do Moza, a instituição vai manter a sua essência enquanto Banco Universal, orientado na oferta de um serviço diferenciado e de qualidade excepcional, através da oferta de produtos e serviços ajustada as necessidades específicas de cada cliente, com particular enfoque nas micro, pequenas e médias empresas, assim como nos clientes particulares. "
FONTE. JORNAL O AUTARCA DE MOÇAMBIQUE.