sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

CORNELDER A MELHOR EMPRESA DE MOÇAMBIQUE, SEGUNDO O ESTUDO APRESENTADO ONTEM PELA KPMG EM MAPUTO, QUER EM TERMOS NO SEU CRESCIMENTO DE VOLUME DE NEGÓCIOS QUER NA TAXA DE RENDABILIDADE E A DE CAPITAIS PRÓPRIOS


"PESQUISA SOBRE AS 100 MAIORES - Cornelder é a melhor empresa de Moçambique


A CORNELDER Moçambique, SA foi apurada como a melhor empresa do país em 2011, enquanto a Mozal voltou a liderar o ranking das 100 maiores empresasMaputo, Sexta-Feira, 14 de Dezembro de 2012:: Notícias Segundo a pesquisa sobre as 100 maiores empresas de Moçambique realizada pela empresa de consultoria KPMG, a Cornelder Moçambique obteve um crescimento no seu volume de negócios na ordem dos 33 por cento e a taxa de rentabilidade do volume de negócios e a de capitais próprios situaram-se ao nível de 28 por cento e 72.9 por cento, respectivamente. No entanto, a Mozal lidera a lista das 100 maiores de Moçambique com um volume de negócios que se situou na ordem dos 43.1 biliões de meticais em 2011. Neste ranking, que é o mais importante da pesquisa, seguem-se a Petromoc, Hidroeléctrica de Cahora Bassa, Mcel, e Motraco, SARL.Para a edição deste ano, que é a 14.ª, o destaque vai para a entrada nas 10 maiores empresas da BP Moçambique, que na edição passada ocupava a 11.ª posição. Saiu do Top 10 a Mozambique Leaf Tobacco, que este ano ocupa a 11.ª posição.Lançada há 14 anos, a pesquisa sobre as 100 maiores empresas de Moçambique é uma realização anual da KPMG visando contribuir para o aumento da competitividade entre as empresas e aumento da transparência nas companhias, para além de servir como um instrumento de análise sobre o comportamento das empresas e da economia no país.Para além de homens de negócios, a edição contou com a presença de representantes do Governo liderados pelo primeiro-ministro, Alberto Vaquina. No uso da palavra, ele encorajou as empresas a participarem na pesquisa, fornecendo os seus dados sobre os negócios que realizam, de modo a contribuírem para a medição do real desempenho da economia moçambicana.O primeiro-ministro acrescentou que a actual fase de exploração de recursos minerais veio catapultar o nome de Moçambique como um grande destino de investimentos.A situação, segundo o governante, impõe ao país um redobrar de esforços para melhorar o ambiente de negócios, como forma de multiplicar os ganhos e vantagens para a economia.Neste contexto, foram realizadas este ano várias acções, tendo sido adoptado um conjunto de medidas para tornar o mercado moçambicano mais propício e competitivo para o desenvolvimento de negócios. Entre estas, o destaque vai para a avaliação e simplificação dos procedimentos de importação e exportação, o estabelecimento de serviços de consulta telefónica e correio para consultas fiscais, a melhoria do sistema de tributação dos pequenos contribuintes, o desenvolvimento da bolsa de valores para a pequenas e médias empresas com vista a incentivar a emissão de títulos, obrigações e acções, a aprovação da criação da bolsa de mercadorias, entre outras. "Fonte Jornal NOTICIAS.

Sem comentários:

Publicar um comentário