sexta-feira, 21 de outubro de 2011

DONDO, SOFALA, MOÇAMBIQUE: TURISMO A VÁRIOS NIVEIS ESTÁ A SER IMPLEMENTADO

Governo incentiva turismo no Dondo. A PRÁTICA de turismo está a ganhar alguma intensidade a nível do distrito do Dondo, em Sofala, com o activo envolvimento directo das respectivas autoridades administrativas e agentes económicos afins. Maputo, Sábado, 22 de Outubro de 2011:: Notícias . Com efeito, emergem no terreno múltiplas instituições de lazer e entretenimento, sobretudo ao longo da Estrada Nacional Número Seis que liga o porto da Beira e a vila fronteiriça de Machipanda com o vizinho Zimbabwe.Basicamente, estão a ser implantados “lodges” com uma arquitectura invejável, sendo que a prestação de serviços começa a melhorar significativamente, o que está a motivar os turistas nacionais e estrangeiros a visitar aquele ponto do país.Recentemente, a Assembleia Municipal do Dondo aprovou a proposta daquela edilidade relativamente à retirada de todas as quintas da zona de expansão para a área de produção da autarquia. A medida veio, mais uma vez, impulsionar a prática de turismo e ocupação ordenada dos solos.Por conseguinte, o administrador do Dondo, João Oliveira, entende mesmo que a sua área de jurisdição reúne excelentes condições para a promoção de turismo.Para já, a maior preocupação do Governo reside na reactivação do turismo nas praias de Sengo, cuja via condiciona o seu acesso. Com infra-estruturas completamente em escombros, incluindo o desaparecimento do mapa da então pista de aterragem devido à guerra, a referida zona turística apresenta-se com uma beleza natural altamente atraente com a abundância de ecossistemas marinhos, faunísticos e florestais.Para reactivação de Sengo, nos últimos tempos, a administração tem vindo a estabelecer diversos encontros com os potenciais investidores bem como com residentes locais, sendo maioritariamente pescadores, camponeses, carvoeiros, pastores de gado bovino, produtores da bebida tradicional (denominada sura), entre outros extractos sociais.Segundo alguns agentes económicos do Dondo, a iniciativa do Executivo visando reactivar o turismo em Sengo merece acompanhamento e estímulo da sua classe. Manuel Ginga, um dos impulsionadores da iniciativa, entende que Sengo tem motivos suficientes para voltar a brilhar.Para ele, a reactivação da praia de Sengo passa necessariamente pelo envolvimento de investidores nacionais e estrangeiros, se se considerar a sua rica beleza natural ainda subaproveitada, numa altura em que a globalização bate por todos os cantos do mundo.Ginga realçou que, deste modo, o Governo é chamado à responsabilidade de acelerar as obras de reconstrução da estrada Nangau-Sengo e Sengo-Savane para permitir a livre circulação de pessoas e bens.Na versão do ambientalista da agência denominada CADECO, José Simbe, a biodiversidade de Sengo merece a preservação da comunidade pelo facto de se registar actualmente uma massiva desmatação do mangal, prejudicando assim a multiplicação de marisco.Horácio João" Jornal NOTICIAS.

Sem comentários:

Publicar um comentário