quarta-feira, 7 de Março de 2012

AEP - ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL DE PORTUGAL AINDA A VISITA A TETE E SOFALA MOÇAMBIQUE

"Economia. Portugueses vêem mais oportunidades em Tete. EMPRESÁRIOS portugueses reconheceram esta semana na cidade da Beira que a província de Tete possui muitas outras oportunidades de negócio além do carvão mineral. De acordo com o responsável daquela missão empresarial, Alexandre Rodrigues, a área de infra-estruturas é a que mais oportunidades tem, pois notam-se défices naquele ponto do país. Maputo, Quarta-Feira, 7 de Março de 2012:: Notícias Aqueles homens de negócios que visitaram as províncias de Maputo, Tete e Sofala vieram, assim, confirmar os apelos lançados pelos governantes do nosso país segundo os quais não se pode ver Tete só na vertente de minérios."Estivemos em Tete e constatámos que há um avanço económico, sobretudo no ramo mineral, mas há ainda um défice na área de infra-estuturas que achamos podermos contribuir na sua edificação”, revelou Alexandre Rodrigues, que dirige uma equipa de empresários de vários ramos de actividade.A indústria extractiva em Tete conta com a exploração de grandes firmas estrangeiras que desde o ano passado iniciaram a exportação de grandes quantidades de carvão mineral a partir do Porto da Beira. Os nossos entrevistados afirmaram que desde aquela província até a cidade portuária tem-se notado enorme défice infra-estrutural.Vamos nos inteirar sobre a possibilidade da nossa intervenção e desde já manifestamos a nossa intenção de investir nesta e noutras áreas relevantes em vários pontos de Moçambique”, disse o chefe da missão empresarial portuguesa. Na província de Sofala, os agentes económicos lusos foram recebidos com pompa e circunstância pelos empresários nacionais e membros do Governo. Numa sessão que decorreu no salão nobre da Associação Comercial da Beira (ACB), os homens de negócios tiveram a oportunidade de trocar experiências com os moçambicanos e desenhar oportunidades para parcerias.O director provincial da Indústria e Comércio de Sofala, José Ferreira, exibiu aos visitantes as oportunidades de negócios, enquanto o delegado do Centro de Promoção de Investimentos a nível da região centro, Emiliano Bento, falou das facilidades, direitos e deveres dos investidores estrangeiros.Quem esteve, igualmente, a palestrar é o delegado do Instituto para Importação e Exportação (IPEX), José Agapito, que, tal como os outros palestrantes, falou sobre as oportunidades e tentou ainda convencer aquela missão a escolher Moçambique como destino do seu investimento.Para atrair o empresariado português, o presidente da ACB, Prakash Prehlad, destacou, por seu turno, os factos que nos unem àquele povo: a língua e a cultura, tendo referido que podem melhorar as relações comerciais entre empresas daquele país e o nosso."A ideia é colocar à disposição dos empresários de fora as oportunidades existentes", explicou, acrescentando que se todos se envolverem num só objectivo ambos os países sairão a ganhar. Rodrigues Luís" Fonte NOTICIAS.

Sem comentários:

Enviar um comentário