sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

RIO TINTO E AS EXPORTAÇÕES DE CARVÃO DE MOATIZE TETE MOÇAMBIQUE

"Governo confiante num acordo com a Rio Tinto
Esperanca-biasA ministra moçambicana dos Recursos Minerais, Esperança Bias, mostrou-se confiante numa solução que viabilize as exportações da multinacional Rio Tinto, que registou prejuízos de mais de dois mil milhões de euros, devido a dificuldades de escoamento de carvão.A Rio Tinto demitiu em janeiro o seu director-executivo, Tom Albanese, na sequência dos prejuízos acumulados pela companhia anglo-australiana nas suas operações em Moçambique.
À margem de uma conferência internacional na cidade do Cabo, África do Sul, a ministra dos Recursos Minerais desdramatizou notícias que apontam para a possibilidade de a mineira anglo-australiana vender os seus ativos em Moçambique, devido a dificuldades de escoar a produção de carvão."Naturalmente que estamos preocupados. Mas se se olhar para os problemas enfrentados pela Rio Tinto, eles não são problemas exclusivamente de Moçambique. Moçambique foi apenas parte do problema e nós acreditamos que podemos encontrar uma solução", afirmou Esperança Bias.Minimizando rumores de uma possível retirada da Rio Tinto de Moçambique, a governante adiantou que a empresa tem mostrado abertura no sentido de encontrar uma solução para as dificuldades que enfrenta em Moçambique.
A Rio Tinto somou prejuízos na sua actividade em Moçambique, após ver rejeitada pelas autoridades moçambicanas a proposta de transportar carvão mineral através do Rio Zambeze, centro de Moçambique, devido a preocupações ambientais.
Leia aqui: Rio Tinto desmente venda da sua mina de carvão em Benga (Tete)A rota do Zambeze foi proposta pela multinacional ao Governo moçambicano, como alternativa à linha férrea de Sena, que está ainda em reconstrução e muito abaixo da sua capacidade plena.
(RM/Lusa)"FONTE RÁDIO MOÇAMBIQUE.

Sem comentários:

Publicar um comentário