domingo, 17 de junho de 2012

PAISES DE LINGUA OFICIAL PORTUGUESA E CHINA EM CABO VERDE NO VIII FÓRUM DE EMPRESÁRIOS PARA A COOPERAÇÃO ECONÓMICA E COMERCIAL NA ILHA DO SAL, 17 A 19 DE JUNHO 2012

"ECONOMIA. A SEMANA : Fórum de Empresários para a Cooperação China/PLPs 17 Junho 2012 . O VIII Fórum de Empresários para a Cooperação entre a China e os Países de Língua Portuguesa que arranca este domingo na ilha do Sal, é uma montra única para promover e divulgar oportunidades de investimento em Cabo Verde, entende o administrador executivo da CI - Cabo Verde Investimentos. Nuno Miguel Martins sustenta a sua tese no forte empenho manifestado por empresários dos países participantes, sobretudo do sector da banca.
Fórum de Empresários para a Cooperação China/PLPs
Sal, a ilha mais turística de Cabo Verde, vai fazer convergir dois mundos, dois mercados – o Chinês e o de Língua portuguesa, representando de um lado 200 milhões de pessoas (CPLP) e do outro 1,5 bilião (China). Um encontro em grande que escolheu a ilha do Sal e Cabo Verde para acontecer.Para Nuno Martins, o nível dos participantes e os sectores de actividade que vão “alimentar” por estes dias as bolsas de contacto, neste fórum que elegeu como tema “Investimentos Integrados para o Desenvolvimento Turístico Sustentável”, deixam antever oportunidades incomensuráveis. “A China confirmou já a participação de empresários dos sectores de construção e aviação civis, estradas, imobiliária turística, parques ecológicos e novas tecnologias. Mas é o China Development Bank (CDB) o ´player` que mais expectativa suscita”, revela o administrador-executivo da CI.O banco chinês, afirma Nuno Martins, vai apresentar o Fundo de Desenvolvimento do Fórum Macau, que poderá garantir projectos, tanto públicos como privados. Também há a manifestação clara de interesse por parte de várias empresas chinesas, o que poderá resultar em bons acordos, sobretudo nos sectores das pescas e da protecção naval – área de forte expansão no arquipélago, apostado em fazer render a sua posição geoestratégica.O empresariado cabo-verdiano vai estar em peso neste encontro do Sal, com destaque para a ASA, Enapor e empresas de construção e infra-estruturação. A banca nacional também faz-se representar por todas as instituições que operam no mercado interno, designadamente Banco Cabo-verdiano de Negócios (BCN), Caixa Económica (CECV), Banco Comercial do Atlântico (BCA), Banco Africano de Investimentos, Interatlântico e Banco Espírito Santo.Notório é também o número de empresas da imobiliária turística inscritas neste evento, que propõe “Investimentos Integrados para um Turismo Sustentável”: Estão neste caso o Resort Group, operadores turísticos, agências de viagem. Também destaque para companhias aéreas nacionais (TACV e Halcyonair), hotéis, instituições e serviços do Estado também já confirmaram presença.Considerado o maior acontecimento dos últimos tempos, num sector sacudido por vagas de crise sucessivas, o Fórum vai também acolher a IV Feira de Turismo (Exportur). Este certame, afirma Nuno Martins, complementa o fórum porquanto possuem um denominador comum: o turismo. “Vai ser apresentado o ambiente de negócios facilitador de investimentos, com enfoque em dois ou três projectos privados. Além disso, estão agendados encontros bilaterais entre os empresários”, informa Martins.Nesta edição do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial, o segundo a decorrer em Cabo Verde desde que foi criada em 2003, participam entre 300 e 400 empresários, oriundos dos oito países lusófonos, mais Macau e China. Uma delegação das Canárias, que integra a Universidade de Las Palmas, estará na cadeira de observador. A delegação cabo-verdiana será presidida pela ministra das Finanças, Cristina Duarte.
Delegações ao mais alto nível que chegam de várias províncias e serviços da China e Macau, assim como os embaixadores de Angola (Josefa da Cruz), Brasil, (Inácio Padilha), Portugal (Bernardo Lucena) e China (Li Chunhua) e os conselheiros comerciais da embaixada lusa e chinesa, Armindo Rios e Li Yongjun.O encontro – que tem como lema “Investimentos integrados para o Desenvolvimento Turístico Sustentável”, e é parte do Plano de Acção de Cooperação Económica e Comercial assinado em 2003, por ocasião do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial – termina na terça-feira, 19." Fonte jornal A SEMANA DE CABO VERDE.

Sem comentários:

Publicar um comentário