sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

ASAE DE PORTUGAL E A INSPECÇÃO NACIONAL DAS ACTIVIDADES ECONOMICAS DE MOÇAMBIQUE ASSINARAM HOJE ACORDO DE COOPERAÇÃO EM MAPUTO MOÇAMBIQUE

"Portuguesa ASAE vai formar e capacitar quadros moçambicanos

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) portuguesa vai formar e capacitar, a partir deste ano, quadros moçambicanos da Inspecção Nacional das Atividades Económicas (INAE) de Moçambique, no âmbito de um acordo hoje assinado em Maputo.As duas instituições formalizaram na capital moçambicana a criação de uma Comissão de Gestão do Protocolo de Cooperação, que vai executar e coordenar as suas atividades no domínio de técnicas de fiscalização, visando criar um bom ambiente de negócios para os agentes económicos que operam em ambos países.O memorando rubricado pelo inspector-geral da ASAE, António Nunes, e o inspector-geral do INAE, José Rodolfo, foi testemunhado pelo vice-ministro moçambicano da Indústria e Comércio, Kenneth Marizane, e pelo embaixador português em Moçambique, Mário Godinho de Matos.O vice-ministro da Indústria e Comércio de Moçambique afirmou que ao abrigo do acordo "a ASAE e INAE poderão, em concertação, proceder ao intercâmbio de oficiais de ligação para, nos termos da Comissão de Gestão do Protocolo, se fazer o acompanhamento das atividades e programas que venham a desenvolver em comum". "Olhando para o nível das relações entre Moçambique e Portugal, torna-se imperioso que no domínio de indústria, comércio e serviços criemos mecanismos que assegurem a execução de negócios naqueles ramos de atividades, que sejam feitos em conformidade com as leis, quer no processo de importação, quer na comercialização a nível do mercado doméstico", considerou Kenneth Marizane. O governante apontou como alguns desafios da INAE a "consolidação, expansão de qualidade em todo o país e tornar independente" a instituição criada em 2009. Apesar das restrições orçamentais na administração pública portuguesa, que também abrangem o órgão de polícia criminal, o inspetor-geral da ASAE garantiu que "tem todas as condições" para desenvolver o protocolo hoje assinado em Maputo."Espero que a curto prazo, quer inspetores de Moçambique possam estar a fazer cursos de aperfeiçoamento e melhoramento em Portugal, quer formadores portugueses da nossa organização possam estar aqui em Moçambique a fazer as suas ações de formação e a transmitir os conhecimentos técnicos por forma a que as ações possam ser feitas com metodologias adequadas", disse António Nunes.(RM/Lusa" Fonte RÁDIO MOÇAMBIQUE.

Sem comentários:

Publicar um comentário