segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

OLDEMIRO BALÓI, MINISTRO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS E COOPERAÇÃO DE MOÇAMBIQUE, PARTICIPA NA CIMEIRA DA UNIÃO AFRICANA EM REPRESENTAÇÃO DO CHEFE DE ESTADO, MOÇAMBIQUE É POR UMA ÁFRICA JUSTA SOLIDÁRIA E DE AMBIENTE DE PAZ!

"Cimeira da UA: Moçambique por uma África justa e solidária

  •                                                                                                                                                  
O Ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Oldemiro Baloi, disse, em Adis Abeba, na Etiópia, que Moçambique “está claramente apostada em contribuir na edificação de uma África próspera, justa, solidária, unida e em paz”.
Discursando na 24ª Cimeira da União Africana (UA), que arrancou esta Sexta-feira, Baloi exprimiu o compromisso de Moçambique com o plasmado na Agenda 2063 de África, cujo esboço foi submetido aos Chefes de Estado e de Governo presentes, para debate e adopção.
Falando em nome do Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, o titular da pasta diplomática realçou que “estamos a desenvolver a Agenda 2063 de modo a galvanizar e unir os povos deste continente em torno de uma visão comum de uma África na liderança”.
Segundo Baloi, a Agenda “constituiu uma oportunidade para sonharmos e realizarmos um projecto à escala continental que só encontra paralelo a epopeia da emancipação política do nosso continente”.
Entretanto, a Presidente da Comissão da União Africana, Nkosazana Dhamini Zuma, disse que a Agenda foi apresentada para adopção nesta cimeira, após vários meses de consultas em todas as esferas da sociedade africana.
“Nós estamos confiantes que as aspirações da Agenda 2063 reflectem as vozes dos povos africanos de todos os quadrantes da vida”, enfatizou.
Na ocasião, Moçambique mereceu menção honrosa pelo sucesso do processo eleitoral que culminou com a eleição e tomada de posse do Presidente Filipe Nyusi.
A menção foi avançada pela própria Nkosazana Zuma e pelo Presidente da Mauritânia e Presidente cessante da União Africana, Mohammed Ould Abdelaziz, nos discursos de abertura da presente Cimeira, segundo uma nota de imprensa do Ministério moçambicano dos Negócios Estrangeiros e Cooperação.
Destes dois dirigentes africanos saíram também expressões de profunda solidariedade e compaixão para com as vítimas das cheias em Moçambique.
A presente cimeira debate um vasto programa de assuntos prementes da actualidade africana, estando os conflitos, terrorismo e extremismo no topo das atenções e preocupações dos Chefes de Estado e de Governo da União Africana.
(RM/AIM)"
FONTE: RÁDIO MOÇAMBIQUE.

Sem comentários:

Publicar um comentário