sexta-feira, 29 de outubro de 2010

MOÇAMBIQUE E OS OUTROS PAISES DA CPLP - 1.16 - ALFABETIZAÇÃO

"+ Moçambique pretende alfabetizar "pelo menos um milhão de pessoas por ano até 2015" – Ministro da Educação, Zeferino Martins  27/10/2010. Os Estados-membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) estão, desde terça-feira, reunidos em Maputo, para a IV Oficina de Cooperação Sul-Sul, no domínio da educação e formação de jovens e adultos. Portugal e São Tomé e Príncipe não se fizeram representar. Segundo explicou à Lusa o director nacional de Alfabetização e Educação de Adultos, Ernesto Muianga, "houve problemas de comunicação" no caso português. "É lamentável porque Portugal tem uma experiência que interessava partilhar, no âmbito da formação profissional e certificação", e que é "bastante relevante" para Moçambique, salientou Ernesto Muianga. A par da formação profissional e certificação dos programas para a aprendizagem ao longo da vida, bem como da formação de educadores de adultos, questões que se seguem à prioridade principal, a alfabetização, o Governo moçambicano realçou ainda a importância do controlo e registo desses mesmos programas. "Há muitas iniciativas e programas, mas muitas vezes falta saber qual o impacto real e o interesse que as comunidades têm em relação aos programas oferecidos", adiantou o director nacional. Na sua opinião, o facto de as pessoas compreenderem a necessidade da alfabetização e saberem que está ligada à melhoria das condições de vida "é o mais importante". E Moçambique "tem caminhado para isso", acrescentou. "Prova-o o incremento em termos de efectivos: se em 1999 falávamos em 60 mil inscritos para a alfabetização, hoje falamos em um milhão", prosseguiu o director. Os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM), definidos pelas Nações Unidas, estipulam que os países reduzam, até 2015. Para a cumprir, o país terá que reduzir em 20 por cento a taxa actual, de 48,1 por cento, pelo que o ministro moçambicano da Educação, Zeferino Martins, reafirmou na abertura do encontro, o compromisso do executivo em alfabetizar, "pelo menos, um milhão de pessoas, por ano, até 2015". Nesse sentido, Moçambique tem desenvolvido programas específicos, como a alfabetização regular, via rádio e televisão, através dos próprios estudantes junto da família, a educação não formal, entre outras iniciativas com o apoio da sociedade civil. "Os resultados destes programas já são visíveis", sublinhou Zeferino Martins. Apesar das melhorias, a rede de cooperação vai continuar a apoiar os países membros, com a elaboração de um novo plano de trabalho para os próximos anos, cuja orientação passará agora para Moçambique. Até esta quinta feira, os representantes da CPLP vão também avaliar o grau de cumprimento do plano estabelecido para a educação e formação de jovens e adultos, e das acções estabelecidas para 2009-2010. (RM/Lusa)" Fonte Rádio Moçambique.

Sem comentários:

Publicar um comentário