domingo, 17 de abril de 2011

INFORMÁTICA AVANÇA NAS ESCOLAS EM MOÇAMBIQUE

"Computadores motivam alunos para leitura, escrita e cálculo. O ESFORÇO com vista a assegurar a melhoria da leitura, escrita e o cálculo no país começa a ganhar forma na província do Maputo, onde alunos do Ensino Básico estão a usar “laptops” na sua auto-formação. A motivação dos alunos para superar o défice no ensino e aprendizagem foi testemunhada ontem pelo Ministro da Educação, Zeferino Martins, na Escola Primária Anexa ao Instituto de Formação de Professores da Matola, que, tal como na Escola Primária Completa de Fiche, no distrito de Boane, cerca de 750 alunos estão a estudar com o auxílio de “laptops”, adquiridos no âmbito do projecto “Um Computador Por Aluno”.Maputo, Segunda-Feira, 18 de Abril de 2011:: Notícias. Os “laptops”, adaptados para crianças no processo de ensino e aprendizagem, trazem conteúdos diversificados do quotidiano e que estão a ser explorados pelos alunos para intensificar o processo de leitura e escrita, bem como fazer cálculos, desenhos e produzir textos. Ao todo são três mil computadores, que custaram ao MINED 560 mil dólares que, numa primeira fase, estão a ser distribuídos pelas escolas das províncias do Maputo (750), Zambézia (900) e Niassa (1050).
Porque a iniciativa “Um Computador Por Aluno” está a surtir efeitos, o ministro Zeferino Martins revelou que ainda este ano mais 10 mil “laptops” serão adquiridos e distribuídos por mais escolas, tendo como horizonte abranger maior número de alunos da 3ª, 4ª e 5ª classes de todo o país. “Com o projecto completámos atempadamente os programas de ensino. As dificuldades anteriores de leitura, escrita e numeração são facilmente ultrapassadas usando este meio de ensino na sala de aulas. A primeira fase da implementação deste projecto mostra-nos que as crianças se engajam mais na sua auto-formação. Elas aprendem mais, compartilham, criam e colaboram, ficando conectadas umas com as outras e com o mundo” – explicou o ministro. “Um Computador Por Aluno” é um projecto educacional de inclusão digital que tem por objectivo difundir o uso das tecnologias de informação e comunicação nas crianças de todo o mundo, sobretudo dos países em vias de desenvolvimento. O computador, designado “XO”, é resistente, de baixo consumo de energia e de características adaptadas para crianças no processo de ensino/aprendizagem. Os mesmos são pertença da escola e, gradualmente, assim que as condições de segurança forem criadas e depois de celebrado o compromisso com os encarregados de educação, os alunos poderão levá-los para casa. A ideia, segundo o titular do MINED, é permitir que em casa o mesmo aparelho assuma o papel de disseminador, difundindo e ensinando a família e a comunidade em geral a usar as novas tecnologias de informação. " Fonte Jornal NOTICIAS.

Sem comentários:

Publicar um comentário