sexta-feira, 30 de março de 2012

TUFO DANÇA DO LITORAL NORTE DE MOÇAMBIQUE CANDIDATA A PATRIMÓNIO ORAL E IMATERIAL DA HUMANIDADE

"Cultura lança festival e leva tufo ao mundo. O GOVERNO vai candidatar o tufo, dança predominante do litoral norte do país, à lista do património oral e imaterial da humanidade, segundo anunciou ontem, na cidade de Nampula, o ministro da Cultura, Armando Artur, no decurso das cerimónias de lançamento oficial do Ano Cultural e do VII Festival Nacional de Cultura, cuja fase final terá lugar em Julho naquela capital. Maputo, Quinta-Feira, 29 de Março de 2012:: Notícias
Para Armando Artur, o valor universal do tufo, que provém de uma fusão entre manifestações culturais e artísticas dos povos autóctones do litoral das províncias de Cabo Delgado e Nampula e árabes, que se começaram a fixar ao longo de um processo histórico iniciado por volta do século VII, pesa para justificar a pretensão do Executivo para submeter a dança para aquela nobre lista mundial.Falando perante vários munícipes e artistas executantes de diferentes manifestações culturais que acorreram ao pavilhão dos desportos do Clube Ferroviário para a cerimónia de lançamento do Ano Cultural e do VII Festival Nacional de Cultura, o titular da pasta da Cultura anunciou que a partir de Abril, a cidade de Nampula passará a acolher todos os eventos de natureza cultural do país.É assim que a gala nacional de música ligeira, o “Ngoma Moçambique”, terá a cidade de Nampula como palco, no mês de Abril, acontecendo o mesmo com relação ao festival internacional do cinema documentário “Dokanema”, a feira nacional do livro e do disco, o seminário nacional sócio-cultural, entre outros eventos.Dissertando especificamente sobre o Festival Nacional de Cultura, Armando Artur fez questão de recordar aos presentes que com este evento o Governo pretende não só promover as artes e manifestações culturais de todo o país mas também para consolidar a unidade nacional, conhecimento mútuo dos moçambicanos entre outras vantagens.Porque será um momento de convergência de pessoas provenientes não só de Nampula, como também do resto do país e de outros quadrantes do mundo, “apelamos para que façamos tudo o que estiver ao nosso alcance para que o momento seja de festa e de afirmação da nossa hospitalidade, identidade mas também de negócio”, conforme destacou o governante.
Recorde-se que a fase final do VII Festival Nacional de Cultura irá acontecer entre 27 de Julho e 3 de Agosto. Actualmente já decorrem as fases distritais, que irão apurar artistas para a etapa provincial, de onde serão seleccionados os participantes a Nampula.Para acolher as diversas manifestações culturais e artísticas, sem que as pessoas tenham de percorrer longas distâncias, o gabinete nacional de preparação do evento identificou na cidade de Nampula aquilo que se convencionou denominar de “Aldeia Cultural”, que compreende as áreas circundadas pelas avenidas Eduardo Mondlane, do Trabalho e Paulo Samuel Kankomba, onde se localizam o Museu Nacional de Etnologia, o Clube Sporting, Estádio 25 de Setembro, Piscina do Ferroviário, Hotel Lúrio, Escola Secundária de Nampula, Pavilhão dos Desportos do Clube Ferroviário, entre outras infra-estruturas que irão acolher as várias disciplinas artísticas no âmbito do festival." Fonte Jornal NOTICIAS.

Sem comentários:

Publicar um comentário