sexta-feira, 29 de julho de 2011

ZAMBEZIA - INVESTIMENTO ESTRANGEIRO EM 2010 SUPERAM 60 MILHÕES DE DÓLARES, SEGUNDO APROVAÇÃO PROJECTOS CPI

"ZAMBÉZIA - Investimentos superam 60 milhões de dólares . Mais de 60 milhões de dólares norte-americanos foram investidos durante o ano passado na província da Zambézia. Aquele investimento resulta da aprovação, pelo Centro de Promoção de Investimento (CPI), de seis grandes projectos nas áreas de agro-indústria, turismo e madeira nos distritos de Mopeia, Mocuba, Guruè e Nicoadala. Os mesmos deverão criar até o ano de 2014 dois mil e quinhentos postos de emprego directo.Maputo, Sexta-Feira, 29 de Julho de 2011:: Notícias . O governador, Francisco Itae Meque, apela aos empresários nacionais e estrangeiros para investirem na Zambézia de forma a transformar o manancial de recursos em oportunidade de negócios, emprego e de o Estado ir buscar receitas para implementar o seu plano de desenvolvimento socio-económico. Francisco Itae Meque afirmou, igualmente, que o governo já criou todas as facilidades de licenciamento, através do Balcão de Atendimento Único (BAU), onde os empresários ou proponentes de projectos de investimento poderão ir ter toda a informação necessária para desenvolverem os seus negócios. Disse que, para além disso, há condições de base em quase todos os distritos para fazer florir o investimento, nomeadamente estradas transitáveis, energia e telecomunicações, para além de serviços sociais como a Saúde. Entretanto, as exportações de vários produtos para o mercado externo, a partir da província da Zambézia renderam, durante o ano passado, mais de dois milhões de meticais. O volume da mercadoria exportada corresponde a um crescimento de perto de 800 mil meticais em relação ao ano de 2009 em que, a província da Zambézia, tinha colocado no mercado externo produtos diversos na ordem de 1.395,36 meticais. Dos 2.193,7 mil meticais alcançados no exercício económico de 2010, destaque vai para a madeira, castanha de caju, chá, recursos minerais, entre outros.O governador da Zambézia, Francisco Itae Meque, afirma ser necessário aprimorar os mecanismos de controlo e fiscalização em quase todos os circuitos de transacção de mercadorias. “Estamos a trabalhar para isso e sabemos que com um maior controlo e fiscalização, o volume poderia ser bem maior”, disse Francisco Itae Meque.Produtos como castanha, madeira e minerais, saem da região norte da província e são exportados através do porto de Nacala o que, em alguns casos, falha o registo. O mesmo acontece em relação à fronteira de Melosa, no distrito de Milange, onde a capacidade de cobertura da linha da fronteira não abrange toda a região.Todavia, Francisco Itae Meque afirmou que há um grande diálogo com os vários intervenientes no processo de transacção de mercadoria para que haja registo oficial e esse pode ser um bom termómetro para avaliar o nível do dinheiro e produtos que circulam na província da Zambézia. Os empresários da Zambézia têm insistido muito sobre a necessidade de montar um esquema de fiscalização na região norte da província para registar as quantidades de produtos que saem para a vizinha de Nampula. Na recente reunião do Fórum Económico da Zambézia, os empresários afirmaram que a produção local sai sem controlo e é taxada como sendo da província de Nampula e depois é exportada através do porto de Nacala. Jocas Achar" Jornal NOTICIAS

Sem comentários:

Publicar um comentário