quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

FLORESTAS E FAUNA BRAVIA DE SOFALA USO SUSTENTÁVEL FOI DEFENDIDO

"Procuradora-Chefe Provincial de Sofala defende uso sustentável de recursos florestais e faunísticos Beira (O Autarca) – Na recente Conferência Provincial sobre Florestas e Fauna Bravia em Sofala, a Procuradora-Chefe Provincial de Sofala, Carolina Azarias, defendeu a necessidade de uso sustentável de recursos florestais e faunísticos como forma de preservar o ecossistema ligada a florestas. Carolina Azarias reconheceu que o desenvovimento da técnica e da ciência potencializada a revolução Industrial trouxe consigo a melhoria da vida de muitas pessoas. Todavia, salientou que o crescimento tecnológico em curso acarretou mudanças significativas ao Meio Ambiente por causa da devastação das florestas envolvendo grandes redes do comércio internacional. Explicou que para além de exploração madeireira, o ecossistema ligado as florestas tem sido igualmente prejudicado devido a prática da caçafurtiva, queimadas descontroladas, agricultura itinerante e outros factores que fazem com que anualmente Moçambique perca entre 500 a 670 mil metros cúbicos de árvores, representtando cerca de 220 mil hectares. Para a Magistrada-Chefe do Ministério Público (MP) em Sofala, as referidas práticas deviam ser acompanhadas de acções de maneio florestal que garanta o replantio das árvores. A fonte referiu haver leis que dão a cobertura da implementação da Declaração sobre Florestas em Moçambique, assinada em Novembro do ano passado, tendo acrescentado que os governadores provinciais já teriam começado a implementar medidas sustentáveis previstas no documento. Por sua vez vez, o Chefe dos Serviços Provinciais de Florestas e Fauna Bravia (SPFFB) em Sofala, Paz Martinho, referiu que as modalidades de implementação da referida declaração serão diferenciadas devido a quantidade de potencialidades existente em cada região do país. O Presidente da Assembleia Provincial de Sofala (APS), António Viano, que também participou do encontro, mostrou-se satisfeito pela existência e divulgação do instrumento qe facilita a acção fiscalizadora de membros da instituição que representa."
FONTE: JORNAL O AUTARCA DE MOÇAMBIQUE

Sem comentários:

Publicar um comentário