domingo, 12 de dezembro de 2010

AGRICULTURA , MOÇAMBIQUE E ÁFRICA, PROGRAMA COMPREENSIVO DE DESENVOLVIMENTO APRESENTADO EM MAPUTO 13 DEZ SEGUNDA-FEIRA

"Governo lança Programa Compreensivo de Desenvolvimento da Agricultlra em África . 12/12/2010
O Governo lança esta Segunda-feira, em Maputo, o Programa Compreensivo para o Desenvolvimento Agrícola em África, designado CAADP. O Programa Compreensivo para o Desenvolvimento Agrícola em África foi concebido pelos Chefes de Estado e de Governo da União Africana, como uma visão que pretende assegurar a restauração do crescimento agrícola, a segurança alimentar e o desenvolvimento rural em África.  Um dos objectivos mais específicos do CAADP é o de alcançar um crescimento anual médio de 6 por cento no sector agrícola. Para este efeito, o CAADP visa estimular iniciativas de desenvolvimento viradas para a agricultura que tenham por intuito eliminar a fome, e reduzir a pobreza e a insegurança alimentar. Mais especificamente, a visão da Nova Parceria para o Desenvolçvimento de África, NEPAD, afirma que até 2015, África deve garantir a segurança alimentar; melhorar a produtividade agrícola de modo a atingir um crescimento anual médio de 6 por cento, desenvolver mercados agrícolas regionais e sub-regionais dinâmicos, integrar os agricultores na economia de mercados, e Alcançar uma distribuição de riqueza mais equitativa. O Secretário Permanente do Minsitério da Agricultura, Daniel Clemente, disse que o CAADP é um quadro estratégico destinado a nortear os países quanto aos seus esforços de desenvolvimento do sector agrícola e às parcerias criadas para o efeito. Segundo Daniel Clemente, o CAADP canaliza o investimento para quatro pilares caracterizados pela sua interligação e pelo reforço mútuo, nomeadamente a extensão das terras que estão sob gestão agrária sustentável e que possuem sistemas de controlo hidrológico fiáveis, o melhoramento das infra-estruturas rurais e das capacidades comerciais com vista a aumentar o acesso aos mercados. Constam ainda o aumento da oferta alimentar, de modo a reduzir a fome e melhorar as respostas às crises alimentares e, o melhoramento da investigação agrícola, bem como da disseminação e adopção de tecnologias agrícolas. Secretário Permanente do Ministério da Agricultura, Deniel Clemente, acrscentou que compete aos governos Africanos formular planos de acção para a mitigação dos efeitos das calamidades naturais, de modo a eliminar a insegurança alimentar crónica e mobilizar os sistemas nacionais e comunitários em tempos de crise." Fonte Rádio Moçambique.

Sem comentários:

Publicar um comentário