sexta-feira, 28 de outubro de 2011

ALGODÃO: MOÇAMBIQUE VOLTA A EXPORTAR FIBRA A PARTIR DE UMA FÁBRICA INSTALADA NA BEIRA, PROVINCIA DE SOFALA

"País volta a exportar fibra de algodão. DEPOIS de vários anos de interrupção, Moçambique volta, dentro em breve, a exportar fibra de algodão. O primeiro lote será constituído por cerca de 1700 toneladas do produto processado pela China África Cotton, uma indústria que funciona desde este ano na cidade da Beira.Maputo, Sexta-Feira, 28 de Outubro de 2011:: Notícias . O algodão foi adquirido nas províncias de Manica e Sofala, sendo que a fibra será colocada no mercado asiático, mormente chinês.Tudo isto acontece numa altura em que os camponeses baseados na região já venderam àquela fábrica mais de 5.500 toneladas de algodão caroço produzido na campanha 2010/2011.A indústria tem capacidade para transformar, anualmente, 45 mil toneladas de algodão caroço em fibra, tal exportação começa a compensar os investimentos nela aplicados na base de capitais externos e os seus proprietários acreditam que a exportação do primeiro lote marca o início da rentabilização do investimento, sobretudo porque a tonelada de algodão em fibra custa neste momento, no mercado internacional, entre dois e quatro mil dólares norte-americanos.Para o gestor de campo daquela firma, Florindo Vicente da Cruz Coimbra, com a ajuda do Governo na mobilização aos camponeses no sentido de incrementar as áreas no cultivo de algodão para alimentar a indústria, a exportação do produto pode atingir nos próximos tempos níveis bastantes elevados o que fará com que todos actores afins saiam a ganhar.Com efeito, o primeiro estímulo dos investidores chineses aos operadores do sector familiar nesta cultura foi de aplicar este ano, por iniciativa própria, o preço de 16 e 12 meticais cada quilograma de algodão caroço de primeira e segunda, contra 15 e 11.50 meticais oficialmente fixados.Entretanto, para garantir a sustentabilidade daquela fábrica, Coimbra perspectivou que a produção de algodão caroço vai envolver este ano um universo de 25 mil famílias camponesas numa área de aproximadamente 20 mil hectares, prevendo-se uma produção de 15 mil toneladas em algumas regiões do centro e sul do país.Trata-se do envolvimento dos distritos de Govuro, em Inhambane, Macossa, Manica, Sussundenga e Gondola, na província de Manica, Chemba, Caia, Marromeu, Cheringoma, Marínguè, Gorongosa, Nhamatanda, Búzi e Chibabava, em Sofala. Na globalidade, Marínguè lidera na região a produção do algodao. Oficialmente, conforme apurámos junto do delegado do Instituto de Algodão em Sofala, César Marrame, a produção desta cultura na campanha 2011/2012 arranca no país precisamente no próximo dia 20 de Novembro, sendo que o posto administrativo de Mulima, no distrito de Chemba, vai acolher as cerimónias centrais ao nível da sua área de jurisdição. Horácio João" Fonte Jornal NOTICIAS.

Sem comentários:

Publicar um comentário