quarta-feira, 21 de junho de 2017

GORONGOSA, PARQUE NACIONAL, PROVINCIA DE SOFALA MOÇAMBIQUE, NÃO PRECISA DE APRESENTAÇÕES, É UM VERDADEIRO EX-LIBRIS DE MOÇAMBIQUE, DO MUNDO E DA HUMANIDADE

"Gorongosa só precisa de garantia de ambiente de paz efectiva para voltar a atrair turismo como antes - Enquanto a situação não estiver estabilizada torna-se difícil que os turistas visitem o parque da forma como todos gostaríamos – Vasco Galante, Director de Comunicação do PNG Beira (O Autarca) – A Gorongosa, na província de Sofala, centro de Moçambique, continua a ser uma das principais áreas de conservação de espécies e ecossistemas em África e no mundo. Aliado ao seu poderio de oferecer benefícios múltiplos aos seus visitantes, entre os quais se destacam vantagens recreactivas, educativas e culturais – tornou-se, eternamente, a região do nosso país mais atractiva ao turismo doméstico e internacional. Se ocorrer dúvidas, não perca tempo, marque já uma visita ao parque para confirmar o ditoTrata-se de um dos mais importantes parques nacionais de Moçambique, de África e do mundo, cuja pré-história aproxima-se a história dos primeiros parques nacionais a existirem no planeta. O primeiro parque nacional é o de Yellouwstone, criado em 1873; depois na Suíça em 1914; em Espanha em 1915; e na Itália em 1930. A Gorongosa foi decretada uma área destinada a protecção da fauna em março de 1921, ocupando uma extensão de cerca de 1.000 km2, superficie mais tarde ampliada para 3.200km2. De 1921 até 1960, período em que ascendeu a categoria de parque nacional, a Gorongosa era também uma área de caça, no período 1921 a 1948 sob a jurisdição da majestática e colonial Companhia de Moçambique; e de 1948 a 1960 já sob jurisdição do governo colonial português, através da chamada comissão central de caça. É um parque com longa histó- ria de meter inveja, importando frisar que no período que aludimos recebia que o parque portou-se como uma “montra” da colónia portuguesa em Á- frica, a zona da colónia mais frequentada por turistas estrangeiros, pelo que nenhum visitante oficial vinha a Mo- çambique sem que o seu programa incluísse uma estadia no Chitengo, onde desde sempre funcionou a mais importante área de acomodação da Gorongosa. Consta que em 1935 a Gorongosa preparou-se para receber a visita do Cruzador Britânico Carlisle; tendo nas mesmas épocas os presidentes da República Portuguesa, nomeadamente os generais Carmona e Craveiro Lopes realizado caçadas oficiais nas suas á- reas. 35 mil turistas nacionais e estrangeiros visitaram o PNG nos últimos anos Depois da proclamação da Independência Nacional, em junho de 1975, o parque continuou a desempenhar normalmente a sua função, mas pouco tempo depois viu-se forçado a interromper devido ao conflito armado Gorongosa é um exclusivo parque nacional absolutamente natural encontrável em Sofala muitos e muitos turistas. O registo recorde de visitas que a Gorongosa recebeu no mesmo ano data do ano 1968, um total 12.219 turistas oriundos de várias partes do planeta; depois de ter recebido 1.361 turistas em 1952; 6.096 em 1960 e 8.203 em 1965. Informação da época revelaem que o país se mergulhou até outubro de 1992, que destruiu grande parte do seu tesouro. De 2006 para cá o parque está a beneficiar de um ambicioso projecto de restauração, numa parceria público privada que envolve o Governo de Mo- çambique, representado pelo ministério que superintende o sector de turismo, e a Fundação Car, do filantrópico norte americano Greg Car, esta última organização americana que tem investido milhões de dólares sem nenhum tipo de interesse lucruativo. O objectivo do projecto é assegurar a reposição do potencial do parque, criar condições que desistimulem a exploração irracional dos seus recursos pelo homem, promover actividades que produzam múltiplos benefí- cios aos seus visitantes e fomentar o turismo para a auto-sustentabilidade do parque. O turismo já começou a ser feito desde o início da implementação do projecto, que compreende igualmente a adequação das infra-estruturas de acomodação e incentivo a investiga- ção científica, tendo em 2006 o parque recebido 1.000 turistas e até 2015 já contabilizava um total de 35.448 turistas, na sua maioria estrangeiros (19.791) e 14.655 nacionais. Ambiente de insegurança intranquiliza turistas De 2006 até 2012 o gráfico de entrada de turistas tendia a recuperação dos fluxos registados na época da dé- cada 60 que a Gorongosa teve o registo recorde de visitantes. A partir de 2012, ano que o parque recebeu 6.500 turistas, depois de em 2010 ter recebido 5.500 turistas e 7.000 em 2011, o nú- mero de visitantes, sobretudo internacionais, diminuiu de forma dramática, Vasco Galante, Director de Comunicação do PNG, está preocupado em querer ver o país estabilizado (politicamente) para os turistas visitarem a Gorongosa como todos gostariam mo todos gostaríamos...” – lamentou Vasco Galante, responsável pela comunicação institucional do Parque Nacional da Gorongosa. Importa salientar que a elaboração do presente texto contou com consultas a dois documentos antigos que apresentam o historial do parque, um de autoria de Armando Rosinha, com o título “Alguns dados históricos sobre o Parque Nacional da Gorongosa”, com data de arquivo de outubro de 1989, e outro de Armando José Rosinha (Médico-Veterinário), intitulado “O Parque Nacional da Gorongosa”, sobre o qual não tivemos a precisão da data.■ (Chabane Falume/ Fotos Google) devido ao conflito militar no centro de Moçambique e aos avisos de perigo de viagem emitidos por várias embaixadas e sites de viagens. As autoridades do Parque Nacional da Gorongosa referem, igualmente, que o Programa de Educação Ambiental do Centro de Educação Comunitária (CEC), dirigido às comunidades da Zona Tampão, também responsável por trazer muitos visitantes ao parque, foi muito negativamente impactado por motivos de falta de segurança na Zona Tampão. “Enquanto a situação não estiver estabilizada torna-se difícil que os turistas visitem o parque da forma como todos gostaríamos...” – lamentou Vasco Galante, responsável pela comunicação institucional do Parque Nacional da Gorongosa. Importa salientar que a elaboração do presente texto contou com consultas a dois documentos antigos que apresentam o historial do parque, um de autoria de Armando Rosinha, com o título “Alguns dados históricos sobre o Parque Nacional da Gorongosa”, com data de arquivo de outubro de 1989, e outro de Armando José Rosinha (Médico-Veterinário), intitulado “O Parque Nacional da Gorongosa”, sobre o qual não tivemos a precisão da data.■ (Chabane Falume/ Fotos Google)"
FONTE: JORNAL O AUTARCA DE MOÇAMBIQUE.

Sem comentários:

Publicar um comentário