sábado, 18 de janeiro de 2014

LARDE, MOMA, NAMPULA, NOVO DISTRITO NESTA PROVINCIA DE MOÇAMBIQUE JÁ MEXE


AINDA não há definição em termos de data para acolher a cerimónia de elevação do posto administrativo de Larde, em Moma, província de Nampula, à categoria de distrito conforme proposta do governo nesse sentido submetida à Assembleia da Republica e aprovada recentemente por este órgão legislativo.Mas os habitantes daquela região costeira rica em minérios e com condições para a prática da agricultura e turismo, entre outras actividades, desdobram-se em preparativos para assinalar o acto de forma diferente e marcante, facto que estimula as autoridades locais a acelerar o passo para garantir em tempo útil que as infra-estruturas destinadas a acomodar os serviços públicos e seus titulares estejam prontos. A decisão de elevar Larde a categoria de distrito é considerada de inteligente pela população local porque no seu entender vai galvanizar a exploração dos recursos naturais locais, parte dos quais já em curso, nomeadamente as areias pesadas de Topuito, bem assim de outras actividades económicas que se encontram no estágio de completa dormência.Alberto Momade, agente de segurança no empreendimento de areias pesadas na localidade de Topuito, disse à nossa Reportagem que Larde como distrito vai competir para ser uma das potencias em termos de desenvolvimento humano suportado não somente pelos recursos naturais, mas também pela promoção da exploração sustentável da terra para fins agrícolas, potenciando culturas como o arroz, a copra e o relançamento da actividade piscatória elevando os operadores do sector artesanal para empresarial, porquanto o pescado encontra-se disponível em quantidades significativas.
“Quando o governo lançou o parcelamento das áreas residenciais não estávamos a prever o que hoje está a acontecer e para consagrar esta iniciativa, muitos naturais e residentes de Larde estão a levar a cabo obras apostando em material convencional ou misto para edificação de residências e casas comerciais e de serviço o que é de certa forma louvável”- acrescentou Alberto Momade.Quem já está a construir uma mercearia que pode ser uma das raras que se encontrará em funcionamento nos próximos dois meses é Ibraimo Ussene, empreendedor na vila de Larde. “O estado vai precisar de servidores para garantir o funcionamento da sua máquina governamental e eu quero sê-lo e com as poupanças que fiz com a venda de pescado seco e fresco que comercializo nos centros urbanos estou a concretizar o meu sonho de sempre, de ser um comerciante partindo de pequenos negócios”- disse Ussene visivelmente emocionado.O entrevistado disse que Larde no seu todo como distrito tem potencial para se equiparar as restantes regiões como referência em termos de contribuição para a economia da província. O que faltava, no seu entender, era de uma maior atenção por parte do governo e como a decisão já está tomada “agora arregaçamos as mangas ou se quer vestimos o fato macaco para trabalhar no duro para agradecer, de facto, quem nos deu esta oportunidade de decidir-mos sozinhos relativamente ao nosso futuro”- ajuntou Ibraimo Ussene.A formação do capital humano para desfrutar das oportunidades de emprego que o mercado de trabalho oferece nos últimos tempos com o advento da descoberta de recursos naturais é fundamental. “Estou certo que o governo vai apostar na educação estendendo ainda mais o ensino secundário geral a todos níveis e em particular o ensino técnico profissional nas diferentes áreas”- afirmou por sua vez Jorge Silvestre, outro dos nossos entrevistados.
LARDE TEM DESAFIOS ENORMES
A elevação de Larde do nível de posto administrativo à distrito coloca enormes desafios as autoridades governamentais centrais e provinciais, pois, são exíguas as infra-estruturas para acomodar as instituições públicas, bem assim para acomodação dos respectivos titulares.O “Notícias” constatou recentemente no terreno o nível de criação das condições indispensáveis para acomodação dos serviços e respectivos titulares, nomeadamente da residência do administrador e secretário permanente distrital e dos directores de serviços locais de actividades económicas, mulher, saúde e acção social, educação juventude e tecnologia, infra-estruturas e planeamento, comandante da Polícia da República de Moçambique e do representante do Serviço de Informação e Segurança do Estado (SISE).Relativamente a residência do administrador não há sobressaltos, pois, o imóvel que actualmente é ocupada pelo chefe do posto administrativo será reformada e apetrechada. Para acomodar os restantes quadros do governo distrital, uma comissão do ministério da Administração Estatal identificou três imóveis outrora pertencentes a extinta Boror, as quais vão passar por um processo de beneficiações pois, encontram-se num estado lastimável de conservação.Manuel Fonseca, substituto do chefe do posto administrativo de Larde, disse que em relação as residências para serem ocupadas pelo secretário permanente e directores distritais de serviços que serão conhecidos após a tomada de posse e instalação do governo distrital, decorrem trabalhos visando a sua identificação.
Para o funcionamento do serviço distrital de educação juventude e tecnologia já há uma decisão governamental que indica a utilização de parte do edifício da secretaria da escola secundária de Larde. Manuel Fonseca, que é docente e director da zona de influência pedagógica de Larde, acrescentou que esforços suplementares deverão ser envidados quer pelo governo local, do distrito de Moma e provincial no sentido de suprir a insuficiência de imóveis para o funcionamento de serviços ou acomodação dos titulares dos órgãos estatais.O governo ainda não se pronunciou oficialmente relativamente a data da tomada de posse dos governos dos distritos recém criados e isso está a criar incertezas. Araújo Chale Momade, administrador de Moma, referiu que devido a essa situação torna-se difícil fazer a distribuição dos fundos destinados ao investimento público, bem assim de financiamento de iniciativas locais, vulgo “sete milhões”.
OPORTUNIDADES POR EXPLORAR EM LARDE
Como distrito em criação, Larde evidencia muitas dificuldades em termos de prestação de serviços facto que constitui enorme oportunidade para o sector empresarial. Larde vai precisar de muito dinamismo do empresariado para explorar o enorme potencial existente na área de turismo nas belas praias do rio Larde com águas salgadas, onde abundam variedades de pescado sobretudo crustáceos como caranguejo, camarão, lagosta, lulas, polvo, entre outras, para abastecer o sector hoteleiro e não só.Larde conta com ilhas nomeadamente Injovo, Carrea e Quirupe onde se pode desenvolver empreendimentos para turismo de alto padrão no domínio da hotelaria, restauração e cultural visto que existem áreas de conservação marinha que muitos turistas, sobretudo estrangeiros procuram desfrutar.O comércio formal não funciona há décadas apesar de existir cerca de três dezenas de estabelecimentos espalhados pelo posto que se encontram encerrados, em razão de aparentes dificuldades financeiras dos respectivos proprietários. Actualmente o posto conta com 105 barracas e lojas rurais cujos operadores não garantem a comercialização dos excedentes agrícolas, sendo esta uma oportunidade de negócio a não descurar.O sector da pesca artesanal está adormecido muito por culpa da ausência de estabelecimentos que possam garantir a disponibilidade dos respectivos apetrechos e materiais. Adicionalmente, os operadores com pujança financeira podem sair da pesca artesanal para um modelo comercial que possa contar com sistemas de conservação e unidades de processamento em terra, uma vez que Larde está ligado a rede nacional de energia eléctrica desde Junho de 2010.Nas lagoas de Maganha, Cerema, Ninte, Carroa assim como em Incurro, Iriata e Mpaia existem recursos pesqueiros que são capturados em moldes artesanais. As espécies marinhas capturadas são comercializadas localmente, assim como nos distritos circunvizinhos, dado que o seu consumo é de alguma forma considerável.No ramo da agricultura, o potencial é vasto que vai exigir a ousadia de investidores como os de origem indiana que identificam áreas para a produção da cultura de arroz, beneficiando das condições excelentes para irrigação como os rios, riachos e lagoa como a famosa Maganha que não seca mesmo com estiagem severa segundo dados históricos referentes aquele recurso hídrico natural.Mas há mais culturas que podem ser praticadas em moldes comerciais, nomeadamente gergelim, amendoim, mandioca e milho. Outrora funcionou uma companhia vocacionada a produção de copra num vasto palmar, que está a exigir tratamento para a sua reposição dado que apresenta um aspecto de abandono, segundo revelou o director do serviço de actividades económicas em Moma,  Cantiflas Jerónimo.A nossa fonte acrescentou que madeiras do tipo chanfuta, mondzo, jambirre, além do pau preto e pau ferro, consideradas de primeira qualidade, abundam na área do futuro distrito de Larde, sendo que a sua exploração poderá concorrer para o reforço do volume de receitas para os cofres do governo local.Como nos referimos, a localidade de Topuito, onde se localiza o empreendimento de extracção e processamento de areias pesadas desenvolvido pela mineradora irlandesa Kenmare, pertence ao distrito de Larde, sendo esta uma vantagem por considerar sobre vários pontos de vista, com destaque para o económico e social.  
BI DE LARDE
Já existe uma delimitação daquilo que será o distrito de Larde. O novo distrito vai contar com dois postos administrativos, nomeadamente de Larde Sede e Mucuali, ambos desagregados de Moma. A sua população será de aproximadamente 80 mil habitantes que se encontram em 12 localidades.As línguas mais faladas pelas populações locais são o marrovone e coti. Conta neste momento com uma rede sanitária constituída por dois centros com maternidade localizados em Larde e Topuito.A rede escolar conta com um total de 18 estabelecimentos de ensino. Um destes estabelecimentos de ensino lecciona da oitava a décima classe e os restantes são do nível básico, que vai da primeira a sétima classe.A sua receita global no ano findo foi de cerca de 394 mil meticais colectada sobre o exercício de actividades económicas e 40.190 meticais referentes ao imposto de reconstrução nacional que cobre indivíduos com mais de 18 anos de idade.
CARLOS TEMBE""
FONTE: JORNAL DE NOTICIAS DE MOÇAMBIQUE.

Sem comentários:

Publicar um comentário