segunda-feira, 16 de agosto de 2010

MOÇAMBIQUE - FACIM - 1

"Catorze países na FACIM 2010

CATORZE países, metade dos quais da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC), confirmaram a sua participação na quadragésima sexta edição da Feira Internacional de Maputo (FACIM 2010) que vai decorrer entre os dias 30 de Agosto e 5 de Setembro próximo, na zona baixa da cidade capital.Maputo, Segunda-Feira, 16 de Agosto de 2010:: Notícias
Não obstante os efeitos da crise internacional que ainda se fazem sentir em algumas regiões, a organização também confirma a inscrição, até semana passada, de cerca de 29 empresas estrangeiras, número relativamente superior ao do ano passado quando entraram no certame, pouco acima de 20 companhias externas.Entre os países que confirmaram a sua participação figura a Itália, Portugal, Espanha, Brasil, África do Sul, Tanzânia, Macau, Zâmbia, Zimbabwe, Quénia, Malawi, Botswana, Indonésia, e Suazilândia.
Como habitualmente acontece, Portugal vai ocupar a maior área da feira, tendo para isso, solicitado cerca de 864 metros quadrados. A seguir constam a República da África do Sul e a Itália com 457 metros e 360 metros quadrados, respectivamente.Os dados em nosso poder indicam ainda que quer o número de países, quer de empresas estrangeiras poderão vir a subir ainda uma vez que continuam a decorrer contactos com algumas entidades interessadas em expor na FACIM 2010.Em termos de participações nacionais, foram inscritas até à última semana, cerca de198 empresas, número considerado positivo tendo em conta o ambiente económico que o país atravessa.A quadragésima quinta edição da FACIM, realizada no ano passado juntou cerca de 700 empresas nacionais – mais 200 em relação ao certame anterior – para além da participação oficial de 14 países, maioritariamente oriundos da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral.A realização da FACIM na baixa da cidade, contraria o plano que chegou a ser anunciado no ano passado de transferir a feira para a zona de Ricatla, no distrito de Marracuene, onde por estas alturas esperava-se ter um pavilhão multi-usos em fase final de construção ou já terminado, obras que ainda não começaram.Informações avançadas em Fevereiro último apontavam que o atraso nas obras das novas infra-estruturas da FACIM em Ricatla se deve, em parte, à demora na projecção dos desenhos do pavilhão multi-usos e da finalização de outros “itens” básicos, tais como o estudo do impacto ambiental e dos resultados do concurso público para a selecção do empreiteiro a ser encarregue da construção." Fonte Jornal de Notícias de Moçambique.

Sem comentários:

Publicar um comentário