domingo, 30 de março de 2014

HOLANDA EM CABO VERDE APOSTA NA VERTENTE EMPRESARIAL

"ECONOMIA

A SEMANA :

Empresas holandesas depositam grandes expectativas em Cabo Verde 26 Março 2014

Os empresários holandeses já estão em Cabo Verde para a primeira missão de negócios no país. Entre encontros e contactos com homólogos locais, as expectativas não poderiam ser melhores. E já há quem trace projectos para possíveis investimentos, como é o caso da BAM Internacional, empresa de construção marítima, que quer participar na ampliação do Aeroporto Internacional da Praia, no Porto de Águas Profundas e no Terminal de Cruzeiros em São Vicente.

Empresas holandesas depositam grandes expectativas em Cabo Verde
Em conversa com o asemanaonline, Rens de Rijke, representante da BAM Internacional em África, lembra que esta é a segunda vez que pisa solo cabo-verdiano, pois esteve nestas ilhas antes para participar na construção do Porto da Palmeira, na ilha do Sal. E é com imenso entusiasmo que anuncia três novos projectos em que a empresa está disposta a investir: a ampliação do Aeroporto Internacional da Praia, o Terminal de Cruzeiros e o Porto de Águas Profundas em São Vicente. Nesta missão, Rens de Rijke diz que a ideia é ver as condições do país para só depois fazer investimentos.
Quem também está de olhos postos nos investimentos em Cabo Verde é a Van Oord, um empreiteiro internacional de dragagem, engenharia naval e projectos de alto mar. Ruud Romijn, representante para África, diz que o objectivo é colocar as suas máquinas ao dispor de empresas locais no sentido de realizarem projectos conjuntos, sobretudo na Praia e em São Vicente. “Esta primeira missão serve para ter uma impressão do país e das suas gentes, para ver possibilidades de trabalho”, diz Ruud Romijn. Este responsável perspectiva bons contactos nos próximos dois dias da missão, que depois da cidade da Praia segue para uma ronda de contactos no Mindelo.É uma boa oportunidade, diz o presidente dos Jovens Empresários de Cabo Verde (AJEC), Paulino Dias, para as empresas nacionais aproveitarem a experiências das suas congéneres estrangeiras. “Apesar de estar a evoluir fortemente, o nosso sector privado precisa de parceria externa para determinados investimentos”, entende Paulino Dias. Entende que se trata de uma missão positiva, uma vez que Cabo Verde ainda tem possibilidades de investimentos em sectores-chaves e de crescimento.Além disso, oferece oportunidades em sectores como a logística marítima e aérea, tem uma situação estável, um ambiente de negócios que dá mostras de melhorias e uma mão-de-obra relativamente qualificada. Mas ainda há muito a fazer em Cabo Verde. O presidente da AJEC diz que cabe ao sector público criar essas condições para favorecer o ambiente de negócios e atrair mais competitividade e fazer as reformas que se impõem.
Paulino Dias e os representantes das empresas falavam ao asemanaonline na tarde desta segunda-feira durante uma recepção ao grupo de empresários da missão holandesa. A nova Cônsul dos Países Baixos em Cabo Verde também esteve no encontro. Maria João Novais, que terá o “grande desafio” de substituir Humberto Bettencourt, diz que o seu trabalho começou com esta missão, mas o objectivo é trazer outras missões, mas também levar empresários cabo-verdianos para visitar Holanda. Com isso, diz que estão abertas as portas para dar novo rumo de relações entre os dois países.
RP"
FONTE: JORNAL A SEMANA DE CABO VERDE.

DOM DINIS SENGULANE MISSA DE DESPEDIDA DO BISPO ANGLICANO QUE SE REFORMA A PARTIR DE HOJE, MAS SEMPRE PRESENTE NAS CAUSAS SOCIAIS

A STV UMA DAS TELEVISÕES DE MOÇAMBIQUE TRANSMITIU EM DIRECTO A MISSA DE DESPEDIDA ESTE DOMINGO DE DOM DINIS SENGULANE BISPO ANGLICANO QUE SE REFORMA, MAS ESTARÁ SEMPRE PRESENTE NAS CAUSAS SOCIAIS. COM A PRESENÇA DE MUITA GENTE E DE INDIVIDUALIDADES DA POLITICA MOÇAMBICANA.UM LINDA CERIMÓNIA ONDE O TEMA PAZ E RECONCILIAÇÃO NACIONAL PARA MOÇAMBIQUE FOI O MOTE!

sábado, 29 de março de 2014

BEIRA CAPITAL DA PROVINCIA ONDE SE SITUA GORONGOA PNG PARQUE NACIONAL DA GORONGOSA

MARÇO DE 2014, VISTA AÉREA PARCIAL DA CIDADE DA BEIRA, CURIOSAMENTE FAZ ESTE ANO CINQUENTA ANOS, ALGURES ENTRE MAIO E JUNHO,  A PUBLICAÇÃO DA OBRA "MOÇAMBIQUE, GORONGOSA-SAFARIS, SANTUÁRIO BRAVIO" DE JOSÉ MARIA D´EÇA DE QUEIROZ. INICIA O AUTOR A OBRA "POR UMA CLARA E MACIA TARDE DE MAIO, SOB O CÉU  LUMINOSO DE LISBOA...EMBARCÁMOS PARA UMA VIAGEM QUE FOI SEM DÚVIDA UMA DAS MAIS BELAS EXPERIÊNCIAS EM QUE QUALQUER DE NÒS SE VIU ENVOLVIDO: OBSERVAR, FOTOGRAFAR E FILMAR OS GRANDES E PEQUENOS ANIMAIS SELVAGENS - NAS FLORESTAS, PLANICIES, LAGOAS E SAVANAS DE MOÇAMBIQUE", TERMINA EM PRAIA DA GRANJA -1964.
A TVM TELEVISÃO DE MOÇAMBIQUE APRESENTOU HOJE 29 DE MARÇO DE 2014 NO SEU NOTICIÁRIO DAS 20H00M UMA REPORTAGEM SOBRE A INAUGURAÇÃO DE UM CENTRO EM BIODIVERSIDADE NO PARQUE NACIONAL DA GORONGOSA ENCONTRAVA-SE PRESENTE O EMBAIXADOR DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA ENTRE OUTRAS INDIVIDUALIDADES, ESTE DIPLOMATA TECEU LARGOS ELOGIOS À UNIVERSIDADE DE COIMBRA, PORTUGAL PELO SEU APOIO E ENVOLVIMENTO CIENTIFICO NESTA INICIATIVA.
 

quinta-feira, 27 de março de 2014

GUEBUZA PRESIDENTE DA REPUBLICA DE MOÇAMBIQUE FAZ UMA AVALIAÇÃO POSITIVA DAS RELAÇÕES BILATERIAIS MOÇAMBIQUE PORTUGAL

Cooperação com Portugal: Guebuza satisfeito
alt
O Presidente da República, Armando Guebuza, destacou esta quinta-feira em Maputo, que Moçambique aposta na criação de um empresariado mais forte e com capacidade para estabelecer parcerias com seus congéneres estrangeiros, num ambiente de respeito, ganhos e benefícios mútuos.Falando na abertura do seminário empresarial “Portugal e Moçambique: Impulsionando parcerias para o Desenvolvimento Sustentável”, Guebuza explicou que Moçambique é um país com muitas oportunidades, cuja exploração exige maior empenho do empresariado nacional e estrangeiro.Referiu ser neste contexto que o governo continua a fazer tudo para que Moçambique seja um país de referência mundial para o investimento estrangeiro num ambiente de uma partilha cada vez mais justa dos benefícios desses investimentos.
“Nós fazemos uma avaliação positiva das relações bilaterais entre os dois países, tanto é que nos últimos seis anos Portugal injectou na economia moçambicana mais de seis biliões de dólares norte-americanos em investimentos”, explicou o estadista moçambicano.Na ocasião, apontou as áreas da agricultura, energias renováveis, pescas, turismo, infra-estruturas, industria e comércio, entre outras, como sendo áreas que precisam do estabelecimento de parcerias para se aproveitar as vastas oportunidades de negócio que Moçambique oferece.A este potencial, segundo Guebuza, juntam-se outras iniciativas que se abrem com a descoberta de novos recursos minerais abrindo um vasto espaço para o estabelecimento de parcerias para prestação de serviços de apoio a indústria extractiva.“As parcerias a serem estabelecidas neste âmbito vão complementar o papel desempenhado pelo sector público na criação de um ambiente favorável ao investimento”, disse o Chefe do Estado moçambicano.Por seu turno, o Primeiro-ministro português, Pedro Passos Coelho, reconheceu que Moçambique é uma das economias de destaque no continente africano e com uma elevada taxa de crescimento que atingiu 7,1 por cento em 2013. Aliás, as projecções indicam para a manutenção desta dinâmica ao longo dos próximos anos.“O clima económico é particularmente propício para esse efeito e a inflação revelou-se estável em 2013, na ordem dos 3,5 por cento”, disse Passos Coelho.As descobertas de enormes reservas de hidrocarbonetos e a promoção de medidas conducentes a uma melhoria do clima de negócios têm permitido atrair investidores e empresários e criar novas expectativas para o desenvolvimento da economia moçambicana.Nos últimos anos, segundo Passos Coelho, o Governo moçambicano tem feito uma clara aposta em grandes projectos de investimento centrados na exploração de recursos naturais, como o carvão e o gás.“Prevê-se que os projectos em Tete e em Cabo Delgado sejam, por sua vez, catalisadores de outros investimentos de grande relevância, tais como a implementação de obras de infra-estruturas de produção e de modernização da rede de transportes”, apontou o Primeiro-ministro português.As empresas portuguesas, segundo Passos Coelho, estão empenhadas em continuar a dar o seu contributo em todos esses projectos, apoiando o desenvolvimento e a competitividade da economia moçambicana.
(RM/AIM)"
FONTE RÁDIO MOÇAMBIQUE

PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS E MEGAPROJECTOS DE MOÇAMBIQUE EM ENCONTRO DE TRABALHO A 17 DE ABRIL EM MAPUTO


"PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS E MEGAPROJECTOS EM ENCONTRO DE TRABALHO.

A capital Moçambicana, Maputo deverá acolher a 17 de Abril próximo um encontro de trabalho envolvendo representantes das pequenas e médias empresas e megaprojectos acti8vas em Moçambique. O evento deverá contar com cerca de 300 participantes das áreas do Comércio e indústria, principalmente, segundo apurou o correio da Manhã junto de Carlos Henriques, Presidente da Associação de Comercio e Industria (ACIS), instituição criada em 2000 para promover maior participação de firmas nacionais no desenvolvimento de Moçambique.O encontro visa, basicamente, encontrar melhores formas das pequenas e médias empresas impulsionarem o desenvolvimento da economia nacional me ultrapassar as limitações estruturais que estão a enfrentar pelo facto de possuírem menos recursos financeiros, conhecimentos sobre a gestão empresarial e fraco grau de especialização. Henriques realçou que o evento de Abril vai ainda estabelecer estratégias para a inversão do actual cenário de pouca participação e contribuição das pequenas e médias empresas moçambicanas nas actividades dos grandes projectos industriais em curso no país.Sobre os megaprojectos, Henriques esclareceu que a capacitação e assistência técnica destes às pequenas e médias empresas locais não deve ser considerada como “mera actividade de responsabilidade social, mas sim como parte da obrigação dos megaprojectos em apoiar as pequenas e médias empresas a se inserirem nos seus programas produtivos”.Carlos Henriques falava esta terça-feira, em Maputo, à margem da cerimónia preparatória do encontro de 17 de Abril de 2014.A sua agremiação junta pouco mais de 380 membros representante de pequenas médias e grandes empresas moçambicanas."
FONTE: CORREIO DA MANHÃ

quarta-feira, 26 de março de 2014

PORTUGALGOVERNO DE PORTUGAL NEWSLETTER DE 25 MARÇO DE 2014

 
Newsletter
25 março 2014
 
 Saiba maisSaiba mais
 
Em Destaque 
 
«O futuro da economia passa pela internacionalização»
 
2014-03-24 às 13:04
 
 
«O futuro da economia passa por darmos continuidade ao processo de internacionalização em curso, sendo o comércio externo um dos pilares essenciais do programa de recuperação económica de Portugal», afirmou o Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, na abertura do seminário sobre a Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento, em Lisboa.
 
Saiba maisSaiba mais 
 
 
É necessário conciliar as potencialidades da natureza com a mitigação das ameaças crescentes que este recurso atravessa
 
2014-03-21 às 16:05
 
 
Na data em que se celebra o Dia Mundial da Floresta, e na véspera do Dia Mundial da Água, o Ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, Jorge Moreira da Silva, afirmou que «é necessário aprendermos a tirar partido da Natureza, conciliando as suas potencialidades com a mitigação das ameaças crescentes que este recurso atravessa».
 
Saiba maisSaiba mais 
 
 
Acordo sobre união bancária «é um passo muito importante» para combater fragmentação financeira
 
2014-03-21 às 14:49
 
 
O Primeiro-Ministro afirmou que «demos um passo muito importante para acelerar tudo o que são mecanismos que nos permitirão combater» a fragmentação financeira, referindo-se ao acordo entre o Parlamento Europeu e o Conselho Europeu (Chefes de Estado ou de Governo) sobre o mecanismo único de resolução bancária da União Económica e Monetária. Pedro Passos Coelho falava na conferência de imprensa final da cimeira da primavera do Conselho Europeu, que decorreu ontem e hoje em Bruxelas.
 
Saiba maisSaiba mais 
 
 
Dia internacional da floresta
 
2014-03-21 às 16:00
 
 
«A floresta corresponde a 3% do PIB português, a 10% das exportações de bens, e a mais de 80 mil postos de trabalho», afirmou a Ministra da Agricultura e do Mar no Dia Internacional das Florestas, em Samora Correia. «Temos aqui uma riqueza que podemos explorar mais no futuro, assim saibamos cuidá-la de forma sustentável», sublinhou Assunção Cristas.
 
Saiba maisSaiba mais 
 
 
Temas 
 
 
O Ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro, e o Secretário de Estado do Desenvolvimento Regional, Manuel Castro Almeida, explicam o Portugal 2020, o próximo quadro comunitário de apoio, que será fundamental para o desenvolvimento do nosso País nos próximos anos.
 
Saiba maisSaiba mais 
 
 
 
Portugal ultrapassou o pior da crise e está hoje, finalmente, a crescer. Muito deste crescimento, tal como as reformas que o promoveram, é estrutural, mas não é ainda claro no dia-a-dia dos Portugueses. É por isso importante apresentar os dados para que cada Português possa fazer a sua leitura sobre o futuro do País.
 
Saiba maisSaiba mais 
 
 
2014 Governo de Portugal"
FONTE: NEWSLETTER DO GOVERNO DE PORTUGAL

II CIMEIRA MOÇAMBIQUE PORTUGAL PRIMEIRO MINISTRO DE PORTUGAL PASSOS COELHO DESDE ONTEM EM MAPUTO

"Passos em Maputo para assegurar vaga da REN na “Espinha Dorsal”
Pedro Passos Coelho, está desde ontem na capital do país
O primeiro-ministro português, Pedro Passos Coelho, está desde ontem na capital do país para cumprir com uma agenda cheia: a cimeira que começa hoje e que vai reforçar as relações económicas com Moçambique e 16 acordos de vários domínios.
Mas o maior interesse de Portugal é, provavelmente, desfazer-se dos 7.5% que a empresa pública Rede Energética Nacional (REN) detém na Hiroeléctrica de Cahora Bassa (HCB) e assegurar espaço para a participação daquela empresa em projectos energéticos de grande envergadura e em carteira no país.
Um destes projectos é a linha de transmissão que vai partir da província de Tete até às províncias do Sul do país, também denominado “Projecto CESUL” (por ligar o Centro e o Sul do país) ou “Espinha Dorsal”, avaliado em 2.4 mil milhões de dólares e com um extensão de até 1 400 quilómetros.
Aliás, ficou estabelecido, em 2012 – aquando da transmissão dos 7.5% da HCB à REN – que uma das condições para a participação da empresa portuguesa na “Espinha Dorsal” seria a alienação da sua participação à EDM ou qualquer sociedade nacional na qual a EDM exerça influência dominante.
Leia mais na edição impressa do «Jornal O País»"
FONTE: JORNAL O PAIS DE MOÇAMBIQUE

BCI BANCO COMERCIAL DE INVESTIMENTOS, GOVERNADOR DA PROVINCIA DAVID NGOANE MALIZANE INAUGURA UMA AGÊNCIA EM MARRUPA NIASSA

O DISTRITO de Marrupa, em Niassa, passou a dispor desde a passada segunda-feira, dia 14, de um balcão do BCI, Banco Comercial de Investimentos, cuja cerimónia de inauguração foi presidida pelo governador David Ngoane Malizane.
Com a inauguração daquela instituição financeira, fica assim resolvido um dos grandes problemas que apoquentava as comunidades daquela parcela do país, com destaque para os funcionários públicos, que eram obrigados a percorrer, todos os meses, grandes e insuportáveis distâncias para levantar os seus ordenados nas cidades de Lichinga e Cuamba.
Um professor, visivelmente radiante com o acto que acabava de testemunhar, classificou os esforços conjuntos do BCI e governo de Niassa de louváveis, sublinhando que “com a instalação de um balcão em Marrupa fica resolvido o problema de professores que se ausentavam das suas escolas, deixando os alunos ao “deus-dará”, para se deslocarem a Cuamba ou Lichinga para levantarem os seus salários, com prejuízos incalculáveis para o processo de ensino e aprendizagem e da economia do paísDe recordar que a maior parte dos distritos do Niassa ficam muito distantes das duas cidades onde existe a concentração de bancos, sendo que algumas distâncias chegam a ultrapassar 300 quilómetros, situação agravada pelas precárias condições das vias de acesso, que impedem que os funcionários façam uma deslocação de curta duração.
Aliás, durante a sua intervenção, o governador de Niassa fez saber que a instalação de um banco em Marrupa resulta de um esforço conjunto, visando a bancarizção das zonas rurais, um exercício que evita que as comunidades se movimentem desnecessariamente para as duas cidades que monopolizam as agências bancárias ao nível da província de Niassa.  Os números avançados pelo director do Banco de Moçambique em Niassa, Luis Poio, indicam um crescimento de balcões nos últimos anos, passando dos cinco, que existiam em 2008, para os actuais 12, representando 2.3 por cento do total de balcões existentes ao nível nacional. “Mesmo assim, os desafios para aproximar o banco ao cidadão continuam maiores”, acrescentou aquele representante do banco emissor.Para aquele representante do Banco Central, a inauguração do balcão de Marrupa demonstra a determinação do BCI de contribuir para a concretização do objectivo de alargamento dos serviços financeiros pelo país, permitindo constante crescimento e desenvolvimento equilibrado de todo o território nacional.“Queremos ser o parceiro no aconselhamento das melhores soluções de financiamento para as mais diversas finalidades, desde o investimento nas áreas ligadas à agricultura e a todas a cadeia de actividades a ela ligadas, nomeadamente agro-indústria, agro-florestal e a própria pecuária, no turismo, no sector de infraestruturas e logística, na aquisição de equipamentos e pagamentos de fornecedores, bem como na aquisição de maquinaria e veículos”, sugeriu Paulo Sousa, Presidente da Comissão Executiva do BCI, ao mesmo tempo que anunciando, por outro lado, a disponibilização por aquele banco de uma linha de crédito “BCI Negócios PME”, cujo valor foi reforçado para um montante de mil milhões de meticais para financiamento de curto e médio prazos.De recordar que Niassa é uma das província potencial em recursos agrícolas, florestais e minerais, sendo que, de acordo com o governador Malizane, a abertura do BCI vai potenciar o investidor nessas áreas estratégicas para que os recursos naturais sejam explorados sustentável e racionalmente.Malizane justificou a pertinência da colocação de balcões bancários nas zonas rurais a circulação de muitos valores, exemplificando que as empresas de fomento de culturas de rendimento, nomeadamente tabaco e algodão, deixaram nas mãos dos produtores mais de 873,5 milhões de meticais, para além dos ganhos de outras culturas alimentares.Enquanto isso, e no decurso da inauguração, em Lichinga, de uma agência reabilitada e modernizada, o PCE do Banco Comercial de Investimento prometeu que ainda este ano vai colocar à disposição dos cidadãos de Niassa mais duas agências, designadamente em Lichinga e Megantura, no distrito do Lago. 
André Jonas"
FONTE: JORNAL NOTICIAS DE MOÇAMBIQUE.

terça-feira, 25 de março de 2014

ELEVADOR DO BOM JESUS DO MONTE BRAGA, MINHO, PORTUGAL, COMEMORA HOJE 132 ANOS UNICO ELEVADOR DO MUNDO QUE FUNCIONA A ÁGUA A TRABALHAR HÁ MAIS DE CEM ANOS DIGNO DE SER VISITADO E UTILIZADO.


25 DE MARÇO DE 2014, ELEVADOR DO BOM JESUS DO MONTE, BRAGA, MINHO, PORTUGAL ESTA PRECIOSIDADE DA TECNOLOGIA COM MAIS DE CEM ANOS, COMEMORA HOJE 132 ANOS, DIGNA DE SER VISITADA E SER UTILIZADA, ESTÁ NO MONTE DO BOM JESUS DE BRAGA E FUNCIONA.UM LINDO LOCAL TAMBÉM PARA MEDITAR, REZAR, REFLECTIR, LAZER E DESFRUTAR A BELA PAISAGEM DE BRAGA...BEM A GASTRONOMIA PORTUGUESA DE ALTA QUALIDADE A NÃO PERDER NUM DOS RESTAURANTES DOS BELOS HOTEIS EXISTENTES!

domingo, 23 de março de 2014

LINGUA PORTUGUESA CADA VEZ INTERESSA MAIS AOS CHINESES PARA CHEGAR AOS MERCADOS DE ANGOLA, BRASIL, MOÇAMBIQUE E TIMOR

"Chegar aos mercados de Angola, Moçambique, Brasil e Timor são, por regra, os objectivos dos chineses, cada vez mais, interessados na língua portuguesa.
19-03-2014 17:57
Há cada vez mais chineses a aprender português. A língua de Camões é considerada uma mais-valia na altura de procurar trabalho sobretudo em Angola, Moçambique, no Brasil ou em Timor, razão mais que suficiente para haver, na China, 30 universidades com licenciatura em Português.
Mas a procura do português também se reflecte em Portugal. Em Braga, são cada vez mais os chineses que estudam português na Universidade do Minho.
De Xangai, Lourenço chegou a Braga para aprender português, seguindo “com naturalidade”, um conselho do seu pai: “Eu não escolhi a língua portuguesa, mas foi a língua portuguesa que me escolheu. Foi a língua que o meu pai me aconselhou porque sabia que a língua portuguesa é uma língua global e, então, eu segui o conselho do meu pai”.
Uma tendência crescente, explica Lin Sun do Instituto Confúcio da Universidade do Minho, onde são, cada vez mais, os chineses interessados no português. "Há sete ou oito anos existiam apenas quatro ou cinco universidades com licenciatura em português. Neste momento, temos quase 30 universidades chinesas que estão a ensinar português. Realmente, os licenciados em língua portuguesa são aqueles que têm mais oportunidade de escolha de emprego. Um aluno tem quatro ou cinco empregos para escolher. E isso não acontece com outras línguas".
Uma língua encarada como essencial para o ingresso no mundo do trabalho, mas também para quem está no mundo dos negócios, conta Anabela Barros, docente nos departamentos de estudos portugueses e lusófonos e estudos asiáticos da Universidade do Minho. "Sendo já engenheiros e tendo já emprego, param esse emprego porque o interesse deles é entrar nos negócios por exemplo em Angola. Então eles vêm estudar português. Metade dos nossos alunos são homens de negócios", diz.
Chegar aos mercados de Angola, Moçambique, Brasil e Timor são, por regra, os objectivos dos chineses, cada vez mais, interessados na língua portuguesa. O que não deixa de ser, também, uma janela de oportunidade para os portugueses: "Como o nosso primeiro-ministro nos recomendava: é preciso sair da nossa zona de conforto. Portanto, China!"."
FONTE:NEWS BRIEF

quinta-feira, 20 de março de 2014

BANCO BIG BANCO DE INVESTIMENTO GLOBAL DE CAPITAIS PORTUGUESES ENTRA EM FUNCIONAMENTO EM MOÇAMBIQUE

"Português Banco BIG entra em Moçambique
O português Banco de Investimento Global (BIG) vai iniciar a actividade bancária em Moçambique, o seu primeiro mercado fora de Portugal, noticiou o jornal moçambicano Correio da Manhã.O jornal cita fontes informadas para afirmar que a respectiva licença bancária foi já emitida pelo Banco de Moçambique embora a decisão não tenha sido ainda tornada pública.
O Correio da Manhã adianta que o banco central moçambicano tem restringido a atribuição de novas licenças bancárias com base no argumento de que o mercado está saturado.
O Banco de Investimento Global é uma instituição financeira especializada, não cotada, com sede em Lisboa, autorizado a operar em todas as áreas de negócio abertas ao sector bancário em Portugal.
(rm/macauhub)"
FONTE : RADIO MOÇAMBIQUE:

II CIMEIRA MOÇAMBIQUE PORTUGAL REALIZA-SE EM MAPUTO A 26 DE MARÇO

ESTÃO PRESENTES O PRESIDENTE DA REPUBLICA DE MOÇAMBIQUE ARMANDO GUEBUZA, PRIMEIRO MINISTRO DE PORTUGAL PASSOS COELHO, O MINISTRO DA DEFESA NACIONAL JOSÉ PEDRO AGUIAR - BRANCO,  O MINISTRO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS DE PORTUGAL RUI MACHETE, A MINISTRA DE ESTADO E DAS FINANÇAS DE PORTUGAL MARIA LUIS ALBUQUERQUE, A EMBAIXADORA DE MOÇAMBIQUE EM PORTUGAL FERNANDA MOISES LICHALE, ENTRE OUTROS.
NO ÂMBITO DESTE CIMEIRA REALIZAM-SE DIVERSAS INICIATIVAS NOMEADAMENTE O SEMINÁRIO SOBRE O TEMA "MOÇAMBIQUE E PORTUGAL: IMPULSIONANDO PARCERIAS PARA O DESENVOLVIUMENTO SUSTENTAVEL", COM O APOIO DO CPI , AICEP, CAMARA DE COMÉRCIO MOÇAMBIQUE PORTUGAL, GAZEDA E CTA,  NO DIA 27 DE MARÇO.

quarta-feira, 19 de março de 2014

MOÇAMBIQUE SESSÃO DO CONSELHO DE MINISTROS DE 18 DE MARÇO DE 2014

"O Conselho de Ministros realizou, no dia 18 de Março de 2014, a sua 8.ª Sessão
Ordinária.
Nesta Sessão, o Governo apreciou e aprovou a Resolução que ratifica o Acordo sobre
a Liberalização, Promoção e Protecção Recíproca de Investimentos entre o Governo
de Mocambique e o Governo do Japão, assinado a 1 de Junho de 2013, em
Yokohama, Japão.

O Conselho de Ministros apreciou ainda:

– A Situação de Emergência, particularmente causada pela actual época chuvosa
e as acções de resposta levadas a cabo para atenuar os impactos negativos das
cheias e inundações;

– O Relatório da participação do Ministro dos Negócios Estrangeiros e
Cooperação na Reunião do Conselho de Ministros da SADC, realizada em
Lilóngwè, Malawi, de 10 a 11 de Março de 2014;

– O Diálogo entre o Governo e a Renamo;

– O Ponto de Situação do Recenseamento Eleitoral."
FONTE: PORTAL DO GOVERNO DE MOÇAMBIQUE.

terça-feira, 18 de março de 2014

FALAR EM PÚBLICO: OS 10 ERROS MAIS COMUNS, HÁ QUE EVITAR.

"Evite estes erros mais comuns e torne-se num orador melhor

Os 10 erros mais comuns quando se fala em público

Anfiteatro
Planeie a sua apresentação
D.R.
14/03/2014 | 15:07 | Dinheiro Vivo
O Speak Fearlessly, um blog que fornece dicas, técnicas, estratégias, recursos e sugestões sobre como ser um orador mais eficaz, revela os 10 erros mais comuns de uma apresentação em público. Esteja atento, esforce-se para os evitar e torne-se num melhor orador.
1. Usar pequenos gestos e movimentos
A maioria dos oradores inexperientes tem receio de “ocupar muito espaço”. Esta hesitação surge como um pedido de desculpas para o público e mostra insegurança.
2. Não gastar energia suficiente
Este erro transmite desinteresse e falta de entusiasmo e, como consequência, o público irá sentir-se da mesma forma. Aumente o nível de energia e capte a atenção dos que o ouvem. Projete mais confiança e personalidade.
3. Não preparar a apresentação
Muitos oradores não sabem como se preparar, focando-se apenas nos meios de comunicação que vão utilizar. Pesquise bastante sobre o assunto para que se sinta confiante e preparado para responder a qualquer pergunta.
4. Não praticar o suficiente
Este é um dos maiores erros que pode cometer. Faça um ensaio com um público de confiança, amigos, familiares, colegas, por exemplo. É uma forma de aumentar a sua confiança e de saber quais foram os seus pontos fortes e fracos e, assim, poderá corrigi-los.

5. Apresentações centradas em dados

Os dados são importantes para sustentar a sua apresentação, mas se se centrar apenas neles não vai dizer nada de novo. O truque é apresentar esses dados enquanto conta uma história.
6. Jogar pelo seguro
Quando o conteúdo da apresentação é muito óbvio, normalmente, torna-se desinteressante. A capacidade mais importante num orador é a de atrair a atenção e tal só é possível correndo alguns riscos. Use a sua criatividade!
Leia também: Pânico de falar em público? Dez passos para ser um sucesso
7. Tentar parecer perfeito
Se quer ser visto como credível, não tente ser demasiado perfeito, o público vai ficar desconfiado. Conte histórias de algum momento em que cometeu erros e revele o que aprendeu.
8. Levar-se demasiado a sério
Muitos oradores tendem a ser muito sérios e formais, mas se se mostrar mais natural e informal a sua apresentação será mais cativante e autêntica. Além disso, pode dar a ideia de que se acha superior aos outros. Ao falar de uma forma mais informal, o público estará mais disponível para confiar em si.
9. Apresentar muito material
Não utilize todo o material que tem, selecione. Planeie a sua apresentação porque, muitas vezes, o discurso real demora mais 25% ou até mais do tempo previsto, dependendo das reações do público.
10. Não tenha pressa
Fale calmamente para que as pessoas o acompanhem e percebam o que está dizer. Assim, vai mostrar-se mais confiante e vai ter mais tempo para exprimir melhor o seu pensamento.
A capacidade mais importante num orador é a de atrair a atenção e tal só é possível correndo alguns riscos. Use a sua criatividade!"
FONTE: www.dinheirovivo.PT

"ECONOMIA BRASILEIRA MOSTRA FORÇA COM A CRIAÇÃO DE 260 MIL NOVOS EMPREGOS EM FEVEREIRO, AFIRMA DILMA"

"Terça-feira, 18 de março de 2014 às 15:09   (Última atualização: 18/03/2014 às 15:11:10)

Economia brasileira mostra força com a criação de 260 mil novos empregos em fevereiro, afirma Dilma


Twitter

Em sua conta no Twitter, a presidenta Dilma Rousseff afirmou que a economia brasileira deu mais uma demonstração de força com a criação de 260 mil novos empregos formais em fevereiro. É a melhor taxa para fevereiro desde 2011 e o segundo melhor fevereiro desde 2003.

“A economia do Brasil deu mais uma demonstração de força com a criação de 260 mil novos empregos formais em fevereiro. Assim, desde o início do governo foram criados 4 milhões e 800 mil novos empregos com carteira assinada. É mais que o dobro do número de vagas registradas em fevereiro de 2013 e o segundo melhor fevereiro desde 2003. A geração de empregos é, e continuará sendo, prioridade deste governo e uma das principais alavancas para o crescimento da nossa economia”."
FONTE: BLOG DO PLANALTO. 

segunda-feira, 17 de março de 2014

ACB ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DA BEIRA E NERSAN ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL PORTUGUESA DA REGIÃO DE SANTARÉM PROMOVEM A 18 DE MARÇO ENCONTRO EMPRESARIAL NA BEIRA,PRAKASH PREHLAD PRESIDENTE DA ACB CONSIDERA ESTE EVENTO DE GRANDE IMPORTÂNCIA EMPRESARIAL

 

Imagem da Beira (Foto de arquivo) (foto D.R.)
"Empresários moçambicanos e portugueses vão sentar-se à mesma mesa
Por António Marvila

A capital provincial de Sofala, a Cidade da Beira, acolhe amanhã, 3.ª feira, 18 de Março, uma exposição de feira e bolsas de contacto de negócios promovido pela Associação Comercial da Beira (ACB), em coordenação com a Associação Empresarial Portuguesa da Região de Santarém.

Este evento tem como objectivo estabelecer contactos de investimentos entre as duas partes e pode, assim se espera, culminar com a assinatura de diversas parcerias.

São esperados 10 empresários portuguesas de diferentes áreas de negócios, com destaque para indústria de mobiliário, metalomecânica e construção, entre muitas outras.

De Moçambique, segundo fonte da ACB, estarão presentes, além de empresários da cidade da Beira, outros das províncias de Tete, Zambézia e Manica.

Prakash Prenlad, presidente da ACB, sublinhou tratar-se de um encontro «de grande importância, tendo em conta que há já bastante tempo que a Beira não acolhe este tipo de eventos», que, recorde-se, terá a duração de três dias.


Prakash Prenlad, Presidente da ACB, diz tratar-se de um encontro de grande importância tendo em conta há já bastante tempo que a Beira não acolhe este tipo de eventos e que envolve empresários vindos de fora do país.

«Este evento terá a duração de três dias onde para alem da feira de negócios vai servir de oportunidade de divulgarmos as oportunidades de negócio para toda a região centro de Moçambique e da região portuguesa da Santarém e cada um de nós vai ficar com as potencialidades dos nossos países», disse Prakash Prehlad."

FONTE: A BOLA E NEWSBRIEF

sexta-feira, 14 de março de 2014

AGOSTINHO MONDLANE NOVO MINISTRO DA DEFESA NACIONAL DE MOÇAMBIQUE E ABDUL RAZAK NOVO GOVERNADOR DA PROVINCIA DE CABO DELGADO

"Agostinho Mondlane é o novo ministro da Defesa
Mondlane sai de vice e ascende a ministro
Agostinho Mondlane é o novo Ministro da Defesa Nacional, em substituição de Filipe Nyusi, exonerado hoje para se dedicar a candidatura à Chefia de Estado.Agostinho Mondlane era, até à sua nomeação, vice-ministro da Defesa. Sem responsabilidades ministeriais, Filipe Nyusi tem assim caminho aberto para em cinco meses montar a estretégia que o deve levar à Ponta Vermelha.
Abdul Razak novo governador de Cabo Delgado
Razak volta novamente a ocupar cargo de governador
O Chefe de Estado nomeou hoje Abdul Razak para o cargo de governador da província de Cabo Delgado, em substituição de Eliseu Machava.
Machava foi eleito, recentemente, secretário-geral da Frelimo e deve se basear na cidade de Maputo, daí que foi substituído.
Abdul Razak sai do Ministério dos Recursos Minerais, onde era vice-ministro. Foi também governador da província de Nampula, vice-ministro da Saúde, entre outros cargos directivos."
FONTE: JORNAL O PAIS DE MOÇAMBIQUE.

BOLSA DE VALORES DE MOÇAMBIQUE - BVM - SEMINÁRIO DE DIVULGAÇÃO DOS SERVIÇOS DA CENTRAL DE VALORES MOBILIÁRIOS

"A Bolsa de Valores de Moçambique realizou hoje, dia 14 de Março de 2014, um seminário com objectivo de divulgar os serviços da Central de Valores Mobiliários.
Participaram no evento, representantes das seguintes instituições: Ministério das Finanças, Banco de Moçambique, Bancos Comerciais, Instituto de Gestão das Participações do Estado, Autoridade Tributária, Instituto de Supervisão de Seguros de Moçambique, Gabinete de Informação Financeira de Moçambique, Empresas Cotadas e outras, IPEME, Bolsa de Mercadorias, CTA, Ordens Profissionais (Ordens de Advogados, de Auditores, e Associação de Economistas), Parceiros de Cooperação (Banco Mundial, FMI, Banco de Desenvolvimento e IFC), e outros convidados.
De referir que a Central de Valores Mobiliários foi criada pelo Decreto nº 25/2006, de 23 de Agosto, que aprovou o Regulamento do seu funcionamento, tendo como entidade gestora a Bolsa de Valores de Moçambique, a quem compete tomar medidas de natureza organizacional, tecnológica, contabilística e administrativas, necessárias para o seu funcionamento.
Ainda no âmbito da efectivação desse serviço, a Bolsa de Valores de Moçambique foi designada Agência Nacional de Codificação de Valores Mobiliários, tendo aderido a ANNA (Associação das Agências Nacionais de Codificação) como parceira, tornando-se deste modo a entidade responsável pela codificação de Valores Mobiliários em Moçambique.   
A Central de Valores Mobiliários é um serviço destinado a realizar o registo de valores mobiliários em nome dos seus titulares (estejam estes sob a forma física ou desmaterializada), permitindo que as transacções desses valores mobiliários sejam realizadas de forma electrónica, através de um sistema informático, permitindo ainda, de forma eficiente e segura, a compensação e liquidação financeira e física de operações sobre os valores mobiliários.

Maputo, 14 de Março de 2014"
FONTE: COMUNICADO DE IMPRENSA DA BOLSA DE VALORES DE MOÇAMBIQUE.

quinta-feira, 13 de março de 2014

METRO DE SUPERFICIE ARRANCA AINDA ESTE ANO EM MAPUTO MOÇAMBIQUE

Maputo (foto ASF)
"Arranca ainda este ano construção de metro de superfície
Por Redação
    

A construção de um metro de superfície na área metropolitana de Maputo vai arrancar ainda este ano, estando o seu custo orçamentado em 1,2 mil milhões de dólares (cerca de 1 milhão de euros).A obra tem um prazo de execução de cerca de dois anos e está prevista a ligação entre Maputo e a Matola, e as vilas de Boane e de Marracuene.De acordo com o vereador de Transportes e Trânsito da cidade de Maputo, João Matlhombe, ao Folha de Maputo, o orçamento inclui programas de realojamento das populações afectadas, contabilizando-se, só na capital moçambicana, cerca de 400 pessoas.A linha férrea vai ser gerida pela companhia estatal Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique, estando a construção a cargo da Agência de Cooperação do Japão (JICA), principal financiador da obra, e de empresas brasileiras."
FONTE: NEWS BRIEF E A BOLA.                       

GOVERNO DE PORTUGAL NEWSLETTER 11 MARÇO DE 2014

 
Newsletter
11 março 2014
Resultados PIB 4º trimestre 2013
 
 Saiba maisSaiba mais
 
Em Destaque 
 
Portugal 2020
 
2014-03-11 às 11:17
 
Portugal 2020 
O Ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro, e o Secretário de Estado do Desenvolvimento Regional, Manuel Castro Almeida, explicam o Portugal 2020, o próximo quadro comunitário de apoio, que será fundamental para o desenvolvimento do nosso País nos próximos anos.
 
Saiba maisSaiba mais 
 
 
Primeiro-Ministro sublinha que a justiça é uma área de grande consenso na sociedade portuguesa
 
2014-03-11 às 12:14
 
Primeiro-Ministro Pedro Passos Coelho 
O Primeiro-Ministro, Pedro Passos Coelho, elogiou os consensos alcançados na justiça, uma área que reúne grande unanimidade na sociedade portuguesa: «Onde nem sempre conseguimos acordo é quanto aos aspetos que, no fundo, deveriam ser os mais imediatamente concertáveis, os que emergem da pura realidade».
 
Saiba maisSaiba mais 
 
 
Dados do INE «são positivos e alimentam a esperança de 2014 ser um ano de crescimento económico e de redução do desemprego»
 
2014-03-11 às 15:37
 
Ministro da Economia António Pires de Lima 
O aumento do Produto Interno Bruto (PIB) em 0,6% no 4.º trimestre de 2013, «é positivo e alimenta a esperança de 2014 ser um ano de crescimento económico e de redução do desemprego», afirmou o Ministro da Economia à saída das comemorações dos 180 anos da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa (CCIP), em Lisboa. António Pires de Lima referia-se aos dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).
 
Saiba maisSaiba mais 
 
 
Temas 
 
 
Portugal ultrapassou o pior da crise e está hoje, finalmente, a crescer. Muito deste crescimento, tal como as reformas que o promoveram, é estrutural, mas não é ainda claro no dia-a-dia dos Portugueses. É por isso importante apresentar os dados para que cada Português possa fazer a sua leitura sobre o futuro do País.
 
Saiba maisSaiba mais 
 
 
Exportações em Portugal 
Portugal é hoje um país mais exportador. 2013 foi o quarto ano consecutivo de aumento das exportações. Em termos de saldo global a balança comercial melhorou quase 3000 milhões de euros.
 
Saiba maisSaiba mais 
 
 
Repartição de sacrificios 
O Governo tem feito uma justa repartição dos sacrifícios pelos diversos sectores da sociedade, protegendo sempre os mais desfavorecidos e os que menos têm. Em todas as medidas restritivas, o Governo protegeu sempre os que menos ganham.
 
Saiba maisSaiba mais