segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

SUÉCIA MOÇAMBIQUE NOVO IMPULSO NAS TROCAS COMERCIAIS POR OCASIÃO DA VISITA DA MINISTRA DO COMÉRCIO EWA BJORLING A MOÇAMBIQUE DE 26 A 28 DE JANEIRO DE 2012

"Moçambique/Suécia: Trocas comerciais com novo impulso. As trocas comerciais entre Moçambique e Suécia podem, a breve trecho, conhecer um novo impulso, havendo já esforços nesse sentido entre os governantes dos dois países.Maputo, Segunda-Feira, 30 de Janeiro de 2012:: Notícias Para o efeito, uma delegação sueca chefiada pela Ministra do Comércio, Ewa Björling, manteve, na última quinta-feira, negociações com a contraparte moçambicana, no âmbito da sua visita a Moçambique, que terminou no sábado.Numa conferência de imprensa que marcou o final das negociações, tanto o governante sueco como o ministro moçambicano da Indústria e Comércio, Armando Inroga, reconheceram a insipiência das relações comerciais, tendo, por isso, defendido a necessidade de se abrir uma nova página com vista ao seu incremento.Actualmente, a balança comercial é desfavorável a Moçambique, situação que, segundo Inroga, deve ser corrigida.Os dados das trocas comerciais indicam que, em 2007, Moçambique exportou para aquele país nórdico produtos avaliados em cerca de cinco milhões de dólares norte-americanos (USD). Em contrapartida, a Suécia exportou para Moçambique bens estimados em 11 milhões USD. De referir que o ano de 2007 foi o pico das exportações moçambicanas para a Suécia.Em 2010, as exportações de Moçambique para a Suécia atingiram apenas um milhão de dólares, tendo importado daquele país cerca de 9,0 milhões USD.Tendo em conta esta realidade desfavorável, as duas partes acordaram, como desafio, o estabelecimento de bolsas de negócios entre os empresários dos dois países, de forma a identificar e consolidar novas áreas de cooperação.Segundo o Ministro moçambicano da Indústria e Comércio, o aumento do volume das exportações passa necessariamente pelo aumento da produção e produtividade, o que permitirá a diversificação de produtos a exportar.Por sua vez, a governante sueca defende a necessidade de se identificar mecanismos que visem remover as barreiras comerciais e outros obstáculos.“Queremos ver as relações comerciais aumentadas, bem como o número de empresas suecas a trabalhar em Moçambique”, disse Bjorling.De referir que o Ministério da Indústria e Comércio não possui nenhum Acordo Comercial com a Suécia, sendo que as trocas comerciais entre os dois países regem-se pelos princípios da Organização Mundial do Comércio (OMC), de que ambos são membros.Contudo, no âmbito da cooperação multilateral, as trocas comerciais são feitas no quadro da cooperação entre a União Europeia (UE) e os países de África, Caraíbas e Pacífico (ACP) e do Sistema Preferencial Unilateral concedido pela EU aos Países Menos Avançados, denominado “Tudo Menos Armas (Everthing But Armas – EBAS. Moçambique exporta para a Suécia citrinos, fibras têxteis, algodão bruto e ligas de alumínio e importa daquele país betumes naturais, artefactos de material têxtil, calçado, equipamentos diversos, tractores agrícolas e para a área de construção.Contudo, Moçambique quer alargar esta gama de produtos, incluindo nela, por exemplo, os mariscos e mais produtos agrícolas, para além dos que vem exportando.Por sua vez, a Suécia pretende potenciar, nas suas trocas comerciais, a área das telecomunicações e tecnologias de informação e comunicação (TICs).AIM" Fonte Jornal NOTICIAS.

Sem comentários:

Publicar um comentário