sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

ZAMBIA ADJUDICA LINHA FÉRREA LIGANDO A MOÇAMBIQUE E MALAWI NUMA EXTENSÃO DE 389 KM, VALOR 2,3 BILIÕES DE DÓLARES AMERICANOS

PROJECTADA LINHA FÉRREA PARA LIGAR MOÇAMBIQUE, MALAWI E ZÂMBIA

30-12-2016 12:47:51
Maputo, 30 Dez (AIM) - O governo zâmbiano acaba de rubricar um acordo com a empresa China Raillway no valor de 2,3 biliões de dólares norte-americanos para a construção de uma linha férrea de 389 quilómetros de extensão que vai ligar este país do interior a Moçambique e Malawi.

A linha parte de Serenje, província central da Zambiana até Chipata próximo da fronteira com o Malawi, no local onde foi inaugurada uma ligação para Machinji.

A publicação britânica “Economist Intelligence Unit (EIU)” é citada pelo jornal “Noticias a revelar que as autoridades zambianas consideram esta infra-estrutura como um passo importante para a integração regional, bem como para impulsionar as relações comerciais entre os três países da Comunidade de Desenvolvimento da Africa Austral (SADC).

A fonte alerta a contenção dos ânimos porque ainda não está claro como será feito o financiamento do projecto de linha Serenji – Chipata, para além de que tambem não foi apresentado um cronograma para a implementação do projecto.

“Trata-se de uma linha férrea que vai reduzir os custos das exportações e importações zambianas usando um percurso mais curto do que o actual, tendo em conta que este país tem recorrido a Dar-es-Salam na Tanzânia ou a Durban, na Africa do Sul”, refere a fonte.

Explica que o transporte ferroviário é o meio preferido pela indústria de cobre da Zambia nas suas transacções para o mundo.

As empresas zambianas deste sector reclamam os elevados custos de transporte, assim como a distância que têm que percorrer até aos portos da Africa do Sul ou Tanzânia.

“Actualmente, a maior parte do cobre da Zâmbia é transportada por estrada para Walvis Bay (Namíbia).

As obras de construção de uma linha férrea mais curta ligando Chipata e Machinji na verdade tiveram início em 1982, mas devido a restrições de financiamento só terminaram em 2010.
(AIM)
MAD/SG

(AIM)"
FONTE: SAPO MZ/AIM

Sem comentários:

Publicar um comentário