terça-feira, 9 de outubro de 2012

BANCO MUNDIAL 57 MILHÕES DE DÓLARES REFORÇO PARA PROJECTOS EM MOÇAMBIQUE

"No valor de 57 milhões de dólares: Banco Mundial reforça fundos para projectos em Moçambique


TRÊS acordos de financiamento entre o Governo de Moçambique e o Banco Mundial foram ontem assinados, sendo que o primeiro é de Crédito para a concessão de um financiamento no valor de 40 Milhões de USD, em forma de financiamento adicional, para o projecto do Governo de Moçambique denominado Projecto de Apoio ao Sector de Educação (ESSP) ora em implementação.
Maputo, Terça-Feira, 9 de Outubro de 2012:: Notícias . Estes fundos adicionais visam especificamente apoiar o Governo de Moçambique nos seus esforços de expandir a educação pré-escolar para 84 mil crianças em cerca de 600 comunidades rurais espalhadas pelo país. Através deste apoio, uma atenção particular será dada ao desenvolvimento cognitivo, linguístico, socio-emocional e físico das crianças com idade pré-escolar, aumentando assim a possibilidade de sucesso das mesmas na educação escolar subsequente. O segundo acordo destina-se à concessão de uma subvenção financiada pelo Governo Japonês e administrada pelo Banco Mundial, que irá disponibilizar um total de 15 milhões de USD em co-financiamento ao Projecto de Desenvolvimento de Irrigação Sustentável (PROIRRI) ora em implementação, o qual já beneficia de um financiamento de 70milhões de USD da IDA do Banco Mundial. Este co-financiamento do Governo Japonês ao PROIRRI tem por principal objectivo expandir a produção e produtividade da cultura do arroz nas províncias de Sofala e Zambézia. Especificadamente, o co-financiamento irá, entre outras coisas, apoiar no melhoramento de capacidades técnicas dos serviços de extensionistas da cultura do arroz; o estabelecimento de parcerias e a instalação de uma entidade que coordena infra-estruturas de irrigação nos sistemas de produção de arroz; o desenvolvimento e adopção de novas tecnologias tais como variedades melhoradas do arroz, promoção de melhorias na gestão de águas e solos (incluindo a introdução de mecanização de pequena escala de preparo dos solos, assim como sistemas de irrigação), gestão de nutrientes dos solos e gestão pós-colheita; apoio na reabilitação de sistemas existentes e construção de novos sistemas de irrigação para os produtores de pequena escala de arroz; e providenciar apoio à iniciativas locais, incluindo projectos provenientes dos agricultores e que visem a adopção de tecnologias pilotadas no quadro do programa tanto ao nível da produção assim como ao nível do processamento e marketing.O último acordo é de concessão de uma subvenção no valor de 2 milhões de USD provenientes do Programa Piloto para a Resiliência Climática administrada pelo Banco Mundial para o Projecto de Assistência Técnica sobre Mudanças Climáticas. Este financiamento irá procurar fortalecer capacidades institucionais na matéria, especificamente apoiando com a consciencialização na necessidade de se aumentar a resistência climática nos sectores económicos e vulneráveis, assim como melhoria da base do conhecimento neste âmbito para futuras intervenções.Ao contribuir para o fortalecimento da resistência `as mudanças climáticas ao nível institucional com reformas e políticas certas, este financiamento irá contribuir para que as comunidades cuja renda é afectada pelas adversidades climáticas possam beneficiar de uma maior capacidade de respostas das autoridades a essas ocorrências, para além do aumento da sua própria aptidão a lidar com essas ocorrências.
Estratégia nacional sobre mudanças climáticas
Maputo, Terça-Feira, 9 de Outubro de 2012. Notícias Algumas das actividades a serem apoiadas pelo financiamento incluem, entre outras, a preparação da estratégia nacional sobre mudanças climáticas; a preparação de uma revisão das despesas públicas na matéria; o aumento da capacidade dos ministérios em avaliar a capacidade de resistência das obras públicas incluindo estradas às adversidades climatéricas; o aumento da capacidade de avaliação das implicações das mudanças climáticas no sector da agricultura, assim como na saúde pública; e a criação de uma base de conhecimento ao nível nacional em matéria de mudanças climáticas.Rubricou os referidos acordos em nome do Governo de Moçambique, o Ministro da Planificação e Desenvolvimento, Ayuba Cuereneia, do lado do Banco Mundial, Laurence Clarke, Director desta instituição para Angola, Moçambique e São Tomé e Príncipe e Eiji Ashimoto, chefe adjunta da missão diplomática japonesa no nosso País e Coordenadora da Cooperação Económica entre Moçambique e os nipónicos." Fonte Jornal NOTICIAS.

Sem comentários:

Publicar um comentário