quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

CENTRO DE MAQUINARIA AGRICOLA EM CONSTITUIÇÃO NA ZAMBÉZIA MOÇAMBIQUE

Um centro de maquinaria agrícola está em constituição na província da Zambézia com vista a relançar o velho sonho de uma agricultura comercial. O governador da Zambézia, Joaquim Veríssimo, que revelou o facto há dias, em entrevista ao “Notícias” disse que, neste momento, estão disponíveis 15 tractores e o centro será gerido pelo sector privado.O nosso entrevistado afirmou, igualmente, que o projecto do centro de equipamento agrícola terá o financiamento da Agência de Desenvolvimento do Zambeze e inclui acções como, por exemplo, a reabilitação de regadios agrícolas, a promoção da piscicultura, actividades pecuárias com os olhos postos para a produção de alimentos dado o potencial da região do vale do Zambeze.Segundo Veríssimo, os tractores serão alocados aos agricultores privados e associados mediante a comparticipação destes com valores que variam entre 25 a 50 por cento do custo total dos tractores, que custam entre um milhão e 1,2 milhões meticais. Os beneficiários deverão ter o título de Direito de Uso e Aproveitamento da Terra (DUAT).A província da Zambézia conta, neste momento, com 416 mil hectares de sistemas de regadios, parte significativa dos quais ainda não sofreu trabalhos de reabilitação com vista a produzir arroz e hortícolas. Os regadios localizam-se nos distritos de Nicoadala, Namacurra, Maganja da Costa, Morrumbala, Mopeia e Chinde todos no vale do Zambeze, uma região que com um investimento sério e comprometido pode levar o país, nos próximos tempos, a produzir comida suficiente para reduzir a dependência externa.Entretanto, Joaquim Veríssimo afirmou durante a entrevista que a segurança alimentar e nutricional na província da Zambézia está garantida e, nos últimos três anos, os níveis de produção agrícola são bastante satisfatórios, apesar dos efeitos adversos das calamidades naturais. Indicou, por exemplo, que na campanha agrícola 2013/2014, a produção agrícola global foi de 5.534,76 toneladas de culturas diversas, mas as necessidades alimentares dos 4.5 milhões de habitantes da província da Zambézia, no período de Outubro a Março, estão na ordem de 1,4 milhão de toneladas e, normalmente, a comercialização atinge 2,2 milhões de toneladas. Em termos de sementes, as necessidades por campanha agrícola estão na ordem de 272 408 mil toneladas e as perdas pós-cheias são de 501639 toneladas. Fazendo um balanço da produção global da província da Zambézia no ano findo, Joaquim Veríssimo disse que esta fixou-se em 36.435,90 milhões de meticais, contra uma meta de 37.506,34 milhões inicialmente planificados. Afirmou que apesar disso, o cumprimento situou-se em 97,15 por cento e os sectores que mais contribuíram foram a agricultura, pesca, transportes e exportações.Indicou que uma das razões que está na origem do incumprimento pode estar associado à produção mineira, com a paralisação da mina de Marropino, no distrito do Ile, que dispensou 337 trabalhadores.No passado, a província da Zambézia conseguiu produzir mais de trinta mil toneladas de produtos pesqueiros diversos. Para além da pesca no alto mar, parte significativa dessa produção veio das águas do interior onde existem muitos recursos que não eram contabilizados, mas com valor económico para a província da Zambézia.
JOCAS ACHAR"
FONTE: JORNAL NOTICIAS DE MOÇAMBIQUE.

Sem comentários:

Publicar um comentário