sexta-feira, 4 de abril de 2014

VICTOR BORGES MINISTRO DAS PESACAS DE MOÇAMBIQUE : PORTO DE PESCA DA BEIRA SOFALA JÁ TEM FUNDOS ASSEGURADOS

O GOVERNO moçambicano já tem disponíveis 120 milhões de dólares americanos para a reabilitação e reconstrução do porto de pesca da Beira. A infra-estrutura está degradada há vários anos e a sua reconstrução foi sistematicamente adiada devido a erros de avaliação e insuficiência de fundos.Desta vez, Victor Borges, ministro das Pescas, garante que as obras daquele que já foi o maior e principal porto de pesca do país, vão mesmo arrancar no segundo semestre do ano em curso.
Com esta intervenção, segundo garantias dadas por Victor Borges, estarão assim a ser criadas as necessárias condições para que aquela importante infra-estrutura nacional, e com impacto na região da SADC, possa impor a sua robustez e contribuir para o reforço da economia.    O governante falava ontem em Chidenguele, distrito de Mandlakaze, em Gaza, na abertura solene do XIV conselho coordenador do Ministério das Pescas, que hoje termina.No encontro de dois dias, prevê-se que se aborde dentre vários assuntos a massificação da piscicultura, redução de quebras pós-captura, promoção da aquacultura, estratégia nacional de desenvolvimento em preparação, entre outros temas.Na ocasião, o ministro deu a conhecer que o país alcançou em 2013 uma produção de 222.000 toneladas de pescado diverso, o que representa uma realização de 114 porcento da meta programada para o ano em apreço e um crescimento de quatro porcento, um indicativo que, segundo ele, é encorajador, tendo em conta que o sector poderá atingir mais de 300 mil toneladas de pescado em 2019.Sabe-se por outro lado que a pesca artesanal contribui com 87 por cento da produção pesqueira global alcançada, o que traduz um cenário de crescimento contínuo que está associada à melhoria dos factores de produção e produtividade, bem como a melhor eficiência do sistema estatístico das pescas.Segundo Borges, as pescarias de maior valor comercial, tais como camarão, gamba, lagosta e kapenta, têm vindo a registar um crescimento global constante ao longo dos últimos quatro anos, principalmente, devido ao aumento da produção de kapenta, havendo no entanto, que registar a redução das capturas de camarão em 2012 e 2013, fenómeno que já ocorreu, igualmente, no ano 2004.
"Vamos continuar a monitorar em 2014 o comportamento desta pescaria e encontrar formas internas e regionais para a recuperação deste cenário, que para além de factores humanos está ligado à alteração de mudanças climáticas e consequentemente a dinâmica do ambiente marinho" disse o ministro.Na ocasião, a nossa fonte referiu-se ao facto de durante o período de execução do Programa Quinquenal do Governo 2010-2014, ter sido possível registar marcos importantes no desempenho daquele "pelouro", com destaque para a efectiva instalação de um sistema de vigilância de embarcações de pesca industrial via satélite, vulgo VMS, que este ano foi estendido para a frota semi-industrial a gelo de pesca de camarão e pesca a linha no banco de Sofala, Inhambane e Maputo.Na sua comunicação, Victor Borges referiu -se ao trabalho realizado no quadro dos esforços de combate à pesca ilegal, e não reportada, tendo para o efeito, em Abril 2012, sido inaugurado e lançado ao mar a embarcação Antillas Reefer com capacidade para demandar toda a Zona Económica Exclusiva, para além de em Outubro do mesmo ano, ter sido introduzido o sistema de registo electrónico de capturas da pesca de atum.No rol das actividades desenvolvidas pelo Ministério das Pescas, há ainda a registar em 2012 a acreditação internacional do laboratório de inspecção de pescado do Maputo, renovado e ampliado, facto que coloca, segundo ele, o sector num patamar de elevada capacidade para a garantia da qualidade dos produtos da pesca para consumo nos mercados internos e externo.
VIRGÍLIO BAMBO"
FONTE: JORNAL NOTICIAS DE MOÇAMBIQUE.

Sem comentários:

Publicar um comentário